quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Itália: alimento para a alma

Por Kike Martins da Costa - Fotos Rogério Voltan

País que desde a antiguidade cultua a felicidade e os bons momentos à mesa.  Hoje se divide em 20 regiões, e cada uma possui deliciosas e incontáveis receitas típicas.

“La cucina di un popolo è la sola esatta testimonianza della sua civiltà.” Segundo o ditado italiano, a cozinha de uma nação é o único atestado exato de seu nível de civilização. E, assim como ocorre nas artes, na ópera, no design e na moda, a gastronomia coloca a Itália no topo do mundo

Comer, para um italiano, não é apenas saciar a fome: é dar amor a quem prova o que acabou de ser preparado, estimular todos os seus sentidos, aquecer o coração e acalmar o espírito.

Criando pratos simples e inteligentes a partir de ótimos ingredientes, a cozinha italiana se consagrou como uma das mais apreciadas do mundo. O país é pequeno (tem uma área menor do que a do Estado do Maranhão), mas se divide em 20 regiões, cada uma com sua personalidade, com dialeto próprio, tradições culturais particulares e, claro, receitas típicas.

Da Ligúria, temos as focaccias, pão leve, com miolo bem aerado e casca macia, em geral salpicadas com sal grosso e ervas, e o pesto, molho à base de manjericão, pinoli, alho e azeite. Da Puglia trazemos a burrata, uma muçarela amanteigada feita com leite de vaca. 

Da Calábria, buscamos a sardella, conhecida como “caviale del sud” (caviar do sul), uma pasta feita com aliche, pimentões vermelhos, tomates, alho, azeite, pimenta calabresa e páprica doce. Depois temos a clássica salada caprese, típica da Campânia. Muita gente nunca se deu conta, mas a salada é uma homenagem às cores da bandeira italiana: junta o branco da muçarela de búfala ao vermelho dos tomatinhos e o verde do manjericão. Também temos o vitello tonnato, patrimônio piemontês.

E vamos ao que interessa: macarrão! Da Sicília, vem o spaghetti alla norma, com molho à base de berinjelas, tomates, ricota e manjericão; para recriar a atmosfera do verão da Toscana, nossa dica é o fusilli al limone e, para quem prefere a paisagem de Roma, temos o penne à carbonara. 

Quem nos dá as dicas é o chef Marco Renzetti, do restaurante paulistano Osteria del Pettirosso. “De preferência, use massa de grano duro e, depois de cozida, envolva-a em um molho feito com um ovo inteiro, pancetta, queijo pecorino ralado e pimenta-do-reino”, conta, afirmando que quem usa creme de leite comete um “pecado”. “Na minha opinião, não é um autêntico carbonara”, avisa. Na sobremesa, vamos à Lombardia, famosa por seus gelatos e pelas granitas, delícia que parece um sorbet. 

Em um dia de calor, nada melhor que uma granita de limoncello (licor de limão siciliano) para refrescar. E, para harmonizar com esse delicioso almoço ao ar livre, o prosecco, espumante típico do Vêneto. Ele pode ser consumido puro, mas também fica ótimo em drinques como o veneziano bellini e o milanês aperol spritz. Salute!

Molho à carbonara
Rendimento: 4 porções
Ingredientes
1 colher (sopa) de azeite
1 dente de alho amassado
300 g de pancetta (ou bacon) em pedaços pequenos
5 ovos
5 colheres (sopa) de queijo parmesão ralado
5 colheres (sopa) de queijo pecorino ralado
Pimenta-do-reino e sal a gosto
600 g de penne (ou uma massa de sua preferência)

Modo de preparo
Em uma frigideira, coloque o azeite e o alho amassado. Junte a pancetta e deixe até ficar dourada e soltar a gordura. Quando o alho estiver dourado, retire-o da panela e reserve.
Em um recipiente, bata os ovos com os queijos e moa a pimenta por cima. Misture bem. Coloque o macarrão já cozido al dente na frigideira com a pancetta (ainda no fogo), o alho
e corrija o sal. Em seguida, coloque o ovo batido por cima.

