quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Terapia do luto

Sigmund Freud (1856–1939), conhecido como o pai da Psicanálise, acreditava que o luto é uma reação saudável à perda de uma pessoa querida. 

Porém, quando essa fase se transforma em melancolia (um estado psíquico profundamente doloroso), o indivíduo sente desinteresse pelo mundo externo e acha que é incapaz de realizar tarefas, além de depreciar a si mesmo. 

A terapia do luto surge, então, para ajudar a entender a perda de um ente querido como parte do ciclo da vida, sem deixar que a dor o impeça de viver.

Em geral, as pessoas estão preparadas para lidar com a morte?
Normalmente, não. Todos nós precisamos desenvolver laços afetivos para nos sentirmos protegidos, seguros e amados. Porém, a perda é angustiante, mesmo em outras situações, como o rompimento de um relacionamento, por exemplo. Esse sentimento se acentua ainda mais quando se trata da morte, pois o acontecimento é irremediável.

Existe uma maneira “ideal” de vivenciar o luto?
Lidar com a morte transforma os sobreviventes. Todas as pessoas sofrem quando perdem um ente querido, em maior ou menor grau. O importante é garantir que a adaptação ocorra de maneira saudável, ou seja, quando a pessoa é capaz de se lembrar do falecido sem choro intenso, sensação de tensão no peito ou outras manifestações físicas. 

O indivíduo continua sentindo tristeza e saudade, mas de uma forma diferente; ele readquire interesse pela vida, se sente mais esperançoso e se adapta a seu novo papel.

Há fatores que complicam o luto?
Sim. O tipo de relacionamento afetivo que a pessoa tinha com o falecido, a circunstância da morte, quando o indivíduo passou por várias perdas consecutivas, se foi uma perda múltipla, suicídio, aborto... Fatores da própria personalidade podem complicar ainda mais o processo de luto ou a ausência de uma rede social de apoio.

Podemos nos preparar para esse momento?
Não, mas a religião e a cultura na qual a pessoa está inserida influenciam na forma em que ela lidará com as perdas. Isso poderá facilitar o processo.

Em casos terminais, é possível antecipar o luto?
Quando uma pessoa querida está doente há muito tempo, passamos a ter uma consciência sobre isso e acabamos por aceitar o fato de que ela irá morrer. Por conta disso, vivemos o luto antes da hora. Mas isso não quer dizer que seja menos doloroso.

Como e onde a terapia do luto surgiu?
Este tema começou a ser abordado com frequência a partir da década de 1970, quando diversas pesquisas foram realizadas. Foi então que se identificou que o luto tem aspectos específicos que devem ser trabalhados para que o processo se complete satisfatoriamente.

Quais os conceitos da terapia do luto?
Ela pode ser vista como um processo de transição, em que o indivíduo passa a enxergar a pessoa falecida e os sobreviventes como parte do ciclo de vida e a reconhecer a finalidade da morte como a continuidade da vida. O objetivo deste tratamento é ter um espaço para que ele possa expressar seus sentimentos e sofrimentos. 

Nele, o paciente aprende a lidar com a falta da pessoa querida, reconhecer bons momentos e redescobrir a alegria e o sentido da vida. Em alguns casos, como os de pais que perdem seus filhos, por exemplo, ele contribui para que retomem o cuidado com os filhos que ficaram e ajuda a família a falar sobre a dor, mantendo a união e a transparência. 

Além de prevenir situações de perdas secundárias ao luto como, por exemplo, uma separação conjugal.

Qual a duração das sessões?
Normalmente é de 1 hora. Se feita em grupo pode levar cerca de 1h30. Em média, são necessárias de 10 a 12 sessões. Às vezes menos ou mais, isso depende de cada um.

A terapia pode ser aplicada em pessoas que têm parentes com alguma enfermidade grave?
O luto antecipado pode ser tão perturbador e doloroso para a família quanto a morte efetivamente, já que os familiares têm de lidar com uma situação de ameaça prolongada, temendo a tragédia e ao mesmo tempo lutando para manter a esperança. 

Esta situação envolve uma gama de respostas antecipadas que podem incluir ansiedade de separação, solidão, tristeza, desapontamento, raiva, ressentimento, culpa, exaustão, desespero, entre outros.

As consultas são realizadas em consultório? 
Este tipo de terapia é encontrado tanto em consultório como em instituições. Porém, existem poucos profissionais da saúde com esta especialização ou aperfeiçoamento. Vale lembrar que um psicólogo (sem esta especialização) também pode colaborar no tratamento de crises.

Busque ajuda 
Conheça algumas instituições que disponibilizam apoio psicológico para indivíduos que enfrentam o luto. 
São Paulo 
Universidade Federal de São Paulo
(11) 5084.4698 / www.unifacunifesp.com.br 
4 Estações Instituto de Psicologia  
(11)3891.2576 / www.4estacoes.com
Rio Grande do sul
Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
(51) 3320.3561 / www.pucrs.br
Minas Gerais
API Matriz
(31) 3282.5645 / www.redeapi.org.br

Créditos: revistavidanatural
Lucy Maira Arantes, psicoterapeuta de São Paulo. 
Imagem: Reprodução

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Só se vê bem com o coração

Recordo o  mais lindo livro que li na adolescência: “O Pequeno Príncipe”. 

