quinta-feira, 21 de setembro de 2017

Os mosquitos me amam

Por Mariana Botta

Você volta de uma temporada na praia ou no campo todo picado e sua irmã, que fez a mesma viagem, tem apenas alguns pontinhos vermelhos pelo corpo. Se essa é uma situação frequente, certamente você está no time das pessoas que, digamos assim, são mais “apetitosas” para os insetos. E nada disso é suposição ou piada de família, e sim um fato científico. 

Já está comprovado que os mosquitos são atraídos por algumas substâncias liberadas pelo corpo, como resultado da respiração metabólica (ácido lático, CO2, calor). “O ritmo acelerado da circulação sanguínea desencadeia o suor e, juntamente, as emanações de calor e substâncias voláteis que atraem os insetos”, explica Sirlei Antunes Morais, entomologista e autora do blog: O Mosquito Culex. Em outras palavras, a maior capacidade de atrair mosquitos depende da quantidade que esses produtos são liberados pelo seu corpo.

Mas há outros fatores que podem contribuir para a atratividade dos insetos: a coloração das vestimentas, sobretudo pretas ou vermelhas, que os atrai pela capacidade visual, a temperatura do corpo – quanto mais quente, mais mosquitos– e algumas bactérias que já existem naturalmente na pele. Ou seja, é mais complexo do que aquela história de “sangue doce”.

E não é só isso. Crianças, mulheres grávidas, pessoas com sobrepeso ou com alta atividade física, devido a suas atividades metabólicas, também costumam ser alvo de picadas. Também agradam aos mosquitos o calor, que faz as pessoas transpirarem mais, o uso de perfumes adocicados e o consumo excessivo de álcool.

A comprovação, porém, não trouxe ainda um remédio. Não existem medicamentos que as pessoas com maior grau de atratividade possam tomar para diminuir essa tendência. Há informações sobre o uso de vitaminas do complexo B, própolis, que diminuiriam a atratividade para os mosquitos, assim como o cravo e o alho, entre outros. 

Uma opção é o uso de produtos repelentes à base de semente de andiroba, uma árvore amazônica, cujo óleo não tem cheiro e ainda possui propriedades hidratantes. A citronela, também tem mostrado potencial repelente em diversas pesquisas.

Fontes: Jonathan Day (Universidade da Flórida), Edison Rogerio Cansi (Universidade
Federal Sul da Bahia), Sirlei Antunes Morais (Faculdade de Saúde Pública da USP).

Texto adaptado
Créditos: Revista Bem Estar – Farmácia Angeloni

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Barriga – além da estética

Não pense que perder a barriga é apenas uma questão estética. De acordo com o endocrinologista do Hospital e Maternidade São Luiz, de São Paulo (SP), Alex Leite, o risco de complicações para o paciente obeso depende mais do tipo de obesidade em questão do que propriamente do montante de peso.

“Pacientes com maior acúmulo de gordura na região abdominal e com pouca gordura localizada nos membros superiores e inferiores apresentam a chamada obesidade central, ou seja, acúmulo de gordura intra-abdominal. Esse tipo de obesidade é a mais grave, mais comum nos homens, e está associada a um maior risco de síndrome metabólica, aterosclerose, diabetes mellitus tipo 2, hipertensão arterial, dislipidemia e doenças cérebro e cardiovasculares, como infarto e derrame.

Nesses casos, quanto maior a circunferência abdominal maior será esse risco. Já no caso da obesidade periférica, ou seja, acúmulo de gordura no tecido subcutâneo por todo o corpo, o risco de doenças metabólicas como dislipidemia, diabetes, aterosclerose e eventos cérebro e cardiovasculares é menor, independentemente do peso da pessoa. 

Contudo, o risco de osteoartrite, apneia obstrutiva do sono, pedras na vesícula biliar e doença do refluxo gastroesofágico pode ser semelhante ao da obesidade central”, explica o médico.

