segunda-feira, 28 de maio de 2012

Planeta Terra – um presente de Deus!

Recebi por e-mail. Que espetáculo!
A raça humana necessita do seu planeta. Dele dependemos
completamente, uma vez que a partir dele evoluimos, permanecendo
sua parte para sempre, e apenas existimos por cortesia do
auto-sustentável Sistema Terra.




Submersa na obscuridade do Universo a Terra é simplesmente encantadora.





 
Repare bem nesta foto do anoitecer na Europa e África num dia sem nuvens, tirada de um satélite em órbita.
Observe como as luzes já estão acesas em Paris e Barcelona, mas em Londres, Lisboa ou Madrid onde o dia ainda está claro. No meio do Oceano podem identificar-se os Açores, mais abaixo a Madeira, e mais além as Ilhas Canárias e Cabo Verde.

O mais impressionante é a visualização perfeita das Plataformas Continentais desde as Ilhas Britânicas ao Canadá e ao Centro a Islândia.

Estas primeiras fotos, de um satélite, mostram-nos o começo do anoitecer de um qualquer dia no Brasil.
A primeira foto dá-nos uma vista real e a segunda, através de um efeito de satélite, realça as luzes das cidades.

As outras duas, seguindo o mesmo esquema, mostram-nos o anoitecer na América do Norte, destacando-se a enorme quantidade de luzes nas cidades dos Estados Unidos.
Nas Caraíbas destaca-se a alta luminosidade de Puerto Rico, especialmente na área metropolitana de San Juan ao norte e em toda a sua linha costeira.


         







                                                          
                                                         Sul da Península                                                                  Ibérica
                                                         Norte de África
                                                         Ilhas Canárias
                                                        (tempestade de areia)

  



Estreito de Gibraltar









 Delta do Ebro



 


                                                               
                                                                          Os Alpes Suiços



 Islândia




                                                                                 Mar Negro




sexta-feira, 25 de maio de 2012

Ser transparente

Às vezes, fico me perguntando por que é tão difícil ser transparente… costumamos acreditar que ser transparente é simplesmente ser sincero, não enganar os outros. Mas ser transparente é muito mais do que isso.


É ter coragem de se expor, de ser frágil, de chorar, de falar do que a gente sente… Ser transparente é desnudar a alma, é deixar cair as máscaras, baixar as armas, destruir os imensos e grossos muros que insistimos tanto em nos empenhar para levantar…

Ser transparente é permitir que toda a nossa doçura aflore, desabroche, transborde! Mas infelizmente, quase sempre, a maioria de nós decide não correr esse risco. Preferimos a dureza da razão à leveza que exporia toda a fragilidade humana.

Preferimos o nó na garganta às lágrimas que brotam do mais profundo de nosso ser… Preferimos nos perder numa busca insana por respostas imediatas a simplesmente nos entregar e admitir que não sabemos, que temos medo!

Por mais doloroso que seja ter de construir uma máscara que nos distancia cada vez mais de quem realmente somos, preferimos assim: manter uma imagem que nos dê a sensação de proteção…

E assim, vamos nos afogando mais e mais em falsas palavras, em falsas atitudes, em falsos sentimentos… Não porque sejamos pessoas mentirosas, mas apenas porque nos perdemos de nós mesmos e já não sabemos onde está nossa brandura, nosso amor mais intenso e não-contaminado…

Com o passar dos anos, um vazio frio e escuro nos faz perceber que já não sabemos dar e nem pedir o que de mais precioso temos a compartilhar… Doçura, compaixão… A compreensão de que todos nós sofremos, nos sentimos sós, imensamente tristes e choramos baixinho antes de dormir, num silêncio que nos remete a uma saudade desesperada de nós mesmos… Daquilo que pulsa e grita dentro de nós, mas que não temos coragem de mostrar àqueles que mais amamos!

Porque, infelizmente, aprendemos que é melhor revidar, descontar, agredir, acusar, criticar e julgar do que simplesmente dizer: você está me machucando… Pode parar, por favor? Porque aprendemos que dizer isso é ser fraco, é ser bobo, é ser menos do que o outro. Quando, na verdade, se agíssemos com o coração, poderíamos evitar tanta dor, tanta dor…

Sugiro que deixemos explodir toda a nossa doçura! Que consigamos não prender o choro, não conter a gargalhada, não esconder tanto o nosso medo, não desejar parecer tão invencíveis…

Que consigamos não tentar controlar tanto, responder tanto, competir tanto… Que consigamos docemente viver… Sentir, amar…

Texto de Rosana Braga
É palestrante, jornalista, consultora em relacionamentos
e autora dos livros "O poder da gentileza" e "Faça o amor valer a pena", entre outros
.

segunda-feira, 21 de maio de 2012

Gota – tratamento natural

A gota é um tipo de artrite causada pela presença de cristais de ácido úrico nas articulações dos pés e das mãos. Ela se apresenta principalmente nos homens (95%).

A gota se manifesta por uma intensa dor nos dedos dos pés e das mãos. Podem se apresentar pedras do ácido nos rins.

A causa é um problema metabólico que se manifesta como um excesso de ácido úrico no sangue e depósitos de sais destes ácidos nos tecidos que circundam as articulações (principalmente dos dedos das mãos e dos pés), irritando essas áreas, fazendo com que elas se inflamem e produzem uma forte dor. 