Foi escrito e ilustrado por Antoine de Saint-Exupéry um ano antes de sua morte, em 1944. Piloto de avião durante a Segunda Grande Guerra, o autor se fez o narrador da história, que começa com uma aventura vivida no deserto depois de uma pane no meio do Saara. 

Certa manhã, é acordado pelo Pequeno Príncipe, que lhe pede: "Desenha-me um carneiro"? É aí que começa o relato das fantasias de uma criança como as outras, que questiona as coisas mais simples da vida com pureza e ingenuidade. 

O principezinho havia deixado seu pequeno planeta, onde vivia apenas com uma rosa vaidosa e orgulhosa. Em suas andanças pela Galáxia, conheceu uma série de personagens inusitados, talvez não tão inusitados para as crianças!

Um rei pensava que todos eram seus súditos, apesar de não haver ninguém por perto. Um homem de negócios se dizia muito sério e ocupado, mas não tinha tempo para sonhar. Um bêbado bebia para esquecer a vergonha que sentia por beber. Um geógrafo se dizia sábio mas não sabia nada da geografia do seu próprio país. 

Assim, cada personagem mostra o quanto as “pessoas grandes” se preocupam com coisas inúteis e não dão valor ao que merece. Isso tudo pode ser traduzido por uma frase da raposa, personagem que ensina ao menino de cabelos dourados o segredo do amor: “Só se vê bem com o coração. O essencial é invisível aos olhos”.

Via os adultos como pessoas incapazes de entender o sentido da vida, pois haviam deixado de ser a criança que um dia foram. Entendia que é difícil para os adultos (os quais considerava seres estranhos) compreender toda a sabedoria de uma criança.

Desta fábula foram feitos filmes, desenhos animados, além de adaptações. Muitos adultos até hoje se emocionam ao lembrar do livro. Talvez porque tenham se tornado “gente grande” sem esquecer de que um dia foram crianças.

Ele escreveria que "durante séculos e séculos a minha civilização contemplou Deus através dos homens. O homem era criado à imagem de Deus. Respeitava-se Deus no homem. 

Esse reflexo de Deus conferia uma dignidade inalienável ao homem", para concluir que "as relações do homem com Deus serviam de fundamento evidente aos deveres de cada homem consigo próprio ou para com os outros".

Créditos: Antoine de Saint-Exupéry - (San)
              Imagem:  Reprodução

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Como dormir melhor

Controlar o ritmo das horas é uma das maravilhas da função cerebral. Sinais que partem do tecido cerebral controlam o ritmo diário das reações metabólicas essenciais para o funcionamento harmonioso do organismo. 

Os neurônios responsáveis pelo controle das reações fisiológicas fundamentais estão concentrados numa região do cérebro conhecida como núcleo supraquiasmático.

Estudos conduzidos em ratos mostram que o ritmo básico gerado nessa área do sistema nervoso é mantido silenciosamente em ciclos de 24 horas, pela alternância de luz e escuro que o animal experimenta durante o dia e a noite. 

Do ponto de vista evolucionista esse mecanismo é arcaico, pode ser encontrado mesmo nas bactérias.

As vicissitudes da vida moderna, no entanto, podem subverter essa ordenação de funcionamento que a evolução preservou durante bilhões de anos.

Dormir oito horas por noite é um luxo de poucos nas grandes cidades. O telefone que toca sem cerimônia até altas horas, o filme na tevê, as crianças acordadas até tarde, os programas noturnos, o trabalho que levamos para terminar em casa e os compromissos logo cedo colaboram para que o intervalo de tempo reservado para o sono seja cada vez mais curto no mundo moderno.

Trabalhos experimentais demonstram que o sono nos mamíferos é fundamental para o combate eficaz às infecções, para que o cérebro processe informações, armazene memórias e elabore estratégias essenciais à sobrevivência da espécie.
As pessoas que não dormem o suficiente sentem falta de energia para as tarefas diárias, ficam deprimidas ou irritadiças, queixam-se de dificuldade de concentração, apresentam maior frequência de doenças infecciosas, acidentes automobilísticos e envelhecem mais rapidamente.

Há evidências consistentes que a privação de sono também aumente o risco de diabetes, hipertensão arterial, doenças cardiovasculares e obesidade. Por outro lado, os adultos que dormem mais que sete, oito horas por dia enfrentam problemas semelhantes aos que dormem menos que o necessário.


O número de horas de sono ideal para reparar as energias gastas em vigília costuma ser em média de seis a oito horas por dia. Enquanto para alguns cinco horas por noite são suficientes para enfrentar as tarefas diárias, outros passam o dia cansados se não dormirem nove ou dez. Como regra os mais velhos necessitam de menos horas de sono que as crianças e os adolescentes.

