segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Dores da alma

As dores da alma não deixam recados, imprimem uma sentença que perdura pelos anos.
 

Um amor que acabou mal resolvido, um emprego que se perdeu inexplicavelmente, um casamento que mal começou e já terminou, uma amizade que acabou com traição, tudo vai deixando sinais, marcas profundas...

Precisamos trabalhar as dores da alma, para que sirvam apenas de aprendizado, extraindo delas a capacidade de nos fortalecermos, aprendendo que o melhor de nós, ainda está em nós mesmos, que amando-nos incondicionalmente, descobrimos a auto-estima, que se deixarmos seguir o caminho da dor e da lamentação, iremos buraco abaixo no caminho da depressão.

As dores da alma não saem no jornal, não viram capa de revista, e só quem sente, pode avaliar o estrago que elas causam. Como não existe vacina para amores mal resolvidos, nem para decepções diárias, o que vale é a prevenção. 

Então: ame-se, para amar e ser verdadeiramente amado, sorria, para que o mundo seja mais gentil, dedique-se, para que as falhas sejam pequenas, não se compare a ninguém, você é único, repare nas pequenas coisas, mas cuidado com as grandes que às vezes estão bem diante do nosso nariz e não enxergamos.

Sonhe, pois o sonho é o combustível da realização, tenha amigos e seja o melhor amigo de todos, apaixone-se pela vida e por tudo o que é seu, acredite em seu poder de sedução, estimule-se, contagie o mundo com o seu melhor, creia em Deus, pois sem Ele não há razão em nada, e tenha sempre a absoluta certeza de que, depois da forte tempestade, o arco-íris vai surgir e o sol vai brilhar ainda mais forte.

Autor:  Paulo Roberto Gaefke
Créditos: Momento de reflexão do Velho Sábio
             velhosabio.com.br
Imagem: Reprodução

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Mãos saudáveis

As mãos também envelhecem e perdem o brilho e elasticidade de sua pele. Para que isso não aconteça, devemos cuidar das mãos com bastante atenção.

O dorso das mãos tem a pele fina, delicada e com pouca quantidade de glândulas sebáceas, o que as tornam muito sensíveis à desidratação. 

As mãos são bastante sensíveis a mudanças bruscas de temperatura e de agentes agressores que afetam sua maciez.

Ao contrário de outras partes do corpo, as mãos não podem contar com cirurgias plásticas para reparar a ação do tempo. Por tudo isso, é extremamente importante cuidar diariamente das mãos.

Hidratação das mãos
A hidratação ameniza o ressecamento e cria uma barreira protetora da pele. Os cremes hidratantes formam um filme delicado e perfumado em sua pele, mantendo-a hidratada. Eles proporcionam maciez e suavidade mesmo às peles mais secas. 

O principal cuidado que devemos ter com as mãos é a proteção contra as nocivas radiações solares, fazendo o uso adequado de filtro solar. Assim, é possível prevenir o aparecimento de manchas e o envelhecimento causado pelo sol.

Dicas para manter as mãos saudáveis
Hidrate as mãos com cremes específicos diariamente.
Use filtro solar diariamente no dorso das mãos, afinal, ela é uma das regiões mais expostas ao sol.

Use luvas ao lavar louças ou sempre que entrar em contato com produtos de limpeza, pois estes agridem e ressecam as mãos.

Evite roer as unhas e mantenha-as limpas, além de deixá-las feias, bactérias e outros organismos podem se depositar embaixo delas.
Esfolie as mãos a cada 15 dias para remover as células mortas.

Receita para esfoliar as mãos
1 colher de óleo de amêndoa
1 colher de sal ou açúcar cristal
1 colher de creme hidratante
Modo de fazer:
Misture os ingredientes e passe o preparado nas mãos, massageando com movimentos circulares. Enxágue com água morna. Em seguida, aplique uma loção ou creme hidratante, de preferência com filtro solar para evitar manchas.
Créditos: vilamulher.terra.com.br

E se o ressecamento da pele estiver intenso, experimente aplicar o creme hidratante nas mãos e envolve-las numa luva antes de dormir. Esse procedimento ajuda a pele a resgatar a hidratação e viço.

A insatisfação com a aparência das mãos é mais comum do que se possa imaginar. Quem esqueceu de tratá-las bem, ao longo dos anos, ainda pode contar com os benefícios dos mais diversos tratamentos estéticos para amenizar os efeitos incontestes do tempo.