Uma alimentação inadequada, as carnes vermelhas, a obesidade e os fatores hereditários, assim como o estresse são as causas dessa moléstia.

O tratamento mais comum consiste em:
Ingerir muitos líquidos
Submeter-se a um programa de redução de peso se for obeso
Eliminar carnes vermelhas e gorduras
Eliminar o consumo de bebidas alcoólicas
Eliminar os carboidratos refinados (farinha branca e açúcar branco)
Comer morangos, cerejas e “cranberry” (uva do monte) em quantidade
Recomenda-se ingerir as vitaminas A, B1, B2, B12, E e os minerais cálcio, ferro, magnésio, fósforo e potássio.

O Dr. Ludwig V. Blau descreve no “Texas Reporto n Biology and Medicine” os excelentes resultados que obteve ao receitar para seus pacientes portadores de gota 50 a 60 cerejas, morangos e “cranberry” diariamente, eliminando-se a dor e a inflamação das articulações. Esses produtos são ricos em flovonóides, que dão a coloração vermelho-azulada a esses frutos, além de deter a destruição do colágeno, que é substância das cartilagens e tendões.

Créditos: livro “Saúde e Bem Estar” – através de elementos naturais

sexta-feira, 18 de maio de 2012

É possível retardar o envelhecimento - Dr. Oz

Entrevista com cirurgião cardíaco
turco e cidadão americano dr. Mehmet Oz - São Paulo.


A especialidade do cirurgião cardíaco turco e cidadão americano Mehmet Oz, de 47 anos, é retardar ao máximo os efeitos da idade em seus pacientes. 

Diretor do Programa de Medicina Integrada da Universidade Columbia, em Nova York , ele é consultor da famosa clínica antienvelhecimento do médico Michael Roizen, criador do conceito de que é possível manter o organismo mais jovem do que aponta a idade cronológica. 

Nos últimos quatro anos, Oz se tornou uma celebridade ao participar de um quadro fixo no programa de TV da apresentadora Oprah Winfrey. Ele também apresenta documentários no Discovery Channel. 

Nos dois casos, dá dicas aos telespectadores sobre como viver mais com boa saúde. Esse é justamente o tema da entrevista que ele deu à Veja.
É autor de mais de 350 publicações e vários livros. Em maio de 2005 estava na lista do New York Times Bestseller.

Veja - Existe uma fórmula para se manter jovem por mais tempo?
Oz - Sim. Há catorze agentes principais envolvidos no envelhecimento. Sete retardam o processo, como os antioxidantes, e sete nos enfraquecem, como a atrofia muscular. É preciso manter esses agentes sob controle. 


O primeiro passo para alcançar esse objetivo é pensar não na possibilidade de ficar doente, mas na necessidade de manter o organismo saudável. Deve-se tirar o foco da prevenção dos males e direcioná-lo para a preservação da saúde. Se ninguém mais morresse de câncer e de doenças cardiovasculares, a expectativa de vida média do ser humano subiria apenas nove anos. 

Isso mostra que, para aumentar consideravelmente a expectativa de vida, não basta evitar doenças. É preciso cuidar do corpo para que ele não enfraqueça. Quando uma pessoa envelhece, doenças potencialmente fatais, como o câncer e o infarto, não aparecem de imediato. Antes que elas se instalem, o corpo torna-se mais frágil e vulnerável. 

Veja - O que fazer para evitar que o corpo se torne frágil e vulnerável?
Oz - Meu novo livro, "You Staying Young" (Você Sempre Jovem, ainda sem previsão de lançamento no Brasil), trata exatamente desse tema.
Os exercícios físicos são uma ferramenta essencial. Eles combatem o primeiro sinal do envelhecimento, que é a perda de força muscular. 

Outros recursos importantes são alimentar-se bem e meditar. Uma boa recomendação é a prática do tai chi chuan, exercício oriental que combina equilíbrio, coordenação motora e também meditação. Se todos adotassem essas medidas, a vida média da população poderia subir para 110 anos. 

Quanto à alimentação, não podem faltar nutrientes como o resveratrol da uva e o licopeno do tomate, que são poderosos antioxidantes. O principal, mas também o mais difícil, é controlar a quantidade dos alimentos. De qualquer forma, todo mundo deve comer um pouco menos do que tem vontade. 

Veja - Fazer várias pequenas refeições por dia, como recomendam alguns médicos, faz bem para a saúde?
Oz - Deve-se comer de três em três horas. Se o intervalo é maior, a taxa de hormônio grelina, que estimula a fome, começa a subir. O problema é que, após uma refeição, ainda demora trinta minutos para que a taxa desse hormônio volte a baixar. Em consequência disso, acaba-se comendo mais do que se deveria. 


O mais importante, além de comer alguma coisa a cada três horas, é trocar as refeições grandes por pequenas, intercaladas por lanchinhos. Esse conceito não foi criado por mim. É o que mostram as pesquisas científicas. 

Veja - O que o senhor considera refeições grandes e pequenas?
Oz - Uma refeição grande ultrapassa 1.000 calorias. Uma pequena tem, no máximo, 500. Quem consome por volta de 2 000 calorias diárias pode fazer duas refeições de 300 calorias cada uma e outra maior, de até 800. Os lanchinhos podem ter até 250 calorias. 