A verdade é que os especialistas não conseguem entrar em acordo sobre quantas horas cada organismo precisa para repousar adequadamente. A maioria, entretanto, concorda com as três regras seguintes:

1. Dormir o suficiente para passar o dia inteiro sem sentir sono.
2. Dormir até acordar sem necessidade de despertador.
3. Dormir o número médio de horas que costumamos dormir depois de alguns dias de férias (levar em conta que nos primeiros dias sem compromissos podemos dormir mais que o necessário).

Como dormir melhor
Evite cafeína, nicotina e álcool nas últimas horas do dia.
Não faça refeições exageradas antes de deitar.
Procure deitar no mesmo horário, mesmo nos fins de semana.



Procure fazer exercício físico durante o dia, mas evite fazê-lo à noite.
Mantenha o quarto arejado e numa temperatura agradável.
Use a cama apenas para dormir e fazer sexo.
Faça exercícios de relaxamento ou tome banho quente antes de deitar.


Só use pílulas para dormir em caso de absoluta necessidade e sob orientação médica.
Evite dormir durante o dia. Se for muito necessário faça-o por períodos de no máximo uma hora, antes das três da tarde.


Se estiver deitado por mais de trinta minutos sem conseguir pegar no sono, saia da cama e vá ler um livro sob a luz de um abajur em outro cômodo.
Não assista à tevê no quarto de dormir.

Autor: Dr. Drauzio Varella
Imagem: Reprodução

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Pele bem hidratada

Por Dra. Eliandre Palermo

1- Qual a importância de se ter uma pele bem hidratada?
A pele é a primeira barreira do nosso organismo com o meio externo. As células da pele produzem uma secreção natural denominada de manto hidro-lipídico que promovem a adequada hidratação da pele. 

Essa lubrificação natural, produzida constantemente pela pele, protege a pele de ressecamentos, irritações, envelhecimento precoce e até de infecções. Algumas das substâncias produzidas combatem possíveis bactérias que possam infectar a pele. 

Por isso alguns ferimentos, principalmente nas mãos, têm maior chance de infectar e demoram mais a cicatrizar que em outros locais, de pele menos seca. 

Tanto as peles do rosto quanto do corpo necessitam de uma hidratação adequada, porém, no inverno, é no corpo que percebemos um ressecamento maior. Isso porque na face temos mais glândulas sebáceas do que no corpo, e elas participam ativamente da manutenção desta hidratação natural. 

Além disso, no inverno os banhos são mais demorados, a água é mais quente, e associado a isso temos ainda o uso de sabonetes e buchas que acabam por retirar ainda mais a lubrificação natural da pele e favorecem o ressecamento e o surgimento de dermatites.


Devemos, portanto evitar o uso excessivo de sabonetes, buchas, banhos muito quentes e prolongados, e abusar dos hidratantes corporais. Já os hidratantes faciais, mesmo no inverno devem seguir a orientação do tipo de pele de cada pessoa e se possível associar com filtro solar.

2- A partir de que idade uma mulher deve começar a passar cremes anti-sinais? Como deve ser feito o uso dos cremes mais específicos, como os anti-sinais, anti-olheira. O hidratante nesse caso vem antes ou depois?
A idade que importa é a idade que a pele aparenta. Vários fatores podem transformar uma pele jovem em uma pele envelhecida precocemente, entre eles: sol, cigarro, stress, alterações hormonais, medicamentos, má alimentação. 

O principal vilão sempre foi o sol, porém estudos recentes apontam o cigarro como o principal agente de envelhecimento precoce, por ação direta sobre as fibras elásticas e de colágeno da pele.
De modo geral indico usar o hidratante antes do creme de tratamento.


Hoje o conceito moderno de cosméticos hidratantes é associar aos cremes hidratantes os produtos de tratamento específicos para rugas, manchas, olheiras, flacidez e nos cremes de uso diurno, não pode faltar o protetor solar.


Até os 25 anos, normalmente, um bom hidratante com filtro solar pode ser suficiente, porém se a pessoa apresenta tendência a manchas ou olheiras, os tratamentos específicos com cremes clareadores já podem ser aplicados. Dos 25 aos 35 anos, o uso de cremes para prevenção e até tratamento de rugas aumenta e um arsenal de produtos anti sinais entra em campo: anti oxidantes, vitaminas, firmadores, clareadores, nutritivos e outros. 


A partir dos 35 anos em diante os tratamentos com cremes podem ser associados a procedimentos como: peelings, preenchimentos, toxina botulínica, laser, cirurgias.

3- Qual a diferença entre hidratantes em forma de creme e de gel?
Os hidratantes em gel são indicados para peles oleosas ou mistas, pois não apresentam oleosidade em suas formulações. 

Uma pele pode ser oleosa e estar ressecada, ou ter tendência a formar comedões( cravos) nestes casos os melhores produtos são os géis e as loções oil-free. 

Existe atualmente o soft-gel, são produtos sem oleosidade, muito leves, parecendo um creme na sua textura, apesar de ser um gel .
Já os hidratantes em creme são mais indicados para peles normais ou secas.

4- É verdade que todos os produtos para o rosto devem ser espalhados no pescoço, no colo e nas mãos também?
Não, alguns produtos contendo ácidos podem ser bem tolerados no rosto e nas mãos e provocar irritações no pescoço. O colo e o pescoço são áreas muito mais sensíveis e devem ter produtos específicos.