Lavar com sabonetes à base de glicerina e que não contenham substâncias abrasivas, ressaltando também o uso de hidratantes sem óleo, os chamados “oil free”. E não esquecer de ingerir água, pois esse é o melhor e o único meio para a hidratação.

O primeiro passo pra minimizar os efeitos do fotoenvelhecimento é o peeling, técnica para combater o envelhecimento das mãos. É aplicada uma solução na pele para remoção das células mortas e promoção da produção de novas. 

Ele compacta a pele, reduz o número de rugas, flacidez e a rejuvenesce. Todos os dias, milhares de células da pele morrem, descamam e são substituídas por novas. 

Com o envelhecimento, esse processo torna-se mais lento. Fica mais difícil para a pele remover manchas escuras e corrigir o dano causado pelo sol. A função de um peeling químico é promover a descamação controlada de várias camadas de células danificadas.

Bambamel Natural

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Dicas para adiar o envelhecimento

 Pelo simples fato de existirmos e estarmos vivos, naturalmente o nosso corpo produz substâncias (radicais livres de oxigênio) que, lentamente, vão danificando as nossas células, causando doença e envelhecimento em longo prazo. 

No entanto, o corpo possui sistemas naturais de defesa que nos protegem dessas agressões.

Os radicais livres de oxigênio são átomos de oxigênio muito instáveis que se formam durante o metabolismo celular e ao transferirem energia para as células vizinhas,  podem danificá-las.

As funções normais do organismo, como a respiração ou a atividade física, são produtoras normais de radicais livres que o organismo consegue controlar.

Há fatores externos que podem contribuir para uma produção excessiva destas substâncias, como é o caso da poluição atmosférica, do fumo, do stress, dos resíduos de pesticidas e outras substâncias tóxicas. Nestas circunstâncias, os sistemas habituais de remoção dos radicais livres, podem não ser suficientes.

Quando as células são atacadas pela ação dos radicais livres, as pessoas tornam-se mais susceptíveis a doenças cardiovasculares, certos tipos de problemas reumáticos e certos cânceres. A formação de radicais livres está relacionada com o processo de envelhecimento celular.

Sistemas de defesa extra
Para além dos sistemas naturais de defesa do organismo contra os radicais livres, existem outras substâncias capazes de anular a ação destes radicais são os antioxidantes (como as vitaminas C, E e os carotenoides que incluem o beta-caroteno, o licopeno e a luteína, ajudam na proteção das células saudáveis contra o ataque dos radicais livres.

Os carotenoides estão presentes numa grande variedade de frutas e legumes (principalmente as de cor vermelha, laranja, amarela intensa e verde escuro), e o beta-caroteno, o licopeno e a luteína têm-se demonstrado muito eficazes na redução dos estragos pelos radicais livres.

O beta-caroteno pode ser mesmo um aliado na luta contra o câncer da próstata.

O licopeno é o carotenoide encontrado principalmente no tomate (mas também na melancia, goiaba, toranja, entre outros), e é um poderoso antioxidante que parece exercer um papel protetor contra doenças como câncer da boca, faringe, esôfago, estômago, cólon, próstata e reto.

A luteína, presente nos brócolos, couve de bruxelas, espinafres e gema de ovo, pode diminuir o risco de desenvolver a degeneração macular.

O principal papel da vitamina E é como antioxidante, uma vez que parece ajudar na proteção das células contra o câncer, doenças cardiovasculares, envelhecimento, infertilidade e desempenho desportiva. A vitamina E atua em conjunto com a Vitamina C, oferecendo proteção contra a doença.

A vitamina C é um dos antioxidantes mais conhecidos e recentes pesquisas descobriram que ela pode diminuir o risco de desenvolver cataratas e outras doenças dos olhos. Em alguns estudos, esta vitamina ajudou a baixar a pressão sanguínea e o colesterol.


Os cientistas descobriram que pessoas que sofrem de asma, artrite, câncer, diabetes e doenças cardiovasculares têm menor quantidade de vitamina C em circulação no sangue do que pessoas saudáveis.

Sabe-se que a fruta e os legumes ajudam a prevenir uma vasta gama de doenças, por serem grandes fontes de vitaminas antioxidantes, para além de outras vitaminas, sais minerais e fibras.

Créditos: sounatural.com

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Sal marinho x Sal comum

Um dá vida... O outro mata!

É o maior concentrado de minerais naturais. É o maior alimento que a natureza criou, na exata medida requerida pelas células.E o outro, o sal comum mata (lentamente, mas mata).