Veja - O que deve ficar de fora do cardápio?
Oz - Existe uma regrinha fácil de ser usada, a regra dos cinco. Para isso, é preciso examinar o rótulo dos alimentos. Cinco ingredientes não podem estar entre os primeiros listados no rótulo. São eles: gorduras saturadas, gorduras trans, açúcar simples, açúcar invertido e farinha de trigo enriquecida


Dois desses nutrientes são gorduras, dois são açúcares. Os dois tipos de gordura podem estimular processos inflamatórios no fígado que forçam a produção de substâncias deletérias, como o colesterol. Também fazem com que o fígado fique menos sensível à insulina, aumentando o risco de diabetes. 

Os açúcares listados fazem mal por estimular a produção de insulina, o que aumenta o depósito de gordura corporal. O pior é que esses cinco itens são os mais comuns nas dietas atuais. 

Veja - O cardápio básico do brasileiro, composto de arroz, feijão, carne e salada, é saudável?
Oz - A princípio, sim. Esse cardápio contém exatamente os nutrientes para os quais a digestão humana está preparada. Mas os brasileiros comem carnes muito gordas, o que é errado. Antigamente, no mundo inteiro, quando os métodos de criação do gado eram mais simples, a porcentagem de gordura dos melhores cortes da carne bovina era, em média, de 4%. Hoje é de 30%. 


Outro problema dos hábitos alimentares do brasileiro é que ele come arroz em excesso, o que não traz nenhum benefício. Melhor seria adotar o arroz integral. Os alimentos integrais têm mais fibras, o que os mantém mais tempo no intestino e diminui a absorção de açúcar pelo organismo. Uma vantagem dos brasileiros é ter à disposição enorme variedade de frutas e vegetais maravilhosos, por preço razoável. 

Veja - Os hábitos que o senhor propõe para prolongar a vida são relativamente simples, mas exigem controle estrito sobre as atividades do dia-a-dia. Como exercer esse controle?
Oz - A palavra-chave é automatizar. Ou seja, fazer desses hábitos uma rotina, sem precisar pensar muito neles. Acordar, escovar os dentes e passar o fio dental, para reduzir a quantidade de bactérias prejudiciais à saúde. 


Beber muito líquido ao longo do dia, principalmente água e chá verde. Dormir ao menos sete horas por noite. Durante o sono se produz o hormônio do crescimento, essencial mesmo para quem já é adulto, pois prolonga a juventude. Caminhar meia hora por dia e praticar exercícios que façam suar três vezes por semana. Meditar cinco minutos diariamente, o que pode estar embutido na prática de ioga ou tai chi chuan. 

Evitar alimentos que estejam na regra dos cinco, que mencionei anteriormente. Uma última coisa: estreitar o relacionamento com as pessoas próximas e abster-se de julgá-las. Em vez de julgar os outros, é melhor tomar conta de si próprio. 

Veja - Abster-se de julgar os outros ajuda a manter a juventude?
Oz - Sim, da mesma forma que resolver situações de conflito. O conflito não traz nada de positivo. É apenas desgastante. Costumo recomendar a meus pacientes que procurem as pessoas com quem mantêm uma relação de animosidade e tentem resolver o impasse. Essa é uma atitude para o bem-estar próprio. Não há nada de altruísta nela. É uma atitude egoísta. 


Veja - O que o senhor acha das dietas para emagrecer que surgem e viram moda a cada seis meses?
Oz - Essas dietas fazem sucesso, mas são péssimas para a saúde. A alimentação não deve ser encarada como uma maratona para a perda de peso. Uma dieta que tenha como chamariz o emagrecimento rápido não é confiável. Comer menos do que o corpo necessita é uma agressão à fisiologia. Ou seja, aos processos químicos que fazem o organismo funcionar. Quando a fisiologia é desprezada, os resultados das dietas são transitórios. 


Veja - Por que o senhor recomenda cuidados com o jantar?
Oz - Na verdade, há uma única regra a observar: deve-se jantar pelo menos três horas antes de dormir. Deitar logo após a refeição facilita o acúmulo de gordura, principalmente na cintura. Além disso, comer muito tarde prejudica o sono. 


Veja - O senhor recomenda beber muita água durante o dia. Quanto se deve beber exatamente?
Oz - Deve-se beber uma quantidade suficiente para que a urina esteja sempre clara. Isso varia de um dia para o outro. Em dias quentes, sua-se muito e, por isso, é preciso beber mais água. Para quem não abre mão da cafeína, sugiro chá verde. Em lugar de quatro cafezinhos por dia, beba quatro copos de chá verde. Essa bebida concentra muitos antioxidantes e nutrientes bons para a saúde


Veja - Muitos ambientalistas condenam o consumo de água engarrafada. Do ponto de vista da saúde, ela é melhor que a água da torneira?
Oz - Eu acho um erro beber água engarrafada. Há dois problemas principais com ela. O primeiro é que, se a garrafa plástica não for reciclada, pode contaminar os mares e os rios. Isso prejudica o meio ambiente e, indiretamente, a saúde. 


O plástico das embalagens vai parar nos peixes que comemos. O resultado é que 97% das pessoas apresentam resíduos de plástico no organismo, o que interfere no sistema hormonal. Esses resíduos estimulam os receptores de estrogênio, o hormônio feminino. Em excesso, o estrogênio pode causar câncer e outros problemas. 