5- Quem usa base hidratante diariamente pode deixar de usar cremes hidratantes?
Depende. Algumas bases hidratantes são muito boas, porém alguns tipos de pele podem precisar de cuidados especiais principalmente as peles mais envelhecidas.

 6- A pele que é naturalmente seca pode, por algum motivo, transforma-se em oleosa?
Pode. Tanto fatores internos, como alterações hormonais ou fatores externos como uso incorreto de cosméticos podem fazer uma pele seca tornar-se oleosa. Porém essa transformação é normalmente temporária e passível de tratamento.

7- Quais as principais características das peles secas, normal, oleosas e mistas? Como você descreveria cada uma delas?
Pele seca: apresenta poros fechados, pele sem brilho às vezes com descamação fina, maior tendência ao aparecimento precoce de rugas, em mulheres acima de 40 anos, a pele pode passar de normal a seca indicando a diminuição dos hormônios femininos.


Pele mista: apresenta normalmente poros dilatados no nariz, testa e mento tendo uma oleosidade mais intensa nesta área e leve tendência a formar cravos (zona T). Na região das bochechas, pele normal ou seca, aparecimento de rugas variável.


Pele oleosa: apresenta normalmente poros dilatados frequentemente associado à acne em algumas áreas e excesso de oleosidade na zona T. Comum em pacientes mais jovens. Tem menor tendência ao aparecimento de rugas e linhas de expressão.


Pele normal: apresenta poros fechados, pele fina sem tendência a acne ou descamação. Tem um brilho natural e aspecto de pele hidratada sem ser oleosa. Aparecimento de rugas variável, mais na região dos olhos.

8- Em que idade se deve começar a usar cremes especiais para os olhos?
Depende do tipo de pele, as peles normais ou secas podem necessitar de tratamento mais precoce, é importante observar o enrugamento da região. 

Pessoas que enrugam muito o local, de pele e olhos claros, com problemas de visão têm maior propensão e podem iniciar o tratamento por volta dos 20- 25 anos de idade. Outras, porém só deverão se preocupar a partir dos 30 -35 anos.

9- Porque existem cremes especiais para a noite?
Os cremes de uso noturno são normalmente compostos com produtos que podem apresentar reação ao sol. Alguns podem conter ácidos ou substâncias irritantes que não devem ser expostos ao sol. Outros podem conter apenas hidratantes ou substâncias que vão ter uma boa absorção pela pele durante um período longo.


Imagem: Vila Mulher

10- Os cremes anti-rugas também são adequados para a prevenção de rugas?
Com certeza, mesmo os cremes de tratamento também previnem as rugas, o importante é adequar os produtos ao seu tipo de pele e idade.

11- Posso usar protetor solar no lugar do hidratante?
Se o protetor solar tiver hidratante não há problema.

12- Hidratação pode melhorar olheira?
A olheira normalmente está associada a alterações vasculares, hormonais, edema e pigmentação. Os hidratantes são importantes mas são não são específicos para olheiras.

13- Cremes perfumados fazem mal?
Somente para crianças ou para pessoas alérgicas.

Créditos: Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Aprenda a tomar banho frio

Quando alguém fala em tomar um banho frio, o que lhe vem à cabeça? 

A cultura brasileira acostumou as pessoas a tomar o banho com água morna ou quente, mas o banho frio traz alguns benefícios extras para quem consegue encará-lo.

Do mesmo modo que o banho quente ajuda as pessoas a relaxar, o banho frio pode dar aquela injeção de ânimo que de vez em quando precisamos tomar para despertar as idéias e retomar a disposição.

O uso do chuveiro elétrico é responsável por cerca de 25% do consumo residencial de eletricidade. Mas a conta de luz é apenas um dos benefícios do banho frio. A prática melhora a circulação sanguínea, revigora e fortalece o sistema imunológico, além de evitar o ressecamento dos cabelos e deixar a pele mais bonita.
 
Nuno Cobra, que é formado pela Escola de Educação Física de São Carlos e pós-graduado pela Universidade de São Paulo, também é autor do best-seller “A Semente da Vitória”, nos ensina como tomar um agradável banho frio.

A água exerce um fator muito importante para a saúde. Um banho sempre cai bem quando estamos desanimados, cansados ou estressados, pois relaxa, traz conforto e energia.
Por uma  questão cultural, quando se fala em tomar banho, vem à nossa cabeça aquele banho bem quente, tão desejado, principalmente no inverno. 

Vou falar sobre a importância do banho frio. Ele é tido como desagradável. Mas o choque térmico provocado pela água fria é muito revitalizador.

Choque com água: grande benefício
O objetivo do banho frio é justamente esse choque com a água fria. Banho frio não é para ficar embaixo da água e deixar baixar a temperatura do corpo, correndo o risco inclusive de se pegar um resfriado. 

O choque de temperatura vai ‘exigir’ do organismo uma formidável reação que promoverá bem-estar. Isso acontece porque o choque produz endorfinas, vaso constrição, ativa o metabolismo e o funcionamento de todos os órgãos. Privilegia o cérebro e deixa o corpo mais ‘acordado’ e  ‘lúcido’, pronto para a ação.