O mar move-se ondularmente há milhões de anos, desgastando todos os minerais e pedras que existem no planeta... E essas partículas estão suspensas na água do mar.

O homem descobriu que, evaporando a água do mar, resta o sal marinho. Ao analisá-lo, verificamos que contém quase que nas mesmas proporções do soro sanguíneo, todos os minerais que o organismo precisa. Por isso se diz que viemos do mar.

Alguns minerais contidos no sal marinho:
Enxofre, boro, bromo, césio, carbono, estrôncio, magnésio, potássio, sódio, alumínio, arsênico, bário, cobalto, flúor, fósforo, ferro, lítio, manganês, mercúrio, níquel, nitrogênio, ouro, prata, radio, rubídio, selênio, silício, tório, urânio, zinco, iodo.

Há ainda, moléculas de todas as pedras do planeta, sejam de uma montanha ou do deserto. Tudo termina no mar, levado pelas chuvas.

Os músculos, ao desidratar-se, perdem grandes quantidades de água e sais minerais, criando um estado de cansaço e esgotamento físico, psíquico, emocional e mental.

Há maus funcionamentos internos, quando faltam os minerais perdidos. Devemos repo-los rapidamente, e com o sal comum, nada chegará até as células: somente sódio puro. O sal marinho repõe, em instantes, as nossas perdas.

Benefícios do consumo diário do sal marinho:
1 Dá energia para os músculos.
2 Compensa os prejuízos da má alimentação.
3 Diminui a acidez gástrica.
4 Estimula a circulação sanguínea, respiratória, centros nervosos, os rins e as vias urinárias.
5 Elimina os ácidos tóxicos (láctico e úrico).
6 Em três semanas, há uma grande transmineralização e um enriquecimento extraordinário de cálcio, flúor, magnésio.
7 O magnésio previne contra os transtornos do coração.
8 O flúor fortifica os ossos, os dentes.
9 Tem grande efeito bactericida e antibiótico.
10 Produz um grande equilíbrio electrolítico.
11 Regula os excessos de sódio e potássio (baixa a pressão arterial, segundo estudos feitos na Espanha).
12 Evita resfriados.
13 É antialérgico.
14 Estimula a cura das feridas. Alivia a psoríase, os processos menstruais, o bócio.
15 Combate o colesterol, a senilidade, os cálculos biliares.
16 Os minerais participam da cura de todas as doenças físicas... Todas!

Créditos: Centro argentino de investigación y Estúdio de los micro nutrientes celulares. 
Lic. Omar Rost. - Recebido por e-mail
Imagem: Reprodução

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Erros comuns na hora de cozinhar

 
1 Não lavar as mãos antes de começar a cozinhar
Já parou para pensar que na superfície da mão extremamente bem cuidada, macia e sedosa, diversos vírus, bactérias e até coliformes fecais podem estar alojados, sem emitir qualquer sinal de vida? 

Pois os especialistas garantem que uma das maiores fontes de contaminação para os alimentos são, sim, as mãos de quem cozinha! 

Esses microorganismos nocivos que ficam na superfície da pele contaminarão automaticamente alimentos crus ou prontos, bastando o contato com eles. O resultado pode ser uma intoxicação alimentar.

2 Deixar a comida esfriar antes de colocar na geladeira
Se você é do tipo que morre de medo de estragar o refrigerador, guardando o feijão quentinho, recém-tirado da mesa, espere até ouvir essa! 

Conforme a temperatura do alimento vai baixando, vamos criando condições cada vez mais propícias para a multiplicação das bactérias, dentro do alimento. Em duas horas, o seu delicioso feijão já terá potencial para se transformar em material extremamente tóxico. 

Depois disso, as bactérias chegam a dobrar de número a cada 20 minutos.
Para acertar: em vez de cuidar tão bem da geladeira, tenha dó da sua saúde. Mande logo o feijão e tudo o mais que você serviu no almoço direto para o lugar onde eles permanecerão sempre fresquinhos e a salvo dos micro-organismos.

3 Usar colher de pau para mexer os alimentos
A madeira é um material poroso que vai acumulando resíduos dos alimentos em seu interior. Daí, por mais que você lave depois de usar, muitos micro-organismos nocivos não vão sentir nem cosquinha e continuarão bem acomodados ali, comendo o que sobrou nas fissuras e nas lascas. 

Como se não bastasse, os bichinhos maus ainda se multiplicam! Esses micro-organismos, com o tempo, começam a migrar para os alimentos.