As toxinas contidas no plástico também aceleram o envelhecimento. O segundo problema é que, como a água engarrafada não apresenta vantagens com relação à água da torneira, trata-se de um desperdício de dinheiro. 

Veja - O senhor recomenda exercícios físicos que provoquem suor. Exercícios leves são inúteis?
Oz - Essas recomendações visam à saúde cardiovascular. Para essa finalidade, apenas os exercícios moderados ou intensos, que fazem suar, apresentam benefícios. Mas os exercícios suaves e de baixo impacto têm valor. Mesmo a caminhada movimenta grandes músculos, como os das coxas e dos quadris, que consomem muita energia. Como o gasto calórico muscular é maior durante o exercício, a queima de calorias aumenta. 


Veja - Os suplementos vitamínicos são criticados em muitos estudos científicos. O que o senhor acha deles?
Oz - Eles são eficazes, mas prometem mais do que cumprem. Na verdade, os médicos saem da faculdade sem conhecimentos suficientes sobre os suplementos e são forçados a tirar suas próprias conclusões. De modo geral, uma suplementação só é necessária quando as vitaminas não são obtidas naturalmente com a alimentação. 


Por outro lado, acredito que determinadas vitaminas podem melhorar a qualidade de vida e a longevidade. Entre elas estão as vitaminas A, B, C, D e E, além de cálcio, magnésio, selênio e zinco. A vitamina D é importantíssima, pois previne câncer e osteoporose. Principalmente nos países mais frios, onde a exposição solar é restrita, os suplementos são essenciais. 

Veja - Além dos procedimentos já descritos nesta entrevista, o que mais o senhor faz para adiar o envelhecimento?
Oz - Minha receita principal de juventude é brincar com meus filhos. Também procuro descobrir coisas novas todos os dias. Aprendo ao conversar com os outros e, apesar de ser muito assediado para responder a perguntas, por causa de minha atuação na TV, prefiro perguntar, saber como é a vida das pessoas, como elas trabalham. Isso faz minha mente exercitar-se. 


Veja - Nos últimos anos, o aperfeiçoamento do tratamento clínico fez cair o número de cirurgias cardíacas. Essa é uma tendência em outras especialidades médicas além da cardiologia?
Oz - Sem dúvida. Os recursos clínicos tornaram-se mais eficazes tanto para a prevenção de doenças quanto para seu tratamento. Por isso, assim como na cardiologia, a cirurgia deixou de ser a primeira opção em outras áreas. Há poucos anos, quando o paciente machucava o joelho, ia direto para a sala de operação. 


Agora, ele vai para a sala de fisioterapia. Essa tendência também é evidente nos casos de diverticulite, uma inflamação do intestino, que passou a ser tratada com o consumo de fibras. O mesmo acontece com pacientes que apresentam doença arterial obstrutiva periférica. Antes eles iam para a faca. 

Agora, recebem como orientação deixar de fumar e caminhar. Mesmo que sintam dor num primeiro momento, essa é uma maneira de estimular o crescimento de novos vasos sanguíneos para substituir os danificados.

Veja - O senhor já esteve no Brasil. Como foi sua experiência no país?
Oz - Visitei o Brasil há muitos anos, quando ainda era estudante de medicina. Fui ao Rio de Janeiro e conheci o doutor Ivo Pitanguy. Também fiquei deslumbrado com as frutas brasileiras e com as lojas de sucos. 


Elas misturam frutas e outros vegetais, uma combinação pouco convencional. Conheci o açaí, que até hoje está no meu cardápio. Compro açaí em Nova York mesmo. É um dos alimentos com maior concentração de antioxidantes. 

Planejo voltar ao Brasil em meados do ano que vem para gravar um programa. Quero muito ir à Amazônia e conhecer as plantas medicinais da região.

terça-feira, 15 de maio de 2012

Como prevenir o mau hálito - halitose

Halitose significa "mau hálito", um problema que muitas pessoas enfrentam eventualmente. Calcula-se que aproximadamente 40% da população sofre ou sofrerá de halitose crônica em alguma época de sua vida.


Muitas são as causas deste mal, incluindo:
Higiene bucal inadequada (falta de escovação adequada e falta do uso do fio dental);
Gengivite
Ingestão de certos alimentos como, por exemplo, alho ou cebola;

Tabaco e produtos alcoólicos;
Boca seca (causada por certos medicamentos, por distúrbios e por menor produção de saliva durante o sono); 
Doenças sistêmicas tais como câncer, diabetes, problemas com o fígado e rins.

Como saber se tenho halitose?
Uma forma de saber se você tem mau hálito é cobrir sua boca e nariz com a mão, exalar e sentir o hálito. Uma outra forma é perguntar a alguém em quem você confia como está o seu hálito. 

Mas, não se esqueça de que muitas pessoas têm este problema quando acordam de manhã, como resultado de uma produção menor de saliva durante a noite, o que permite os ácidos e outras substâncias se deteriorarem no interior da boca. Medidas tais como escovar bem os dentes e língua, e usar fio dental antes de dormir e ao se levantar sempre ajudam a eliminar o mau hálito matinal.

Como prevenir a halitose?
Evite alimentos que causam mau hálito e observe o seguinte:
Escove bem duas vezes ao dia e use fio dental diariamente para remover a placa bacteriana e as partículas de alimento que se acumulam todos os dias. Escovar a língua também ajuda a diminuir o mau hálito.