Benefícios do banho frio
- Revigora, estimula os órgãos, eleva todas as funções orgânicas, em consequência, seu nível de saúde.
- É um afrodisíaco, deixa corpo pronto para ação.
- Se tomado corretamente, aumenta o sistema imunológico prevenindo gripes e resfriados, caso esteja resfriado ou gripado evite o banho frio.
- Eleva a auto-estima, traz benefícios nos aspectos mental e emocional, inclusive por ter conseguido tomar um banho gelado num dia frio.
Como tomar o banho frio, principalmente no inverno:
Existe uma técnica para se tomar o banho frio e não trazer consequências negativas, principalmente no inverno ou nos dias frios.  Já que ele pode e deve ser tomado durante todo o ano.

Banho frio em três fases  
Primeira fase: abra a ducha no máximo. É claro que o choque inicial com a água fria não é nada agradável, por isso é necessário entrar de uma só vez embaixo do chuveiro. Isso deve ser feito repentinamente e com decisão. 

Você vai perceber que o choque inicial é rápido e que o organismo 'responde' de forma decidida a essa entrada. Você joga a água no peito, indo para o ombro esquerdo e direito. Perceberá num segundo momento, que ela não estará tão fria. Vire-se então para a água atingir suas costas e o quadril, saia rapidamente e desligue o chuveiro.

Segunda fase:
ensaboe vagarosamente todo o seu corpo. Após essa tarefa, faça uma massagem com uma bucha nas costas, braços, peito e abdome. Em seguida, abra o chuveiro e se lance embaixo dele decididamente e fique somente o tempo necessário para retirar o sabão. Você irá perceber que a água estará mais agradável.

Terceira fase: sem desligar o chuveiro, saia dele e faça mais umas duas ou três entradas na água. Você verá que a água estará apenas estimulante e não mais tão fria. 
Irá perceber enquanto esfrega a toalha vigorosamente nas costas, braços e tórax uma sensação muito boa e não sentirá mais frio.  Ao contrário, o ambiente frio antes do banho estará extramente agradável e até aquecido.   

Cuidados com o banho frio no inverno
Entradas no chuveiro: todas as entradas no chuveiro desde a primeira fase não devem passar de 30 segundos, para evitar um possível resfriado.
Cabeça: nas primeiras vezes não se deve molhar a cabeça, para evitar que uma área muito grande do corpo se resfrie.

Após o banho
Coloque um pijama quente, uma meia de lã e deite na cama. Essa ‘horizontal’ irá completar o prazer. Aquecido, feche os olhos e curta esse bem-estar. Fique alguns minutos na cama. Em seguida, coloque sua roupa, se agasalhe e terá um dia muito mais produtivo com bem-estar, felicidade e uma sensação de vitória. 
Bambamel Natural 

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Mulher - fragrância da flor

A mulher é como um frasco de perfume, moldado pelos padrões estéticos e sempre cultuando uma beleza incansável. O frasco é feito de vidro e a mulher de carne e osso. 

Ambos, material nobre, no entanto, frágil. No interior do frasco encontramos uma essência, um perfume. No interior da mulher, encontramos, também, uma essência: a alma feminina.

Para o antigo Egito, o perfume, algo etéreo, imaterial e impalpável, era considerado sagrado, pois, representava a alma, um meio sublime de comunicação com o divino. O perfume entra no interior do nosso corpo pelo ar, através da inspiração e sentimos seu efeito a nível cerebral, quase como um sopro sobrenatural.

A captação da fragrância da flor em forma estável foi um processo alquímico que colocou o homem em contato com a parte mais preciosa do vegetal: sua essência. Foi um trabalho difícil, assim como também é difícil entrar em contato com a alma feminina.

Há fases em nossa vida, que nos sentimos assim como um frasco em que há muito tempo acabou o perfume. Existimos, mas sem nossa essência. Sentimos um vazio, uma falta de significado para tudo. Podemos achar que não somos amadas ou que perdemos a capacidade de amar.

Isso acontece por que deixamos de cultuar a nossa alma feminina. É como se deixássemos evaporar o perfume, a essência do nosso ser. As vezes, levamos uma vida agitada, atordoada de compromissos, repleta de maus tratos físicos e dos mais variados vícios. 



Vivemos numa cultura patriarcal em que se reverencia só o lado masculino.
Desta forma, vivemos sufocando nossa alma feminina, para nos submeter às regras do mercado de trabalho e às estruturas sociais. O pensamento, o julgamento e a racionalidade tornam-se os fatores dominantes, enquanto que o relacionamento, o afeto, o carinho e o respeito pela natureza são negligenciados.

Perdemos nosso perfume e ficamos como frascos vazios perambulando pelo mundo, sem a criatividade, sem a vitalidade do amor, da beleza e da renovação espiritual. Aspectos essenciais do feminino que não podem ser restabelecidos através de cirurgias plásticas ou banho de lojas. 

Recuperar nossa essência é mergulhar em nossas lembranças de infância, em nossos sonhos de adolescentes, em nossos mais profundos desejos e receios. É conhecer, profundamente, o nosso próprio ser.