Para acertar: pode até doer o coração, mas o certo é jogar a colher, junto com todos os outros utensílios de madeira que você tem em casa, no lixo! Troque por similares de plástico ou vidro, que podem ser higienizados de maneira mais adequada e não juntam tantos resíduos de alimentos.

4 Guardar os enlatados na geladeira, para comer depois
Eis um erro que os especialistas consideram gravíssimo! Uma vez aberta, a lata já não pode ser vedada da maneira adequada. Com isso, fica muito mais fácil acontecer a contaminação por micro-organismos potencialmente perigosos.

Para acertar: felizmente, existe um caminho do meio entre o desperdício e a sua falta de vontade de consumir a lata num só dia. Basta transferir imediatamente o alimento para um pote plástico ou de vidro, que possa ser fechado.

5 Cozinhar vegetais em água fria
Um brócolis fresquinho reúne uma porção de propriedades nutricionais interessantes. Porém, ao colocá-lo para cozinhar, boa parte desses compostos ficarão boiando na água, em especial as vitaminas hidrossolúveis e os minerais. O mesmo acontece com a maioria dos vegetais que você não consome crus.


Para acertar: a pior forma de cozinhar os vegetais é mergulhando-os na água fria, esperando até que ela ferva. Ao colocá-los já na água fervente, o tempo de cocção será menor e a perda de nutrientes. A melhor solução é cozinhá-los no vapor. Aproveite a água da cocção para fazer molhos ou regar carnes.

6 Usar apenas o azeite de oliva
O azeite de oliva extravirgem tem compostos antioxidantes, gordura monoinsaturada e é fonte de vitamina E. O caso é que boa parte desses benefícios desaparece quando o azeite é aquecido em temperaturas acima de 190oC, o que é comum na preparação de frituras. 

Nessas condições, além de perder grande parte das propriedades nutricionais, o azeite pode oxidar, formando compostos que são tóxicos.

Para acertar: preserve sua saúde e seu orçamento doméstico reservando o azeite de oliva extravirgem, cujo preço é infinitamente superior ao dos óleos vegetais, para preparações frias, refogados e também ensopados. No momento de grelhar e fritar, procure utilizar os óleos de canola ou girassol, que são muito mais recomendados.

7 Tostar a carne ou colocá-la na grelha
Quando alimentos gordurosos, como as carnes, são expostos a altas temperaturas por um determinado período de tempo, formam-se substâncias tóxicas chamadas de hidrocarbonetos policíclicos aromáticos (HPAs), que são absorvidas pela carne. 

A queima do carvão também pode levar à produção desses compostos, que são carcinogênicos.
Para acertar: quando o pecado da carne for inevitável, prefira um bife ao ponto. A carne malpassada também apresenta grande risco de contaminação.

8 Quebrar o ovo na pia da cozinha
Que é prático, é. Mas existe um motivo forte para mudar de vez esse hábito. Os ovos podem conter salmonella, uma bactéria que provoca diversas doenças gastrointestinais graves. 

Em muitos casos, o alimento contamina a pia e, por contaminação cruzada, atinge outros alimentos. O contrário também acontece. Micro-organismos que caminham despreocupados pela sua pia podem decidir, de repente, mergulhar dentro daquela piscina amarela que nós chamamos de gema. E aí... já viu!
Para acertar: antes de usar, lave os ovos um a um com água e detergente neutro. Depois, use uma colher limpinha para quebrar a casca.

9 Salgar demais
Não é nenhuma novidade o fato de que o sal faz mal à saúde. O que pouca gente sabe é que, sem querer, acaba abusando desse condimento no dia a dia, expondo-se a todos esses riscos. 

A Organização Mundial da Saúde recomenda utilizar apenas 2 g de sódio por dia. Só que o brasileiro ingere, em média, entre 8 g e 12 g de sal (uma colher de sopa), o que equivale a 4,5 g de sódio. É mais que o dobro do recomendado!


Para acertar: cozinhe os alimentos sem sal nenhum, só com temperos naturais, como ervas. Depois, adicione uma colher de café (1 g) de sal, direto no prato, no almoço e no jantar. Mas só isso não basta. É preciso controlar a ingestão de alimentos prontos e que já vêm de fábrica com uma quantidade enorme de sódio.

10 Abusar do creme de leite
Não dá para negar que ele é capaz de transformar qualquer molhinho borocoxô em uma iguaria dos deuses. O único problema é que o tal creme também multiplica as calorias da sua receita. 