O especialista ressalta ainda que o melhor caminho é a perda de peso: “Mesmo reduções modestas no peso já se associam a uma redução nos riscos. A redução da gordura visceral é mais rápida, já a gordura no subcutâneo é mais difícil de se perder. Nos dois tipos de obesidade, deve-se evitar a gordura saturada e a chamada gordura trans. 

Esse tipo de gordura se acumula no abdome e está muito associada ao aparecimento da resistência à insulina. O excesso de carboidratos também deve ser cortado dando preferência a bastante fibra na dieta. 

Bebidas e sucos de frutas acrescidos de açúcar e/ou frutose devem ser evitados, dando lugar a frutas e de preferência longe das principais refeições. Doces, pães, biscoitos, bolachas, bolos e chocolates comprometem a redução da gordura visceral e o controle do peso e devem ser evitados”, completa.

Revista: Como perder a barriga – Case editorial

quinta-feira, 14 de setembro de 2017

Para realizar sonhos

“Uma parte de tudo que eu ganhar, pertence a mim”. Digam isso pela manhã assim que acordarem, à tarde, à noite, em todas as horas do dia. Digam isso a si mesmo até que as palavras estejam gravadas no céu. Separem não menos de um décimo e economizem, façam todas as despesas necessárias, mas poupem primeiro essa cota.  Cedo vão experimentar a deliciosa sensação de um tesouro cuja posse é sua. Quanto mais ele crescer, mais se verão estimulados. Vibrarão com nova alegria de viver.

George S. Clason no livro – O homem mais rico da Babilônia (Elaine Ourives / Psicoterapeuta, Coach e Palestrante)

segunda-feira, 11 de setembro de 2017

O melhor horário para absorver a vitamina D

O melhor horário para banhos de sol com o objetivo de obter a síntese dessa substância é justamente entre 10 horas e 16 horas, período mais desaconselhado por especialistas por conta da emissão de raios UVB. Quanto mais clara a pele, menos tempo ela precisa ficar exposta (por cerca de 5 a 15 minutos, pelo menos três vezes por semana), pois a absorção é mais rápida. É bom lembrar que isso só vai acontecer se houver uma boa área do corpo exposta ao sol, como braços e pernas, enquanto rosto, pescoço e colo permanecem protegidos com chapéus e óculos escuros. 

Ossos, músculos, células do cérebro e até o sistema imunológico se ressentem da falta de vitamina D no organismo, da qual requerem quantidades mínimas para adquirir potencia máxima. Células do cérebro, fígado, próstata, mama e sistema imunológico também apresentam tais receptores e se ressentem da falta de vitamina D. Ela controla mais de 200 genes responsáveis pela integridade da resposta imunológica. O mais conhecido desses genes é o de absorção do cálcio. Sem a vitamina D, o mineral não é absorvido e os ossos se tornam fracos e propensos a fraturas. Mas não é só isso. Um estudo conduzido com 32 mil mulheres mostrou que, quanto mais baixos os níveis de vitamina D, mais alto o risco de câncer de intestino.

Texto adaptado
Créditos: Revista Delboni Auriemo / Fabiana Gonçalves

quarta-feira, 6 de setembro de 2017

Moringa oleifera – the miracle tree (a árvore dos milagres)

Estas folhas poderão salvar milhões de vidas. Alguns chamam-lhe “um milagre”.  Não seria também ciência maravilhosa? Folhas minúsculas, benefícios enormes! Super alimento! É raro para uma planta, mas as folhas de Moringa contêm todos os aminoácidos essenciais (proteínas, para construir corpos fortes, saudáveis.

Estas folhas vêm da árvore humilde, Moringa oleifera. Nativa do sub-continente asiático, espalhou-se ao redor do mundo e presente no Brasil.
A árvore de Moringa cresce… Precisamente onde as pessoas mais dela precisam.
Chancelada pela ONU, Unicef, OMS (organização Mundial de Saúde) e NIH (Nacional Institutes of Health – departamento de saúde do governo americano). Possui o maior valor nutricional dentre vários tipos de alimentos estudados.