Não precisamos mudar o sistema social em que vivemos, mas não podemos permitir que ele altere a nossa natureza feminina. Não precisamos competir com os homens, nem adotar qualidades masculinas. Precisamos conviver bem com o nosso feminino em essência.

Assim como o perfume, nossa alma feminina é etérea, imaterial e impalpável. Mas podemos senti-la, podemos reverenciá-la e, assim, nossa vida deixará de ser insegura e submetida a um sentimento de inferioridade em relação ao masculino. A mulher moderna que permitir se auto-conhecer e cuidar de si mesma, manterá seu frasco repleto da essência feminina e estará preparada para viver a vida intensamente. 

Créditos: Wania Prado (Psicóloga).

terça-feira, 6 de setembro de 2011

Os malefícios do glúten

"Não contém glúten". Quantas vezes não lemos essa frase em embalagens de alimentos como pães, biscoitos, bolos, bolachas e massas? 

Apesar da grande frequência com que esse aviso aparece, o glúten ainda é encontrado em uma infinidade de outros produtos industrializados que também consumimos. 

Saber quais os cuidados ao ingerir esses alimentos é importante tanto para pessoas que possuem intolerância à substância, a chamada doença celíaca. 

Quanto para quem não possui, já que o glúten traz algumas mudanças em nosso organismo. A seguir, você confere o que especialistas recomendam sobre esse consumo:

O que é o glúten?
O glúten nada mais é do que uma proteína de tamanho grande, formada por duas proteínas menores chamadas gliadina e glutenina. Ele é encontrado junto ao amido, em cereais como trigo, centeio, aveia, cevada, triticale e malte. Todos os alimentos derivados desses grãos, como farinha de trigo, cerveja e uísque, também possuem glúten em sua composição.  

Essa substância possui diferentes finalidades na produção dos alimentos. No processo de fermentação do pão, por exemplo, o glúten contido na farinha de trigo é responsável pela permanência dos gases no interior da massa, fazendo com que o pão aumente de volume e não diminua após esfriar.


Assim como carne e alguns vegetais, o glúten pode ser usado como fonte de proteínas para o corpo. Quando é cozido, ganha uma consistência firme, parecida com a da carne vermelha, e pode ser servido sem nenhum outro ingrediente além de temperos. Normalmente, em restaurantes vegetarianos, o caldo de glúten cozido é usado para dar mais gosto ao prato. 
O glúten não faz mal para pessoas sem a doença celíaca, pois pessoas "não doentes" não sofrem as reações químicas que danificam o intestino. Há alguns relatos de pessoas que se sentem com distensão abdominal ao consumir grande quantidade de alimentos ricos em glúten, mas esse sintoma não tem nada a ver especificamente com essa proteína.


O problema em consumir alimentos que possuem glúten não está nessa proteína em si, mas sim nas outras características desses alimentos. As opções ricas em glúten são bastante energéticas. Como a energia é armazenada no corpo em forma de gordura, o consumo exagerado desses alimentos pode levar ao aumento de peso, obesidade e posteriormente ao desenvolvimento de doenças cardiovasculares crônicas.


Pessoas não celíacas também podem ter reações ao ingerir esses alimentos, mas relacionadas a outros distúrbios. Muitos na verdade são alérgicos ao trigo, mas associam os sintomas dessa doença, como a urticária, à ingestão de glúten, o que é totalmente incorreto. 

O que é doença celíaca?
Uma pessoa diagnosticada com doença celíaca não pode comer nenhum tipo de alimento que contenha glúten. Indivíduos com essa doença, tem uma reação anormal à ingestão de glúten. O corpo acaba liberando substâncias como a citosina, que danifica e atrofia a parede do intestino delgado. Se não houver um acompanhamento ou um controle da alimentação, essa doença pode levar à morte.


O sintoma mais clássico dessa doença é a diarreia crônica, causada pela inflamação no intestino delgado, que passa a apresentar falhas na absorção dos nutrientes. Além disso, os celíacos podem apresentar déficit no crescimento, atraso menstrual, esterilidade, aftas recorrentes e dificuldades para tratar anemia, já que o intestino não consegue absorver o ferro. 

É importante ressaltar que, após o aparecimento desses sintomas, a pessoa não deve parar de comer alimentos que contenham glúten por conta própria. Essa ação pode prejudicar ainda mais o organismo. Só um profissional, depois de fazer uma biópsia do intestino, pode fazer o diagnóstico da doença e indicar uma dieta adequada.

É bem provável que o médico indique alimentos que podem ser usados como substitutos do glúten. Opções feitas com farinha de arroz, fécula de batata, quinua, milho e mandioca são ótimas alternativas. Esses alimentos, assim como o trigo, a centeia e a aveia, são ricos em fibras e proteínas.

Créditos: minhavida.com.br

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Os chás e suas funções

AlcachofraArtemísia alba: contém muito ferro e cálcio. Repõe os sais  minerais do organismo. Usam-se as folhas da base da planta. 

O chá é tônico, diurético, preventivo e curativo das afecções do fígado, da bílis estômago, rins e bexiga. 