O creme de leite é obtido a partir da gordura do leite, que se acumula na superfície, formando aquela camada de nata. Por isso mesmo, ele torna qualquer preparação mais gordurosa e, consequentemente, mais calórica.


Para acertar: quer salvar seu acompanhamento sem comprometer a saúde? Então use a criatividade. Substitua o creme de leite pelo leite semi ou desnatado, engrossado com amido de milho. Ou use a versão light do produto. Outra dica: adicione o creme ao prato sempre depois que ele estiver pronto, para evitar que ele coalhe e embolote na preparação.

Créditos: texto e imagem: revistavivasaude.uol.com.br/saude-nutricao/99/artigo221131-3.asp

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Satisfação da alma

Hoje vive em quietude o meu coração, e sopra uma leve brisa, arejando-me a alma.
Não mais aspiro a minha doce ilusão, e conforto-me na solidão de uma noite calma.

Hoje minha alma percorre caminhos perfumados, e guardo no livro das memórias, as experiências vividas.

Sentindo o corpo e alma em equilíbrios alcançados, e uma agradável sensação de estar curando feridas.

Hoje cada alvorecer é desenhado de harmonia, agradável é essa sensação de paz alcançada. Dançarei eternamente em êxtase de alegria, sentindo a satisfação de ter a alma beijada.

Autor: texto de Lisiê Silva
Imagem: Reprodução

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Minerais para os cabelos


Os cabelos necessitam de minerais para uma perfeita saúde. E a falta de certos minerais, além de lhe proporcionarem cabelos ruins, pode culminar com sua queda, por mais shampoos de grifes renomadas que você use. 

Sei que existem no mercado excelentes produtos como shampoos, cremes, bálsamos, que nutrem bem os cabelos. Só que eles nutrem de fora para dentro. O assunto de hoje, mostra o contrário: nutrir os cabelos de dentro para fora.

O interessante é que para a formação do cabelo, vários sistemas do nosso corpo vão trabalhar para a sua produção. Por exemplo, o equilibrio hormonal é necessário para que o cabelo possa crescer e os folículos pilosos, que é onde os cabelos crescem, devem ser munidos de nutrientes específicos.

Selênio
É um mineral que ajuda o cabelo a crescer. É um oligoelemento utilizado pelo organismo em pequenas quantidades, mas é vital. Além de problemas capilares, a deficiência desse mineral pode gerar doenças cardíacas e câncer. O selênio é parte da via metabólica do metabolismo de iodo e também contribui para a síntese de proteínas. 

A castanha-do-Pará, que agora é castanha-do-Brasil, arroz integral e nozes são boas fontes de selênio. Basta comer 4 castanhas por dia. O caminho da moderação, creio eu, é o melhor. Uma consulta com um nutricionista, vai lhe dar uma lista de alimentos os quais deverão suprir suas necessidades. Ou seja, vem um pacotão completo. É bem mais prático.

Iodo
Previne a queda do cabelo. Ele é usado pela glândula tireóide e sua carência pode ocasionar a queda dos cabelos. 

Algas e peixes são excelentes fontes de iodo. O mar também é uma grande fonte, principalmente no sal. 

A adição de algas na dieta pode proporcionar uma boa dose de iodo necessária para alimentar a glândula tireóide e evitar a perda de cabelo.

Zinco
As células dos folículos pilosos utilizam o zinco. Pode ser tomado por via oral ou aplicação nos próprios cabelos em forma de cremes ou loções.

Cálcio
O cálcio é importante para o crescimento dos cabelos. Mas tem que vir acompanhado do magnésio. O cálcio sem o magnésio traz mais problemas que soluções. O cálcio é um dos minerais mais abundantes em nosso corpo e deve estar depositado principalmente nos ossos e dentes. 

Você pode aumentar os níveis de cálcio adicionando sementes de gergelim, meia xícara de espinafre, peixes em sua dieta.

Créditos: estoubeim.com

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Gordura abdominal


Manter-se magro. Acho que nunca tantas pessoas acalentaram tal desejo por tanto tempo. 

Não é fácil, os ponteiros que o digam. Mas, talvez mais do que a preocupação com a estética, o foco deveria ser o que acontece com o fígado ou mesmo o coração. 

E, quando se fala em saúde, a principal preocupação precisa ser com a gordura abdominal. As células de gordura do corpo estão constantemente enchendo-se e esvaziando-se. E, ao esvaziarem, jogam na corrente sanguínea ácidos graxos e glicerol. A proximidade com o fígado faz com que, primeiro, essas substâncias se depositem no órgão. 