Remova a dentadura antes de dormir, limpando-a bem antes de recolocá-la de manhã.Visite seu dentista periodicamente para fazer uma revisão e uma limpeza de seus dentes.

Se o seu mau hálito persistir mesmo após uma boa escovação e o uso do fio dental, consulte seu dentista, já que isso pode ser a indicação da existência de um problema mais sério. Só o dentista poderá dizer se você tem gengivite, boca seca ou excesso de placa bacteriana, que são as prováveis causas do mau hálito.

Créditos: colgate.com.br

quinta-feira, 10 de maio de 2012

13 remédios naturais que são um perigo para o coração

Os benefícios da fitoterapia para a saúde são, hoje, indiscutíveis. Como pratica terapêutica, ela é respeitada mundialmente, tanto que já é parte integrante do sistema médico oficial de diversos países, incluindo o Brasil. 

No entanto o uso indiscriminado das substâncias feitas a partir das plantas também oferece riscos. Para quem apresenta problemas cardiovasculares, os cuidados devem ser redobrados.


A VivaSaúde (revista), consultou três especialistas em plantas medicinais:
Mestre em Farmacologia - Paulo Henrique de Oliveira Léda, integrante da equipe técnica de instauração das diretrizes do Programa Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos no Sistema Único de Saúde (SUS), a médica nutróloga Fátima Cardoso, membro do grupo de Fitoterapia e Ortomocular do Conselho Regional de Medicina do Rio de Janeiro (Cremerj) e Dulcinéia Furtado Teixeira, tecnologista em Saúde Pública da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz/Farmanguinhos).

Conheça-os e proteja o seu coração!
1 Alho
Indicação: auxilia no tratamento da gripe, ajuda a diminuir as taxas de colesterol total, de LDL e de triglicérides do sangue, evitando a aterosclerose. Também atua na regulação da pressão, como antimicrobiano e antiplaquetário. Tudo isso graças aos compostos sulfurados (como enxofre).

Contraindicação: quando associado a medicamentos que têm a função de prevenir tromboses e, consequentemente, os acidentes vasculares, pode aumentar o risco de hemorragias. Nessa classe de sintéticos estão os anticogulantes e os antiagregantes plaquetários, como os remédios à base de varfarina, ácido acetilsalicílico, heparina e clopidogrel. Segundo estudos, o fitoterápico é capaz de interferir no mecanismo de coagulação, potencializando a ação dos fármacos sintéticos que são indicados para esse fim. Medicamentos à base de alho não devem ser usados por pessoas com gastrite e úlcera, pressão baixa e hipoglicemia.

2 Ginkgo Biloba
Indicação: diversos estudos demonstram seu efeito neuroprotetor. Ele é capaz de aumentar o fluxo circulatório, melhorando a circulação periférica e também a cerebral. Além disso, as substâncias que ele contém produzem relaxamento arterial e ajudam na manutenção do tônus arterial e venoso, sendo usado para tratar perda de memória.

Contraindicação: aumenta o risco de hemorragias quando associado a medicamentos anticoagulantes, antiagregantes plaquetários e até mesmo quando combinado a remédios anti-inflamatórios, à base de ibuprofeno ou naproxeno.

3 Gengibre
Indicação: tratamento de náuseas, inflamação e indigestão.

Contraindicação: como algumas substâncias presentes em sua composição têm ação anticoagulante, ele não deve ser usado por quem já toma medicamentos sintéticos com esse mesmo objetivo. O gengibre também deve ser evitado por pacientes hipertensos graves ou que já apresentam irritação gástrica.

4 Sálvia Vermelha
Indicação: utilizada para regular o ciclo menstrual. Também possui efeito vasodilatador e, portanto pode favorecer a queda de pressão. Na medicina tradicional chinesa, a sálvia vermelha é empregada para prevenir e tratar doenças cardíacas e acidente vascular cerebral (AVC).

Contraindicação: deve ser evitada por pacientes que utilizam anticoagulantes e antiagregantes plaquetários (como varfina e ácido acetilsalicílico) e medicamentos para regular a pressão, já que pode potencializar a ação destes fármacos, causando hemorragias ou quedas de pressão.

5 Crataego
Indicação: tem atividade antioxidante e pode ser usado para prevenir as inflamações das placas de gordura que se acumulam nas artérias ou para evitar a aterosclerose.

Contraindicação: não deve ser usado por pacientes que já tratam hipertensão, arritmias cardíacas e angina com fármacos sintéticos, pois ele pode tanto potencializar quanto inibir os efeitos desses remédios.

6 Angélica ou Dong Quai
Indicação: para tratamento de cólicas, fluxo menstrual irregular e sintomas da menopausa.

Contraindicação: estudos in vitro provaram que pode haver interação entre o ferulato de sódio, um componente da planta, e os medicamentos à base de verfarina, ocasionando hemorragias. Mulheres em tratamento para o câncer de mama também devem evitar o fitoterápico.

7 Ginseng
Indicação: combate o estresse e a fadiga, aumentando a disposição e a concentração.

Containdicação: estudos em humanos sugerem que ele pode reduzir a ação anticoagulante e antiagregante plaquetária dos medicamentos usados com esse fim, aumentando o risco de sangramentos. Quando associado a alguns tipos de anti-inflamatórios, aumenta o risco de hemorragias. Relatos clínicos indicam, ainda, que o ginseng pode alterar a pressão sanguínea e atrapalhar a ação de fármacos como os anti-depressivos.