Tem 92 nutrientes, 47 antioxidantes, 36 antiinflamatórios, 18 aminoácidos.
27% de proteína a mais do que qualquer tipo de carne, 17x mais cálcio do que o leite, 25x mais ferro do que o espinafre, ômegas 3, 6 e 9, 7x mais vitamina C do que a laranja, 10x mais vitamina A do que a cenoura, 3x mais potássio do que a banana, 1200x mais zeatina do que qualquer planta (antienvelhecimento). Trata câncer, depressão, Alzheimer, hipertensão, diabetes, obesidade, epilepsia, HIV, dengue e muitos outros males atuais (Dr. Howard W. Fisher, 2017 – médico especializado em medicina do antienvelhecimento. Mora em Ontário – Toronto).

“Legumes verdes e frutas, fornecem muitos dos micro nutrientes necessários e essenciais como o beta - caroteno [vitamina A], vitamina C, ácido fólico e também cálcio e potássio. As folhas de Moringa são uma fonte rica, barata de micro nutrientes.”
- Dr. C. Gopalan, Presidente, Fundação de Nutrição de Índia

“Entre os legumes verdes, um que se posiciona como particularmente bom, é a árvore da Moringa. As folhas são uma das melhores plantas comestíveis que se pode encontrar.” - Dr. Frank W. Martin, em Sobrevivência e Subsistência nos Trópicos

“Moringa mostra ser uma grande promessa como uma ferramenta capaz de ajudar a superar alguns dos problemas mais severos dos países em desenvolvimento tais como a desnutrição, desflorestamento, água potável e pobreza. A árvore cresce melhor nas regiões secas onde estes problemas são piores.”
- Andrew Young o antigo Prefeito de Atlanta, e Embaixador nas Nações Unidas

“Entre a gama extensiva de legumes, Moringa é a fonte mais rica de beta -caroteno [vitamina A].” - Dr. Kamala Krishnaswamy, Diretor, Conselho Índio de Pesquisa Médica, Hydera

“A Moringa poderia tornar-se a planta mais valiosa do mundo, pelo menos em termos humanitários.” - Noel Vietmeyer, EUA Academia Nacional de Ciências, Washington D.C.

Identificação
Espécies: Moringa oleifera
Família: Moringaceae
Gama: nativa do sub-continente asiático, e naturalizou em áreas tropicais e subtropicais ao redor do mundo.
Características: árvore de pequeno porte ou arbusto, crescimento rápido, resistente à seca, altura comum de 12 metros quando adulta.

História de Moringa
É a mais conhecida das treze espécies do gênero Moringaceae. Moringa era altamente apreciada no mundo antigo. Os romanos, gregos e egípcios extraíram óleo comestível das sementes e usaram o óleo para perfume e loção de pele.
No século 19, plantações de Moringa na Índia Ocidental exportaram o óleo para a Europa para perfumes e lubrificantes para maquinaria. Povos no subcontinente Indiano, há muito que tem usado as vagens de Moringa para a sua alimentação. As folhas comestíveis são alimento ao longo da África Ocidental e em partes de Ásia.

Todas as partes são úteis, tem propriedades benéficas que podem servir a humanidade. Pessoas em todo do mundo fizeram uso destas propriedades.

Folhas: nutrição, medicamento;
Vagens: nutrição, medicamento;
Flores: medicamento;
Sementes: purificação da água, medicamento, óleo alimentar, cosméticos, lubrificantes;
Casca: medicamento;
Goma: medicamento;
Raízes: medicamento.
Valor nutricional das folhas de Moringa
Análises nutricionais indicam que as folhas contêm uma riqueza essencial de nutrientes que previnem doenças. Elas contêm igualmente todos os aminoácidos essenciais, o que não é comum para uma fonte vegetal. Considerando que as folhas secas são concentradas, possuem quantidades mais altas de muitos destes nutrientes, menos a vitamina C.