Molho al limone
Rendimento: 4 porções
Ingredientes
2 limões sicilianos
1 dente de alho picado
Azeite a gosto
1 lata de creme de leite sem soro
Sal a gosto
600 g de fusilli (ou uma massa de sua preferência)
100 g de queijo parmesão ralado

Modo de preparo
Raspe as cascas do limão e reserve. Em uma panela, doure o alho no azeite. Em seguida, coloque o creme de leite e deixe esquentar, sem deixar ferver. Quando estiver quente,
desligue o fogo e acrescente as raspas do limão, deixando um pouco para decorar. Em seguida, coloque o suco dos limões aos poucos, mexendo sempre, e o sal a gosto. Cozinhe a massa (de acordo com a embalagem), coloque o molho e jogue parmesão por cima. Decore com as raspas.

Dica: experimente o molho à medida que coloca o suco do limão para não ficar azedo.

Molho alla norma (com berinjela, tomate e ricota)
Rendimento: 4 porções
Ingredientes
2 berinjelas grandes
Sal grosso e azeite
1 cebola
Tomates frescos sem casca e sem sementes (ou tomates “pelati”)
1 pitadinha de açúcar
Sal e pimenta-do-reino a gosto
10 folhas de manjericão frescas
400 g de spaghetti (ou uma massa de sua preferência)
200 g de ricota ralada grosseiramente
Manjericão para decorar

Lave as berinjelas e, sem tirar a casca, corte-as em fatias grossas. Coloque as fatias em um escorredor, alternando camadas de berinjela e sal grosso. Coloque um peso por cima e deixe-as eliminando o líquido por, ao menos, uma hora. Depois, lave-as e enxugue-as. Corte as berinjelas em cubos e frite-as em azeite de oliva.

Escorra em papel absorvente, coloque uma pitada de sal e reserve. Doure a cebola em uma panela com pouco azeite. Adicione os tomates em pedaços, coloque o açúcar, uma pitada de sal e a pimenta. Junte as berinjelas. Cozinhe tudo em fogo baixo, reduzindo a mistura, sem deixar o molho muito seco. 

Em seguida, adicione as folhas de manjericão inteiras ou rasgadas à mão. Cozinhe a massa como indicado na embalagem. Escorra a massa e junte ao molho. Coloque a metade da ricota na panela. Transfira tudo para um travessa e use a outra metade da ricota para polvilhar. Decore com algumas folhas de manjericão.

Créditos: Gastronomia Angeloni – Equipe Angeloni

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Suco para repor o potássio e nutrientes no organismo

Ingredientes
½ maçã com casca red argentina ou gala
½ banana nanica 
1 raminho pequeno de salsa
1 talo de couve
1 colher (chá ) de chia
1 copo (200ml) de água de coco
1 colher (sopa) mel - opcional
½ limão tahiti

Modo de preparo: liquidifique todos os ingredientes, menos o limão. Espremer o limão no copo junto com o suco e beber. Tomar por 21 dias pela manhã.

Créditos: receita cedida pelo terapeuta holístico José Renato – Sorocaba / São Paulo (01515-3202-2116)