8 Castanha da Índia
Indicação: reforça o tônus venenoso, auxiliando no tratamento de problemas como as hemorróidas e as veias varicosas. Também ajuda a melhorar edemas pós-operatórios, reduzindo a dor e o inchaço.

Contraindicação: em razão de alguns compostos de sua fórmula, ela pode aumentar o risco de sangramentos quando utilizada com medicamentos anticoagulantes, antiagregantes plaquetários ou anti-inflamatórios. Pode, ainda, intensificar o efeito de remédios para controlar o diabetes.
9 Equinácea
Indicação: estimula o sistema imunológico, prevenindo resfriados e infecções do trato respiratório e renal. O fitoterápico também foi testado, com efeitos positivos, no tratamento de congestionamento nasal, rinites, resfriados, gripes e até bronquites agudas.

Contraindicação: pode sobrecarregar o fígado, se usada em associação com medicamentos para arritmias cardíacas, como os remédios à base de amiodarona.

10 Guaraná
Indicação: revitalizador e auxiliar em regimes de emagrecimento. Este efeito pode ser atribuído à quantidade significativa de cafeína presente em sua composição.

Contraindicação: seu efeito é mais intenso do que o do café. Então quando é usado por pessoas que têm arritmia, taquicardia e pressão alta, pode piorar esses quadros.

11 Chá-Verde
Indicação: estudos epidemiológicos com populações orientais, que consomem diariamente chá-verde, mostram uma menor incidência de câncer, principalmente no estômago, pâncreas, mama e colo do útero. Embora os mecanismos de ação do chá no organismo ainda não estejam esclarecidos, acredita-se que as substâncias que ele contém sejam capazes de reduzir o poder de multiplicação das células cancerosas. Além disso, o chá pode ajudar a reduzir o LDL no sangue.

Contraindicação: o problema é que o chá contém cafeína, o que pode ser um complicador para quem sofre de arritmias. Portanto, o ideal é que seja consumido com moderação (no máximo 2 xícaras por dia) por aqueles que já diagnosticaram um problema de batimentos cardíacos irregulares, ainda que leve.

12 Guaco 
Indicação: pode ser usado para tratar casos agudos de gripes e resfriados, bronquites alérgica e infecciosa e como expectorante. Afinal, trata-se de um poderoso broncodilatador, graças à presença de substâncias da classe das cumarinas em sua composição.

Contraindicação: as mesmas cumarinas que beneficiam o sistema respiratório podem interferir na coagulação sanguínea, já que inibem a produção de vitamina K, essencial ao bom funcionamento do sistema circulatório. O guaco também pode potencializar o efeito dos anticoagulantes e antiagregantes plaquetários.

13 Maracujá
Indicação: estudos clínicos já demonstraram a atividade do maracujá em transtornos de ansiedade e do sono.

Contraindicação: o uso crônico pode provocar taquicardias, cefaléias, convulsões e até paradas respiratórias. Além disso, deve-se evitar associá-lo com medicamentos antidepressivos (inibidores da monoaminoxidase) e com bebidas alcoólicas.

Créditos: Revista “Vivasaúde”
Consultoria Bambamel Natural 
 
A seguir, o que são, os fitoterápicos acima citados, para melhor esclarecer a matéria. Segunda-feira, 14 de maio de 2012.

1 Alho
O que é: os povos sumérios já utilizavam como remédio há 3 mil anos e há registros de seu emprego na assepsia de feridas em combatentes de guerras, por médicos gregos da Antiguidade. Atualmente, os medicamentos que levam alho em sua composição são produzidos a partir do óleo ou do extrato seco.

2 Ginkgo Biloba
O que é: trata-se da espécie de árvore viva mais antiga da Terra, com mais de 225 milhões de anos. Seu uso medicinal foi registrado pela primeira vez na dinastia Ming, em 1436. O extrato seco é retirado das folhas do ginkgo e também pode ser vendido em cápsulas.

3 Gengibre
O que é: na China antiga, já era citado por Confúcio (551-479 a.C). Ainda hoje, continua sendo amplamente utilizado na medicina ayurvédica. Os medicamentos à base de gengibre são feitos a partir do rizoma ou raiz da planta e é fácil encontrar o próprio rizoma fresco, o pó, vendido em forma de cápsulas, ou extrato seco em lojas de produtos naturais.

4 Sálvia Vermelha
O que é: a planta já era utilizada na Antiguidade, pelos povos egípcios, gregos e romanos. Mais tarde, foi incorporada pelas medicinas chinesa e indiana. É normalmente encontrada em forma de extrato seco ou cápsulas.

5 Crataego
O que é: só no século XIX, médicos americanos descobriram sua ação como tônico cardíaco e sedativo. É normalmente comercializado na forma de extrato seco.

6 Angélica ou Dong Quai
O que é: muito utilizada pela Medicina Tradicional Chinesa como tônico do sangue. Possível encontrar a raiz seca, o pó ou o extrato seco.

7 Ginseng
O que é: usado há séculos no Oriente Médio como tônico. O mais comum é encontrá-lo na forma de extrato seco e cápsulas.