Conteúdo de aminoácido de folhas de Moringa
Todos os valores estão por 100 gramas de porção comestível
Folhas frescas                     Folhas secas
Arginine 406.6 mg               1,325 mg
Histidine 149.8 mg              613 mg
Isoleucine 299.6 mg             825 mg
Leucine 492.2 mg                1,950 mg
Lysine 342.4 mg                  1,325 mg
Methionine 117.7 mg           350 mg
Phenylalinine 310.3 mg        1,388 mg
Threonine 117.7 mg            1,188 mg
Tryptophan 107 mg             425 mg
Valine 374.5 mg                  1,063 mg

Vitaminas e conteúdo de mineral de folhas de Moringa
Todos os valores estão por 100 gramas de porção comestível.
Folhas frescas                                Folhas secas
Caroteno (Vit. A)* 6.78 mg              18.9 mg
Thiamin (B1) 0.06 mg                      2.64 mg
Riboflavin (B2) 0.05 mg                   20.5 mg
Niacin (B3) 0.8 mg                          8.2 mg
Vitamina C 220 mg                         17.3 mg
Cálcio 440 mg                                2,003 mg
Calorias 92 cal                               205 cal
Hidrates de Carbono 12.5 g            38.2 g
Cobre 0.07 mg                              0.57 mg
Gorduras 1.70 g                            2.3 g
Fibra 0.90 g                                 19.2 g
Ferro 0.85 mg                              28.2 mg
Magnésio 42 mg                           368 mg
Fósforo 70 mg                             204 mg
Potássio 259 mg                          1,324 mg
Proteína 6.70 g                           27.1g
Zinco 0.16 mg                            3.29 mg

Pó de folha de Moringa no tratamento da desnutrição
Em 1997-98, Ação Alternativa para Desenvolvimento Africano (AGADA) e o Serviço Mundial das Igrejas, testou a capacidade do pó de folha Moringa em prevenir ou curar desnutrição nas mulheres grávidas ou amamentando e nas suas crianças no sudoeste do Senegal.  
Este teste achou os seguintes efeitos que eram comuns entre os pacientes que utilizaram o pó:
Crianças mantiveram ou aumentaram o seu peso e melhorou o estado de saúde global.
As mulheres grávidas recuperaram de anemia e tiveram nascimento de bebês com peso mais altos.  Mulheres amamentando aumentaram a sua produção de leite.

Dosagem sugerida:
Crianças: 1 a 3 colheres de sopa por dia, dependendo de necessidades nutricionais
1 colher de sopa provê 100% RDA de Vitamina A.
Mulheres grávidas ou amamentando: 2 a 3 colheres de sopa por dia, dependendo de níveis de hemoglobina.  3 Colheres de sopa provêm 78% RDA de Vitamina A.

Durante séculos, pessoas em muitos países usaram folhas de Moringa como medicina tradicional para doenças comuns. Veja:
Guatemala: infecções da pele, feridas;
Índia: anemia de ansiedade, asma, cravos, impurezas de sangue, bronquites, catarro, congestão de tórax, cólera, conjuntivites, tosse, diarreia, infecções da vista e ouvidos, febre, inchaço glandular, dores de cabeça, pressão sanguínea anormal, histeria, dores em juntas, espinhas, psoríases, desordens respiratórias, escorbuto, deficiência de sêmen, dor de garganta, dores musculares, tuberculose;
Malásia: lombrigas intestinais;
Nicarágua: dores de cabeça, infecções da pele, feridas;
Filipinas: anemia, inchação glandular, lactação;
Porto Rico: lombrigas intestinais;
Senegal: diabete, gravidez, infecções de pele, feridas;
Venezuela: lombrigas intestinais;
Outros países: colites, diarreia, hidropisia, disenteria, gonorreia,, icterícia, malária, úlceras de estômago, tumor, desordens urinárias, feridas.