terça-feira, 17 de janeiro de 2017

Os filhos do quarto

Não sejamos exageradas para dizer que só agora com advento da WWW temos perdido filhos. Eles faleciam também antes disso.
Mas antes perdíamos filhos nos rios, nos matos, nos mares, hoje temos perdido eles dentro do quarto!
Quando brincavam nos quintais ouvíamos suas vozes, escutávamos suas fantasias e ao ouvi-los, mesmo a distância, sabíamos o que se passava em suas mentes. Quando entravam em casa não existia uma TV em cada quarto, nem dispositivos eletrônicos em suas mãos. Quero deixar bem claro que não sou contra e nem capetizo tudo isso. Mas queridos, precisamos ser sinceros: temos perdido o equilíbrio.
Hoje não escutamos suas vozes, não ouvimos seus pensamentos e fantasias, as crianças estão ali, dentro de seus quartos, e por isso pensamos estarem em segurança. Quanta imaturidade a nossa.
Agora ficam com seus fones de ouvido, trancados em seus mundos, construindo seus saberes sem que saibamos o que é…
Alguns, perdem literalmente a vida, mas tantos outros aí, ainda vivos em corpos, mas mortos em seus relacionamentos com seus pais, fechados num mundo global de tanta informação e estímulos, de ídolos de youtube, de modismos passageiros, que em nada contribuem para formação de crianças seguras e fortes para tomarem decisões moralmente corretas e de acordo com seus valores familiares. 
Dentro de seus quartos perdemos os filhos pois não sabem nem mais quem são ou o que pensam suas famílias, já estão mortos de sua identidade familiar… Se tornam uma mistura de tudo aquilo pelo qual eles tem sido influenciados e pais nem sempre já sabem o que seus filhos são.
Você hoje pode ler esse texto, amar, marcar os amigos. Pode enxergar nele verdades e refletir. Tudo isso será excelente. Mas como Psicopedagoga tenho visto tantas famílias doentes com filhos mortos dentro do quarto, então faço a você um convite e, por favor aceite! 
Convido você a tirar seu filho do quarto, do tablet, do fone de ouvido, convido você a comprar jogos de mesa, tabuleiros e ter filhos na sala, ao seu lado por no mínimo 2 dias estabelecidos na sua semana a noite (além do sábado e domingo). 
E jogue, divirta-se com eles, escute as vozes, as falas, os pensamentos e tenha a grande oportunidades de tê-los vivos, “dando trabalho” e que eles aprendem a viver em família e se sintam pertencentes no lar para que não precisem se aventurar nessas brincadeiras malucas para se sentirem alguém ou terem um pouco de adrenalina que antes tinham com as brincadeiras no quintal!
Créditos: Cassiana Tardivo - Psicopedagoga / Consultora Pedagógica / Coaching Parental / Palestrante - ‎Profissional Liberal

terça-feira, 10 de janeiro de 2017

Práticas de consciência

Tão importante quanto cuidar da saúde do corpo é cuidar da saúde da mente. A seguir, 3 exemplos de práticas simples e poderosas para expansão da consciência no dia a dia. Juntas não exigem nem 5 minutos de comprometimento, mas estes 5 minutos têm o potencial de impactar positivamente seu estado de espírito.

     Presença
Ao despertar, a primeira coisa deve ser a lembrança de si. Respirar fundo, sentar-se em sua cama, desvencilhar-se do mundo dos sonhos e lembrar que você está vivo na Terra, habitando um corpo que é feito de natureza. Mas não é só lembrar com o pensamento. 

É mais do que pensar. É sentir. O exercício não poderia ser mais simples: sustentar esta percepção por um minuto. Apenas estar ali, em silêncio, na presença de seu melhor amigo: você mesmo. A presença é a base da meditação. Simplesmente estar aqui, sem planejar o futuro ou se recordar do passado. Observar o momento. Sentir o momento.

1   Silêncio
Se a palavra é de prata, o silêncio é de ouro. O cultivo do silêncio é algo fundamental para quem aspira construir uma realidade extraordinária ao seu redor. Estar em silêncio é o que te permite ter clareza interior, organizar e escolher melhor os pensamentos que te interessam, eliminando aquilo que não serve aos seus propósitos. 

A prática do silêncio é uma extensão da prática da presença. Uma requer a outra, uma fortalece a outra. Nada pode ser mais simples: cultive o silêncio enquanto mantém a presença. Primeiro externamente, depois internamente, silenciando também o diálogo interno. Cultive o silêncio e a presença por apenas 5 minutos pela manhã, até que esteja tão confortável que você naturalmente amplie este período.