Isso provoca a chamada esteatose hepática, que não é uma doença em si, e, sim, o resultado de desordens metabólicas. A longo prazo, ela pode fazer com que o fígado pare de funcionar.

Esse tipo de gordura também aumenta a chance de desenvolver diabetes tipo 2. Finalmente, é preciso livrar-se da gordura que acaba com a cintura porque ela afeta diretamente o coração. Foi o que confirmou uma pesquisa, publicada recentemente no Circulation, jornal da Sociedade Americana do Coração, na qual foram avaliados 1.708 homens e 892 mulheres com problemas cardíacos entre 45 e 79 anos na Inglaterra. 

Os cientistas concluíram que homens com a cintura aumentada têm 55% a mais de chance de desenvolver doenças coronarianas, e esse número sobe para 91% no caso das mulheres.

Outro estudo, dessa vez desenvolvido pela Escola de Medicina de Boston (EUA), relacionou a gordura abdominal com maior chance de desenvolver demência. Foram acompanhadas 700 pessoas de meia-idade, e os pesquisadores encontraram uma associação inversa entre a circunferência do abdome e o tamanho do cérebro.


Os tipos de gordura abdominal
Existem basicamente dois tipos de gordura abdominal. A visceral, que, como o nome diz, esconde-se entre as vísceras e é a mais perigosa. Já a subcutânea fica sob a pele e está menos entranhada entre os órgãos. É fácil diferenciar uma da outra: se você deitar e sua barriga esparramar para os lados, é subcutânea. Se ficar rígida feito uma bolinha é víscera. 

As duas devem ser combatidas. A conta para saber se a gordura abdominal está comprometendo a sua saúde é a seguinte: meça a região que fica entre a última costela e a crista ilíaca, exatamente a cintura. Para as mulheres, se a medida ultrapassar 80 centímetros, e para os homens 94, já há um risco moderado de desenvolver os males relacionados a esse tipo de gordura. Mas o sinal de alerta toca mesmo se a medida ultrapassar 102 centímetros para os homens e 88 para as mulheres.

Em qualquer um desses casos é preciso realizar mudanças que façam com que essa gordura desapareça ou diminua. Alguns alimentos contribuem para a redução da gordura abdominal: frutas cítricas, vegetais crucíferos, amêndoas, cereais integrais, peixe, clara cozida, aveia e cevada.

10 dicas para eliminar os vilões da dieta
Conheça os alimentos que contribuem para a formação da gordura abdominal e tente evitá-los:
1. Alimentos com gordura trans.
Apesar da campanha para que ela desapareça das prateleiras, ainda há alguns produtos que a usam em sua composição. É o tipo de ácido graxo que vai diretamente para a cintura.
2. Refrigerantes.
Um copo contém quatro colheres de sopa de açúcar. Isso faz com que a glicemia suba rapidamente, gerando mais energia do que o corpo é capaz de utilizar ao mesmo tempo. O excesso dessa energia irá se transformar em triglicerídeos e posteriormente em gordura abdominal.
3. Bebidas alcoólicas.
As piores são as destiladas, que têm uma alta dosagem alcoólica, o que aumenta a glicemia.
4. Frituras de imersão, como batata frita e bife à milanesa.
Esses alimentos ficam com quase o dobro de calorias em relação à versão assada ou cozida. Então, mesmo que você coma pouco, eles gerarão muitas calorias.
5. Pizza.
A massa é feita com muita farinha refinada, de digestão rápida, que também provoca elevação acima do normal da glicemia. Além disso, costuma ser acompanhada por queijo e molho, fontes de gorduras ruins.
6. Macarrão.
Normalmente comemos em quantidade maior do outro carboidrato, o arroz. Não é incomum consumir os dois na mesma refeição, e carboidrato em excesso é sinal de glicemia também exagerada e acúmulo de gordura na cintura...
7. Doces.
Ricos em açúcar, que eleva a glicemia e a energia extra se acumula na cintura, normalmente também vêm acompanhados de gordura.
8. Creme de leite.
É rico em gordura saturada, que eleva o colesterol e se acumula na cintura.
9. Gordura animal.
Bacon, carne vermelha, manteiga e queijos amarelos aumentam a adiposidade do corpo.
10.Leite.
Algumas pessoas têm intolerância à lactose, o que pode provocar a formação de gases. Nesse caso, portanto, não é gordura que se acumula na região do abdome.

Créditos: revistavivasaude.uol.com.br

Postagens Relacionadas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...