8 Castanha-da-Índia
O que é: vem das montanhas gregas, foi levada para a Turquia e, mais tarde, no século XIX, foi introduzida na Europa, onde é largamente utilizada até hoje. É vendida como extrato seco ou cápsulas.

9 Equinácea
O que é: relatos de 1919 dão conta do uso medicinal da planta por índios americanos, para tratar picadas de insetos e envenenamentos em geral. Normalmente é encontrada em lojas de produtos naturais em forma de extrato seco, tintura ou cápsula.

10 Guaraná
O que é: a primeira descrição do uso das sementes do guaraná como remédio é de 1669. Na época, os indígenas brasileiros já utilizavam a planta como estimulante, regulador intestinal, tônico cardiovascular e afrodisíaco.

11 Chá-Verde
O que é: existem referências ao uso desse chá desde o século III a.C, fazendo-se alusão às suas propriedades estimulantes. Atualmente, ele pode ser encontrado em diversas apresentações, como sachê para infusão, chá solúvel ou na forma de extrato seco encapsulado.

12 Guaco
O que é: lançada em 1929, a primeira edição da Farmacopéia Brasileira, código farmacêutico oficial seguido no País, já citava as propriedades medicinais do guaco. Seus princípios ativos se concentram na folha e ele é mais comumente comercializado em forma de xarope ou sachê para infusão.

13 Maracujá
O que é: os astecas foram os primeiros a utilizar a planta como sedativo para tratar a insônia e o nervosismo. A folha é processada e encontrada no mercado na forma de sachês, pó, tintura e extrato seco. (VivaSaúde)

VivaSaúde é a revista voltada para todos os que se preocupam com a saúde do corpo e da alma. Aborda temas como qualidade de vida, nutrição, medicina, atividade física e beleza. Com um corpo de consultores formados pelos melhores especialistas.

segunda-feira, 7 de maio de 2012

Cabelos brancos

Os cabelos brancos podem apresentar mais idade do que você tem na realidade. No cabelo existem indicações muito precisas de nossa alimentação, por isso é que se pode saber em uma pessoa morta o que comeu ou bebeu durante centenas de anos após a sua morte. 

Através de aparelhos e análises de alta precisão os médicos forenses utilizam a análise do cabelo para saber se uma pessoa morreu envenenada.

O cabelo está composto principalmente de proteínas. Nestas, encontra-se uma substancia que é responsável pela cor dos cabelos, que se chama melanina. A melanina do cabelo escuro é a mesma do cabelo loiro. 

A quantidade dessa melanina é que é responsável pela coloração do cabelo. O cabelo escuro tem mais melanina que o cabelo claro. Com o avançar da idade, a melanina presente no cabelo diminui, dando lugar ao aparecimento de fios brancos. Quando não há melanina, o cabelo se torna branco.

Existem substancias que ao combinarem-se as proteínas do cabelo podem produzir os mesmos resultados que a melanina do cabelo, fazendo com que o organismo retarde o processo de embranquecimento e queda do cabelo, se contar com nutrientes adequados. Esses nutrientes podem ser absorvidos diretamente pelo cabelo, ou através da ingestão de complementos nutricionais. Recomenda-se ingerir um  multivitamínico como pólen de abelha, multiminerais e proteínas.

 Os nutrientes que seu cabelo necessita para brilhar e crescer saudável:

- Pantotenato de cálcio, acido pantotênico ou vitamina B5. Esses elementos aumentam a assimilação do cobre no cabelo.
- Cobre: a falta desse mineral produz um cabelo quebradiço, ressecado e duro.
- Inisitol e colina: esses elementos ajudam o crescimento do cabelo.
- Vitamina B12: provoca o crescimento do cabelo.
- PABA: o Ácido paramiro-benzóico ajuda a manter a cor e a suavidade do cabelo.
- Iodo: ajuda a evitar a queda do cabelo.
- Ferro e manganês: ajuda o crescimento e a nutrição do cabelo, através de um bom fluxo sanguíneo.
- Niacina (ácido nicotínico): ajuda a circulação do sangue.
- Proteínas e aminoácidos: o cabelo está composto de 98% de proteínas. Sem dúvida, na ausência das vitaminas e minerais que mencionamos acima, não é possível fazer o aproveitamento dessas proteínas.
- Zinco: necessário para o crescimento do cabelo.
- Cisteína e glicina: esta última está contida na Aloe Vera numa proporção de 18.0 ppm.
Recomenda-se ingerir levedura de cerveja e suco de Aloe Vera para dar ao cabelo uma aparência saudável e natural, além de friccionar-se um pouco de gel de aloe no couro cabeludo.

Para escurecer os cabelos claros e os brancos:
Preparado: faça um preparo de sálvia da seguinte maneira: ponha 2 colheres de sálvia em ½ litro de água fervente, deixe esfriar e filtre o preparo.  Diariamente enxágue o cabelo com esta mistura, pouco a pouco ele irá escurecendo.

Brilho no cabelo claro: para conseguir brilho na sua cabeleira branca ou louro-claro, faça uma infusão com cabeças de flor de maçanilha ou malva rosa.
Depois de lavar o cabelo com xampu e secá-lo, sugere-se uma massagem com gel de Aloe Vera, o qual revitalizará e nutrirá o cabelo.