Útil nos casos de diabetes, colesterol elevado. Arteriosclerose, tireoide  hipertensão, asma, afecções dos pulmões e doenças de pele. Evitar o chá na lactação.

Arruda Ruta graveolens: a arruda contém propriedades tóxicas. Evitar na gravidez. É normalizadora do ciclo menstrual. Boa para dor de cabeça, dor de dente e de ouvido (amassar um galhinho com um pouco d’água, ou um chumaço de algodão junto ao ouvido ou no dente). 

Também para gases, incontinência da urina, fraqueza dos vasos sanguíneos, calmante e como antiinfecciosa. Para ressacas, embriaguês e indigestão.

Alecrim - Rosmarinusofficinalis: toma-se o  chá das folhas para clorose, inapetência, histeria, nervosismo, indigestão, tosses, bronquites e asma. 

Provoca suor, é depurativo do sangue, tônico para o coração e anti-reumático, é usado também para banhos de pele e do cabelo e para caspa.

BabosaAloe vera: toma-se em jejum durante uma semana para males do fígado, icterícia, prisão de ventre, bílis e estômago. O sumo triturado com mel é usado para bronquites e certos tipos de câncer. O uso interno deve ser evitado para gestantes, por quem sofre dos ovários, bexiga, hemorróidas e rins. 

Usa-se o líquido externamente para reumatismo, varizes, hemorroidas , doenças da pele, tumores, queimaduras e para prevenir rugas e flacidez. Embeleza e fortalece o cabelo, evitando a queda e a caspa.

BardanaArctium lappa: é depurativo e diurético. Serve para bronquite, cachumba, cálculos biliares e da bexiga, cólicas hepáticas, gastrite, pólipos. O chá da raiz é usado em intoxicações, afecções internas, afecções da pele, dermatoses, furúnculos. Lavar o couro cabeludo evita a queda e revitaliza os cabelos. Com a folha aquecida e banha se faz compressas para reumatismos, eczemas e feridas.

Boldo: falso boldoColeeus barbatus: o chá das folhas é usado para problemas digestivos, do fígado, estômago, intestino e azia. Serve para curar a ressaca por excesso de bebida. 

Aplicado externamente também combate o reumatismo, a hidropsia e problemas de pele.

Boldo-graudoVernonia condensata: o chá de uma ou duas folhas por xícara, em decocção ou infusão se usa para distúrbios do fígado, para bílis, vesícula, contra dores de cabeça e ressacas alcoólicas.

Caatinga-de-mulataTanacetum vulgare: o chá é utilizado para perturbações digestivas, icterícia, inflamações nos olhos, dores de dente; é diurético, provoca menstruação. Não usar durante a gravidez. Útil para fazer banhos em problemas de reumatismo, erisipelas e para estancar o sangue. A flor é vermífuga.

Capim-limãoCymbopogon citratus:  o chá é usado como digestivo, para gases, reumatismo e  dores nos músculos, como calmante, nas ansiedades, para baixar a febre e provocar suor. Abaixa a pressão!

CarquejaBaccharis crispa: o chá das raízes é diurético, indicado para combater azias, males do fígado, sinusites, doenças da pele e venéreas.

CavalinhaEquisetum arvense: é rica em minerais. O seu chá fortalece o organismo todo, combate tuberculoses, hemorragias internas, problemas de bexiga, de incontinência urinária, de rins e úlceras gástricas. É cicatrizante, regenerando rapidamente os tecidos. Bom para próstata, osteoporose, perda de sangue no nariz, boca, e também para celulite.

ConfreiSinphytum officinale: usado internamente possui várias propriedades mas limita-se ao uso externo das folhas, sua inclusão em formulações de medicamentos é proibida no Brasil, necessitando ainda muitas pesquisas em seres humanos. Os rizomas secados ao sol são indicados para cicatrização de feridas e fraturas, para rachaduras na pele, nos seios, no ânus, para lavar feridas varicosas, úlceras, queimaduras, psoríase e outras inflamações.

Quebra-pedraPhyllanthusnururi: as folhas em infusão, 3 xícaras ao dia, servem para eliminar cálculos renais, para problemas de inflamação dos rins, bexiga e fígado, vesícula, ácido úrico, amarelão (hepatite) e diabete. Podem ser usadas folhas e flores.

Gengibre Zingiber officinalis: a raiz é usada em infusão para casos de gripe, resfriados, tosses, catarro, rouquidão, bronquite e afonia, para fraqueza do estômago, cólicas e gases presos. Também com a raiz faz-se compressas para dores reumáticas e nevralgias.

HortelãMentha spp: digestão, gases, cólicas, náuseas, como calmante dos nervos, insônia, para bílis, amarelão e como expectorante. O sumo das folhas pode ser aplicado com algodão em nevralgias, dores de dente  e de cabeça, picadas de insetos, e tomados durante vários dias com mel funciona como vermífugo.

LaranjeiraCitrus aurantiu: a flor da laranjeira em maceração tem função contra espasmos, nervosismo e insônia e com mel aplicada no rosto, funciona como antiinflamatória e bactericida, livrando a pele de impurezas. 