Pesquisa e imagens: Balbir S. Mathur /Treesforlife - Acesso dia 02/08/2017
Bambamel

segunda-feira, 4 de setembro de 2017

A procura

Deus...
Passei tanto tempo te procurando, não sabia onde estavas. E pensava comigo mesmo, será que existes?
Não me contentava na busca e prosseguia.
Tentava te encontrar nas religiões e nos templos, tu também não estavas. Te busquei através de sacerdotes e pastores, também não te encontrei. Senti-me só, vazio, desesperado e descri. E, na descrença, te ofendi, e no tropeço cai, e na queda senti-me fraco. Fraco procurei socorro. No socorro encontrei amigos, nos amigos encontrei carinho, no carinho eu vi nascer o amor. Com o amor eu vi um mundo novo, e no mundo novo resolvi doar. Doando alguma coisa, muito recebi. E recebendo senti-me feliz. No ser feliz, encontrei a paz. E tendo paz, foi que enxerguei que dentro de mim é que tu estavas. E sem procurar, foi que te encontrei.

Referências bibliográficas
Candido, William Netto
Estórias ao entardecer -- / William Netto Candido. – 3.ed. – São Paulo

quinta-feira, 31 de agosto de 2017

O consumo de embutidos e seus riscos à saúde

Imagem: APM - Regional Piracicaba
As carnes processadas (alimentos embutidos) são produtos geralmente feitos a partir de carne bovina, suína, de frango e/ou peru, que diferenciam do seu estado in natura através de processos como moagem, fermentação, defumo ou qualquer técnica com o objetivo de realçar o sabor e melhorar a conservação.

São eles: salame, presunto, mortadela, salsicha, nugget, linguiça, carne enlatada, carnes em conserva, preparados à base de carnes. Esses produtos são normalmente consumidos sem moderação. Mas é preciso esclarecer que esses produtos apresentam mais riscos do que benefícios à saúde.

Embora tenham um sabor apreciado por muitos, a quantidade no consumo faz muita diferença para a saúde, pois eles são ricos em sódio e conservantes, especialmente os nitritos e nitratos. Esses compostos são comumente utilizados para inibir a perda de cor e a proliferação do Clostridium botulinum, responsável por intoxicações alimentares como o botulismo. 

No entanto, esses compostos reagem no nosso organismo formando as chamadas nitrosaminas, que são compostos altamente cancerígenos. Isso explica os principais efeitos indesejáveis do consumo excessivo de carnes processadas. O consumo máximo permitido por dia é de 20g de presunto, por exemplo.

Várias pesquisas já foram realizadas demonstrando a estreita relação negativa entre o consumo frequente de carne processada e o desenvolvimento de doenças crônicas não
transmissíveis, como acidente vascular cerebral (ACV), câncer de bexiga, câncer colorretal, insuficiência cardíaca e morte prematura.

Os alimentos embutidos também possuem grande quantidade de sódio (para conservação
do produto) e gorduras. Os conservantes são substâncias com moléculas de sódio na composição, por isso oferecem riscos à saúde até para pessoas que não sofrem de hipertensão, podendo ocasionar também retenção de líquidos.

Para adultos, a recomendação de sódio, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS) é de no máximo a ingestão de 2g/dia (<5g/dia de sal).


Trocas saudáveis:
- Chester/peito de peru/mortadela – Podem ser trocados por frango desfiado, ovos mexidos, pastas de leguminosas - tipo grão de bico, ervilha (liquidificadas com azeite de oliva e ervas finas).

- A carne fresca também é uma excelente opção para ser usada no lugar dos embutidos.
Como os alimentos embutidos são também ricos em gordura saturada, representam fatores de risco também para as doenças cardiovasculares e seu consumo deve ser criterioso por pessoas diagnosticadas com colesterol alto e diabetes. A maioria dos embutidos tradicionais tem o dobro de gordura das carnes in natura.