Créditos: informações retiradas do livro “Saúde e Bem-Estar”

sexta-feira, 4 de maio de 2012

Apesar das dificuldades, lute! Seja feliz! Coma os morangos!

Um homem escorregou à beira de um precipício e ficou pendurado na raiz de uma árvore. Seus gritos de socorro atraíram um enorme urso faminto que, do topo do barranco tentava abocanhar sua cabeça. 

E também um grupo de onças que, logo abaixo de seus pés, se esforçavam para derrubá-lo. Já sem saber o que fazer, o homem olhou para o lado e viu, ao alcance de sua mão, um pequeno pé de morangos, com a mais linda fruta que ele já vira, brilhando ao sol. 

Esforçando-se para estender um dos braços, apanhou o morango, trouxe-o para perto do seu rosto, olhou-o com prazer, sentiu seu aroma delicioso e se deslumbrou com suas cores. E, em pensamento, exclamou: ‘Ora, dane-se o urso… Ora, danem-se as onças…’. E comeu o morango prazerosamente, deliciando-se com seu sabor doce e especial”.

Não faz sentido nos preocuparmos com o futuro a ponto de sacrificarmos o presente. Tudo o que precisamos é tomar decisões tendo em mente que viver bem o presente é suficiente para construir um bom futuro.

Daqui a algum tempo, estaremos diferentes do que somos agora. Essa frase nos lembra que não adianta fazer planos mirabolantes para sermos felizes amanhã, se atualmente não estamos felizes. Diz a música: “Como será o amanhã?… Responda quem puder!” Então, ser feliz agora é o que importa.

Claro que se prepararmos para um futuro venturoso, é uma boa maneira de sermos felizes também agora. Afinal, planejar e construir faz parte do nosso jeito de ser. Mas não deixemos que os cuidados com o que ainda está por vir nos impeça de curtir o momento presente. Confiar é preciso - em você mesmo, nos outros e em Deus!”

Autor: texto de Roberto Shinyashiki (é médico-psiquiatra, conferencista, empresário e escritor brasileiro. Seus livros abordam temas como qualidade de vida e motivação).

quarta-feira, 2 de maio de 2012

Inhame – maravilha da terra

Grande parte das propriedades funcionais do inhame se deve à presença de um fito-hormônio chamado diosgenina.

A diosgenina transformou-se em um tratamento alternativo para os calores, o ressecamento da mucosa e outros sintomas que acompanham essa fase. 

Um estudo avaliou a ação desse fito-hormônio na saúde da mulher pós-menopausa e concluiu que a ingestão de inhame por 30 dias equilibra os níveis hormonais. 

Consumir inhame todos os dias é uma boa dica também para mulheres que estão tentando engravidar. O vegetal contém fito-estrógenos, que bloqueiam a ação dos estrógenos no organismo. Ao fazer isso, aumenta a ação das gonadotrofinas, o que resulta em uma quantidade maior de folículos produzidos pelos ovários, melhorando a chance de gravidez.

Por ser rico em vitaminas, melhora o funcionamento do sistema imunológico e protege a integridade das mucosas. Daí vem a fama de proteger contra a dengue. A vitamina B, presente em sua composição, faz com que o organismo exale um odor que espanta o mosquito transmissor da doença. Mas, para conseguir esse beneficio, é preciso consumir o vegetal todos os dias. Sua composição também auxilia na recuperação do doente. 

Não contém glúten - o inhame é uma fonte de amido para quem sofre de doença celíaca, que impede o processamento dessa proteína pelo organismo.
Por tratar-se também de um carboidrato complexo, é ótimo para quem deseja emagrecer. As fibras proporcionam energia e saciedade. 
Os diabéticos devem tomar algum cuidado, já que ele é uma rica fonte de carboidrato, que transforma-se em glicose no organismo.
Não precisa ser conservado em geladeira, desde que fique em um locar arejado.

Pode ser consumido de duas formas:
Cru - Salada: ralar, temperar com azeite, sal e limão. Se quiser pode acrescentar outros vegetais.
Suco: descascar, ralar e adicionar suco de frutas.
Cozido: cozinhar com casca e inteiro no vapor ou na pressão. Descascar, temperar com azeite, cebolinha, salsinha e gengibre. Cozido é usado como ingrediente de sopas, carnes, patês, pães, bolos e tortas.

Bolo de inhame com ricota
Ingredientes
3 ovos
3 colheres (sopa) de açúcar mascavo
1 colher (sopa) de farinha de quinua
1 unidade média de inhame cozido (220g)
1 e ½ xícara (chá) de leite desnatado
4 fatias médias de ricota (150g)
4 colheres (sopa) de óleo de canola
2 colheres (sopa) de uva passa
1 colher (sopa) de fermento químico
2 colheres (chá) de canela em pó
Preparo
Bata na batedeira o açúcar com as gemas, acrescente a farinha, o inhame, o leite, a ricota e o óleo. Bata as claras em neve separadamente e reserve. Bata bem a massa e misture com uma colher as uvas passas, as claras em neve e o fermento delicadamente. Unte uma forma com óleo e farinha de quinua, despeje a massa, polvilhe com canela em pó e leve para assar em forno a 180 graus por 40 minutos ou até ficar assado.

Créditos: Revista Vivasaúde
Imagem: cnph.embrapa.br                                                        

Postagens Relacionadas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...