As folhas também são calmantes e combatem a insônia, febres, gripes e resfriados. O bagaço e a  parte branca cura a prisão de ventre. Comer laranja em jejum estimula as funções do fígado e da bilis. Previne as doenças degenerativas por falta de vitamina C e ajuda na assimilação do cálcio.

Malva Malva parviflora: os vários tipos de malva, raiz e folhas, servem para qualquer tipo de infecção, de inflamação: boca, garganta, laringe faringe, olhos, ouvidos, estômago, úlceras, rins, bexiga, ovários, nervos, hemorróidas, para mau hálito, em picadas de insetos e como cicatrizante.

ManjeronaOriganum majorana: as folhas trituradas com banha ou óleo, aplicadas em cataplasma na barriga das crianças, ajuda a expelir os gases e acalma as cólicas, aplicadas no nariz desprendem o catarro. O mesmo procedimento para dores reumáticas. Como tempero facilita a digestão, abre o apetite e evita gases e cólicas.

Mil-em-rama, pronto-alívioAchillea millefolium: usada tanto raiz como partes aéreas. Indicado em hemorragias internas e externas: uterinas, dos pulmões, de hemorróidas, feridas, úlceras queimaduras e varizes. É analgésica, para cólicas, dores de estômago, de dente e cãibras. É antiinflamatória, para bexiga, incontinência urinária, rins, intestinos, baixar a febre e abaixa a pressão!

Pariparoba  – Piper dilatatum: o chá das folhas têm ação sobre o estômago, fígado, baço e pâncreas, úlceras, reumatismos e hemorróidas. Tem ação antiinflamatória e cicatrizante. Alivia crises de bronquite e asma. As folhas podem ser colocadas sobre feridas e tumores e a raiz nos casos de dor de dente.

Pulmonária Sthachys byzantina: uma colher de folhas frescas picadas, para uma xícara em infusão é remédio para asma, tosse e obstrução das vias respiratórias. Externamente cura feridas.

Milho (cabelo de milho) – Zea mays: o cabelo do milho novo, fresco ou seco, em infusão purifica o sangue, sendo poderoso diurético, desinflama e combate infecções da vesícula dos rins e da bexiga, elimina o ácido úrico, dissolve areias e cálculos renais e diminui dores. Baixa a pressão! Secar ao sol e guardar dentro de um pote de vidro, bem tapado.

SalviaSalvia officinalis: além de tempero serve para o corpo e a mente. Usam-se as folhas e flores. Combate depressão, fraqueza, diabete, colesterol, males da menopausa, dificuldade de digestão, menstruação dolorosa, tosse e catarros; é estimulante, analgésica, antiinflamatória e tônica em geral. 

Clareia e limpa os dentes com as folhas, alivia o mau hálito, escurece os cabelos e provoca excesso de suor. Em gargarejo serve para aftas, gengivites, inflamação da garganta e laringite. Não aconselhável na lactação e gestação.

Tanchagem, TansagemPlantago major: usam-se as folhas, sementes e raiz. Ação antiinflamatória, cicatrizante, diurética, tônica e depurativa, indicada para limpeza das vias respiratórias (fumantes), gripes, como expectorante, diarréias, inflamações nos rins e estômago. 

Em gargarejos funciona como antibiótica, bactericida e antiinflamatória para a garganta, ouvidos, em casos de gengivite, piorréia, laringite, amigdalite, lavagem de feridas, tumores, doenças da pele, infecções nas partes genitais, dores no bico dos seios e inflamação dos olhos.

Créditos: livro "ervas & plantas" - A Medicina dos Simples


           "As plantas que curam"
Imagem: Reprodução

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Cintura fina

Emagrecer sempre é difícil, e mesmo assim muitas vezes a cintura ainda não fica fina. 

Mas, existem algumas dicas e truques que ajudam a modelar a cintura. Veja só como fazer isso e abusar de vestidos, cintos e biquínis.

Cintura fina sem emagrecer é bem difícil. Por isso, controle seu peso, e tome muitas bebidas diuréticas (como chás) que tiram o inchaço da barriga.

Diariamente, use uma cinta modeladora na região da cintura. Compre sempre uma bem apertada (mas que não a machuque) e use pelo menos por umas cinco horas.
Para um resultado ainda mais eficaz da cinta, antes de colocá-la passe na região do abdômen um produto cosmético com ativos redutores de gordura e celulite.

A massagem modeladora e a drenagem linfática manual são excelentes para afinar a cintura. Procure uma esteticista de qualidade, e faça pelo menos 10 sessões. O resultado é incrível.

Em casa, diariamente, após o banho passe cremes para reduzir gordura e massageie bem a região da barriga. Faça movimentos sempre de cima para baixo, como se puxasse a gordura para a região da virilha (assim, você está drenando para a eliminação da gordura pela urina). 

Lembre-se que caminhadas e exercícios que fazem você se mexer, são os melhores aliados para queimar gordurinhas da cintura. Faça exercícios pelo menos 3 vezes por semana.

Créditos: aurelio.net
Bambamel Natural

Postagens Relacionadas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...