Outra dica: não há preocupação em comer um sanduíche com bacon uma vez por semana quando sair com a família ou amigos. Isso provavelmente, não vai fazer mal. O problema é comer quatro sanduíches de bacon por semana, e não fazer uso de uma alimentação equilibrada em quantidades e qualidade durante o dia a dia.

O consumo diário de alimentos ricos em fibras como verduras, legumes e frutas além
de aumentar as defesas do sistema imunológico prevenindo doenças ainda tem o papel de
diminuir a absorção de gordura, e nesse caso ajudar no emagrecimento.

Os fatores que interferem diretamente na saúde de uma pessoa são os seus hábitos e estilo de vida. Assim, estratégias básicas e benéficas incluem o consumo de alimentos como frutas, verduras e legumes com frequência, realização de um adequado fracionamento de alimentos entre as refeições e o consumo suficiente de todos os grupos alimentares de acordo com o perfil de saúde e gasto calórico individualizado.

Créditos: Simone Ometto
Especialidade: Nutricionista com Especialização Clínica e Mestre em Ciências (USP)
Nutricionista da Medicina Preventiva - Unimed Piracicaba
APM - Regional Piracicaba

segunda-feira, 28 de agosto de 2017

Chá emagrecedor

Ingredientes:
Dente de leão
Hibisco
Chá verde
Alcachofra
Chapéu de couro

Comprar a mesma quantidade de planta seca de cada um;
Selecionar e retirar galhos que possam estar junto;
Juntar todos e misturar bem;
Usar uma colher de café / xícara de chá;
Quase ferver a água e despejar em um recipiente sobre as ervas.
Abafar de 10 a 15 minutos.

Tomar 3 xícaras por dia entre as refeições.
Lembrando que esse chá é forte e acelera o metabolismo. Não deve ser usado por quem tem pressão alta e/ou problemas cardíacos.
Pode ser usado por 40 dias sem interrupção.
Não se deve aumentar a dose, se quiser tomar mais chá pode-se fazer somente o chá verde e tomar 1 xícara por dia, em jejum (para um xícara de chá, um colher de café das folhas).


Dente-de-leão: diurético, diminui a retenção de líquidos no organismo, dando a sensação de leveza, ou seja, ajuda a emagrecer. É um excelente depurador do sangue. 

Hibisco:
tem efeito diurético, por isso é um aliado para evitar a retenção de líquidos. Estudos observaram que o flavonoide quercetina presente na bebida, é um dos nutrientes que ajuda a proporcionar esta ação.

Chá verde: o consumo regular de chá verde aliado a exercícios físicos é uma boa dica para quem deseja ficar em boa forma. De acordo com Jocelem Mastrodi Salgado, professora de Nutrição da Esalq, a bebida deve ser ingerida antes dos exercícios. Os compostos bioativos agem beneficamente no aumento da termogenese, o que aumenta a velocidade do gasto calórico do organismo e potencializa a perda de peso, explica. Já para pessoas com problemas de sono, o consumo deve ser evitado no período da noite, no máximo três horas antes de dormir, pois o chá contém cafeína.

Alcachofra: tem vitaminas do complexo B, potássio, cálcio, fósforo, iodo, sódio, magnésio e ferro. Muito eficiente na redução do excesso de gordura no sangue.

Chapéu-de-couro: tem ação diurética e melhora o funcionamento do intestino. O resultado é o organismo livre das toxinas e da retenção de líquidos.

Créditos: Karen Sukadolnik – naturóloga formada pela Universidade do Sul de Santa Catarina – UNISUL / Bambamel

quinta-feira, 24 de agosto de 2017

3 sinergias para o dia a dia

Alguns exemplos de combinações harmônicas de óleos essenciais:

5 gotas de lavanda + 5 gotas de manjerona = Boa noite

6 gotas de sálvia esclaréia + 4 gotas de lavanda + 3 gotas de limão = Stress

6 gotas de alecrim + 6 gotas de hortelã = Concentração

Modo de uso: coloque as gotas no difusor ou aromatizador de ambiente e complete com água.