1     Gratidão
Pode parecer uma filosofia de autoajuda, mas é pura neurociência: o cérebro é incapaz de reclamar e sentir a gratidão ao mesmo tempo. Conclua sua prática de presença e silêncio praticando aquilo que os monges budistas categorizam como o mais elevado estado de consciência possível ao ser humano - a Gratidão. No minuto final de seu cultivo de silêncio, traga à mente alguns dos motivos que você tem para agradecer. 

Sentir este agradecimento de forma sincera é a forma mais rápida e eficiente para se sintonizar com as dimensões nobres do Ser…  Aproximando-se do seu coração, e da sua essência. Em uma sociedade em que o normal e ordinário é reclamar pelo que não se tem ou pelo que não se é, não seja normal nem ordinário. Agradeça pelo que você é, e pelo que você tem. Seja extraordinário!

Créditos: Flávio Passos – Chef e pesquisador de nutrição

quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

Argan: o ouro do Marrocos

Proveniente da semente dos frutos de uma árvore semidesértica chamada Argânia (Argania spinosa), o óleo de argan tem como carro chefe os ômega 6 (ácido linoléico) e ômega 9 (ácido oléico), numa proporção equilibrada, que permite uma hidratação profunda da pele e dos cabelos. Além disso é uma rica fonte de vitamina E, esqualeno, polifenóis, carotenóides e esteróis, que prometem ação antioxidante e regeneradora das células.

Empregos na pele e unhas
Na pele, o óleo de argan é um produto fantástico! Não é oleoso, é rapidamente absorvido, hidratando profundamente, devolvendo o brilho, a vida e saúde da pele. Seus antioxidantes agem regenerando a pele e combatem o envelhecimento durante o repouso noturno.

Na farmacopéia do Marrocos, o óleo de argan é recomendado para acne, estrias e queimaduras. Sua aplicação diária trata de rachaduras da pele, em especial do bico dos seios (durante a amamentação), também útil em dermatites e escaras. Além disso, é recomendado para as unhas quebradiças, nutrindo e protegendo contra as agressões externas. É utilizado de 1-3 gotas na pele ou unhas, espalhando-se com a ponta dos dedos.

Empregos no cabelo
Os marroquinos utilizam o óleo de argan como um bioativo no tratamento dos cabelos há séculos. Seus benefícios vêm de sua capacidade natural de hidratar, o que ajuda a diminuir o frizz e controlar os cabelos rebeldes. Seus antioxidantes e vitaminas melhoram a elasticidade dos fios, dão um brilho luminoso e ajudam a renovar os cabelos contra danos causados pelo calor, vento, oxidação ou excesso de escova e química. 

É muito suave, sendo absorvido instantaneamente sem deixar cheiro ou oleosidade sobre os cabelos. Reduz as pontas duplas, além de proteger de danos térmicos. Como beneficio adicional, ajuda a manter a cor dos cabelos coloridos por mais tempo.
Uma vantagem do uso antes da escova é diminuir o tempo de secagem.

Formas de usar:
Antes da escova, ajuda a secar mais rápido e deixa os fios mais macios: use uma pequena quantidade na palma da mão priorizando o comprimento e pontas.
Depois da escova, como finalizador, ajuda nos penteados e na prevenção de pontas duplas.

Tratamento noturno: use uma pequena quantidade na palma da mão utilizada no comprimento e pontas.
Aplicação no processo de coloração: alguns profissionais utilizam cerca de uma tampa e meia nos cabelos secos ou com química, massageando e deixando sem enxágue antes da aplicação da coloração. O benefício é prevenir possíveis danos aos fios. 

A obtenção do óleo é geralmente realizada pelas mulheres, num trabalho árduo. Para se conseguir 1 litro de óleo, são necessários 30kg de frutos, colhidos de cerca de sete árvores, em aproximadamente 15 horas de trabalho! Por isso é importante atenção na hora da compra, já que pelo fato do óleo de argan ter se tornado muito famoso, muito produto ‘‘barato’’ encontrado no mercado é adulterado com óleo de soja desodorizado.

Céditos: Fabian Laszlo- professor de aromaterapia

Postagens Relacionadas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...