Phytoterápica / Bambamel

segunda-feira, 21 de agosto de 2017

Mutantes

Por Deepak Chopra

Somos as únicas criaturas na face da terra capazes de mudar nossa biologia pelo que pensamos e sentimos! Nossas células estão constantemente bisbilhotando nossos pensamentos e sendo modificados por eles. Um surto de depressão pode arrasar seu sistema imunológico; apaixonar-se, ao contrário, pode fortificá-lo tremendamente.

A alegria e a realização nos mantém saudáveis e prolongam a vida.
A recordação de uma situação estressante, que não passa de um fio de pensamento, libera o mesmo fluxo de hormônios destrutivos que o estresse. 

Quem está deprimido por causa da perda de um emprego projeta tristeza por toda parte no corpo – a produção de neurotransmissores por parte do cérebro reduz-se, o nível de hormônios baixa, o ciclo de sono é interrompido, os receptores neuropeptiídicos na superfície externa das células da pele tornam-se distorcidos, as plaquetas sanguíneas ficam mais viscosas e mais propensas a formar grumos e até suas lágrimas contêm traços químicos diferentes das lagrimas de alegria.

Todo este perfil bioquímico será drasticamente alterado quando a pessoa encontra uma nova posição. Isto reforça a grande necessidade de usar nossa consciência para criar os corpos que realmente desejamos. A ansiedade por causa de um exame acaba passando, assim como a depressão por causa de um emprego perdido.

O processo de envelhecimento, contudo, tem que ser combatido a cada dia.
Shakespeare não estava sendo metafórico quando Próspero disse: “Nós somos feitos da mesma matéria dos sonhos.”
Você quer saber como está seu corpo hoje? Lembre-se do que pensou ontem.
Quer saber como estará seu corpo amanhã? 
Olhe seus pensamentos hoje!

Ou você abre seu coração, ou algum cardiologista o fará por você!

quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Como evitar a flacidez no corpo

Infelizmente nem todo mundo consegue ficar a vida toda com uma pele firme na lateral do corpo, sem gordurinhas e sem a temida flacidez. Essa aparece quando a pele fica mais velha e sem tantas substâncias que a deixam um pouco mais firme .

Para evitar a flacidez, as pessoas devem tomar alguns cuidados com a alimentação e também com outros hábitos de vida, já que estes são fatores que influenciam no surgimento de flacidez, que é um mal que ataca muitas pessoas causando um certo desconforto, principalmente nas mulheres.

A flacidez aparece muito nas coxas, barriga, glúteos e braços e está associada à formação diminuída de proteínas como o colágeno e a elastina. Estes são responsáveis pela rigidez e elasticidade da pele, e frequentemente têm seu funcionamento falho quando expomos em excesso a pele ao sol, no passar do tempo (idade), quando temos uma alimentação inadequada (rica em gorduras e pobre em proteínas) , além dos fatores genéticos.

Dicas para evitar a flacidez
Parece clichê, mas não é, substituir alimentos gordurosos ou repletos de açúcar por frutas, verduras e legumes podem transformar drasticamente seu corpo. O fato é que consumir uma alimentação saudável e rica em fibras pode realizar verdadeiros milagres por sua saúde e beleza. 

Evite alimentos industrializados e fast-food e aumente a ingestão de proteínas (carnes e ovos de preferência orgânicos), vitamina C (encontrada em laranja, acerola e limão) e gelatina (rica em colágeno), assim, diminuirá a flacidez em seu corpo. E não se esqueça de ingerir entre dois e três litros de água por dia, para que seu organismo funcione corretamente.

E como o pior inimigo da flacidez é a perda de muitos quilos rapidamente, você deve emagrecer gradativamente e de forma saudável, em média um quilo por semana, pois, mais que isso sua pele não conseguirá regenerar- se tão rapidamente e a flacidez aparecerá. E engordar rapidamente também é muito prejudicial, não somente para sua beleza, mas, também, para sua saúde.

Evite o efeito sanfona (emagrecer e engordar rapidamente), mantenha uma alimentação equilibrada diariamente e só tenha benefícios.
Exercícios físicos são obrigatórios na luta contra flacidez, você pode fazer caminhadas rápidas, correr, andar de bicicleta ou dançar, você só não pode ser sedentária. Mas, o ideal é praticar musculação, pois, como a musculação trabalha os músculos, diminuindo a gordura corporal, seu corpo e sua pele tendem a ficar mais firmes.

Usar cremes antiflacidez pode ser também uma boa opção, mas, desde que você alie o creme a atividades físicas, alimentação balanceada e ingestão de muito líquido, para irrigar muito bem seu organismo. Porém, se a flacidez for muito intensa, atualmente existem ótimos tratamentos e tecnologias.

Dra.  Silvia Regina Strazzi - CRM 57.976 – Título de Especialista em Dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia e Pós Graduação no Hospital Saint Louis de Paris, França

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Observar e conviver com os animais: o que pode ser aprendido, o que pode ser ensinado

“Crer que Deus pudesse ter feito qualquer coisa sem objetivo e criar seres inteligentes sem futuro seria blasfemar contra a sua bondade que se estende sobre todas as suas criaturas” (1 Q. 607-a).

Quando observamos a natureza verificamos que ela tem algo a oferecer, a ensinar com sua beleza, harmonia e capacidade de adaptação. Os animais no seu instinto de conservação usam a sua força para se alimentar e se defender, nunca para humilhar o seu semelhante. Alguns jamais abandonam os companheiros quando estão feridos ou doentes, como os golfinhos. 

Se algum deles se machuca e corre o risco de morrer afogado, dois outros se aproximam, ficando um de cada lado para levantá-lo juntos. Ou quando envelhecem, como os elefantes. Mesmo quando uma elefanta idosa perde o posto de chefe de manada, para outra mais jovem, não perde o respeito e as atenções da família, que Ihe reconhece a experiência. 

Aprendemos também com os animais de estimação, que em tão grande número participam da rotina de muitas famílias. O primeiro aprendizado é a simplicidade, não precisam de muito para ser felizes, nos lembram de desfrutar dos momentos de cada dia. Algumas pessoas passam pela vida infelizes, porque não sabem a diferença entre o que elas precisam e o que elas desejam. Ensinam a lealdade, pois estão com os donos nos bons e maus momentos. 

Mágoas, melindres não fazem parte da vida deles, podemos observar que a repreensão não os deixam ressentidos. Demonstram afeto pelos humanos sem medo da rejeição, sem receio da critica ou de parecerem muito “melosos”. Cuidam dos filhos com zelo no período necessário e depois os deixam crescer e partir. Abandoná-los quando perdem a graça ou viram um peso, deixando-os na solidão, é ainda, atitude de alguns humanos para com os animais e para com o seu próximo. 

Por outro lado aos que cuidam, os animais retribuem com carinho e atenção, pois são tratados com amor, compreensão, paciência e tolerância. Os animais oferecem companhia e amor, sem as exigências dos seres humanos, além de aceitarem seus donos sem nenhum julgamento. Esses saudáveis e estreitos relacionamentos criam vínculos fortes e duradouros. Assim como os animais respondem ao tratamento que recebem, a vida igualmente devolve o que ofertamos.

O bem que fazemos nos faz enorme bem. “Todos os seres são iguais, pela sua origem, seus direitos naturais e divinos e seu objetivo final”. São Francisco de Assis

Jornal IEE - Sandra Dourado

Postagens Relacionadas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...