quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Banana: nova arma no combate ao câncer

De acordo com uma recente pesquisa, elaborada por cientistas japoneses, a banana madura (que apresenta algumas manchas escuras em sua casca) produz uma substância chamada TNF (Fator de Necrose Tumoral), que tem a capacidade de combater, no interior do corpo humano, células que apresentam anomalias.

O fator de necrose tumoral (TNF) é uma proteína chamada citocina, sintetizada no interior das células que, ao serem liberadas, interagem com seus receptores. A produção destas citocinas é diretamente induzida pela presença de diversos estímulos, como, por exemplo, a presença de bactérias e o contato com corpos estranhos ou mutações celulares.
São exatamente as mutações celulares que definem o câncer, doença caracterizada por um conjunto de células que crescem e se repartem, sem respeitar os limites normais (invadindo e destruindo os tecidos próximos), podendo alcançar lugares distantes no corpo, através de um processo chamado metástase.
De fato, o conteúdo nutricional das frutas se modifica, à medida que elas amadurecem. No caso da banana madura, aumentam-se os níveis de antioxidantes, que protegem o corpo contra o câncer e doenças cardíacas. Em contrapartida, a banana madura perde algumas propriedades importantes, como as vitaminas e os sais minerais.
Partindo desta hipótese, os cientistas recomendam o consumo de, no mínimo, uma banana madura por dia. Isso porque, além de serem importantes para o trato intestinal, ajudando na digestão, elas aumentam a imunidade, principalmente nos pacientes que sofrem com algum tipo de câncer.
Imagem recebida por e-mail 
Créditos: queensberry.ind.br

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Tratamento natural para artritismo

Espécie de reumatismo caracterizado pela inflamação de várias articulações do corpo, normalmente causada por pertubações no metabolismo, que propiciam o acúmulo de ácido úrico no organismo. 


O paciente sente dores nas diversas articulações, que às vezes incham, e o sistema nervoso sofre alterações, acompanhado de dores de cabeça e dificuldade respiratória em alguns casos. 

O tratamento somente será bem sucedido se o paciente eliminar de sua dieta os alimentos produtores de ácido úrico (carne, principalmente miúdos, fígado e rins, pescados, ovos e legumes secos) bebidas alcoólicas, café, chá-preto, cacau e seus derivados (chocolate). 

Use alimentos alcalinizantes (abacaxi, abóbora, alface, cebola, cenoura, pepino, laranja, limão, maçã, melancia, melão, nabo, pera, tomate, uva) e frutas frescas de época. 
Os banhos de sol matinais e a prática de exercícios físicos moderados ao ar livre contribuem para a eliminação do ácido úrico.

Tratamentos:
Alface: suco de talos (4 a 5 talos para 1 litro de água). Tomar 250ml à noite, 30 minutos antes de deitar-se.
Chicória e almeirão: suco combinado diluído em água. Tomar 250ml pela manhã, em jejum.
Rabanete: suco diluído em água. Tomar 250ml pela manhã, em jejum.

Abacaxi, laranja, melancia, melão: refeições exclusivas 4 vezes por semana (utilizar apenas uma espécie de alimento em determinada refeição, mantendo-se a normalidade nas demais). As refeições exclusivas são compostas quase exclusivamente por frutas, mais agradáveis de serem ingeridas isoladamente. 

Para pessoas que realizam três refeições diárias, recomenda-se a refeição exclusiva no desjejum ou no jantar. Para que não haja prejuízo nutricional, esta forma de tratamento deve ter duração curta, não deve ultrapassar de cinco dias.


Alecrim, boldo, camomila e carqueja: chá combinado (30g para 1 litro de água). Tomar 1 xícara após as refeições.

Alfavaca, cavalinha, quebra-pedra e urtiga: chá combinado (30g para 1 litro de água). Tomar 2 xícaras após as refeições.

Chapéu-de-couro:  chá das folhas (20g para 1 litro de água). Tomar 2 xícaras ao dia.

Sucupira: chá das sementes (20g para 1 litro de água). Tomar 4 xícaras ao dia.


Créditos: Livro: “Medicina alternativa de A a Z” – Autor: Carlos Nascimento Spethmann
Fotos: Photl

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

Plantas medicinais: uma experiência a cada dia



Japecanga (Smilax japecanga): trata-se de uma trepadeira brasileira com qualidades similares às da salsaparrilha (Smilax salsaparrilha), da qual é parente próxima. 

Por aumentar a atividade do fígado e dos rins, o chá das raízes age como depurativo do sangue, sendo recomendado para tratar reumatismo e acompanhar tratamento com antibióticos. 

Embora seja  um tradicional medicamento indígena para sífilis, só deve ser usada como coadjuvante, no tratamento com antibióticos receitado pelo médico.

Chá para reumatismo:
Despeje 1 copo de água fervente sobre uma colher (sopa) raízes secas e coe. Tome morno, antes das principais refeições, durante 15 dias por mês.


Coco (cocos nucifera): o coco-da-baia é uma palmeira frequente, em grande quantidade neste país, principalmente nos Estados da Bahia e de Pernambuco, onde confere à paisagem litorânea um toque de singela beleza. A palmeira ocupa lugar fundamental na literatura botânica.

Desinteria: tomar 2 xícaras (chá)  de leite de coco natural, sem açúcar.
Enjoo: tomar água de coco aos goles. Recomenda-se especialmente em viagens marítimas. Aconselha-se levar alguns cocos  verdes.
Prevenir cáries dentárias: comer frequentemente coco, mastigando bem.
Calmante: tomar água de coco em abundância.
Asma: tomar de manhã e à noite 2 ou 3 colheres (sopa) do leite de coco aquecido. Em seguida, tomar chá de agrião.
Artrite: os artríticos devem beber regularmente água de coco.
Falta de apetite: tomar água de coco algumas horas antes da refeição. Não usar outros alimentos nos intervalos da alimentação.
Doenças das vias respiratórias: tomar o infuso das flores do coqueiro com mel.
Verminoses: mastigar bem e deglutir em jejum, pela manhã 1 colher (sopa) de coco ralado fresco.

Artemísia: (Chrysanthemum parthenium): antiflatulento (contra gases intestinais), emenagogo (facilita a menstruação), antiespasmódico (relaxa a musculatura lisa e combate cólicas), tranquilizante e digestivo.

Receita à base de Artemísia: prepara-se uma infusão com 1 colher (sopa)  de flores e folhas picadas em 1 xícara por dia. Ao utilizar-se internamente sugere-se para crianças com até 5 anos, 1/3 da dose, e para crianças com mais de 5 anos, a metade.
Efeitos colaterais: é abortiva.

Não fazer uso das plantas medicinais, sem antes consultar um especialista ou o seu médico.

Créditos: Kátia Schmidt Rodrigues (Bióloga e especialista em plantas medicinais)

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Clareamento dental: conheça o procedimento

Como o nome já diz, o clareamento dental é feito para clarear os dentes, sendo estes perfeitos ou com alguma restauração. Praticamente qualquer pessoa pode fazer o procedimento. 

As contraindicações incluem gestantes, mulheres em período de amamentação e pacientes com alguma patologia ainda não tratada, como gengivite ou cárie, por exemplo.

O clareamento se dá pela ação de agentes químicos que compõem um gel. Existem dois tipos de aplicação. No método caseiro, o paciente usa uma espécie de moldeira com gel para dormir, porém é importante o acompanhamento do profissional. 

Já no clareamento de consultório, é utilizado um outro tipo de gel, que permite um resultado mais rápido.

No  clareamento caseiro, o período de uso do gel varia de acordo com a tonalidade atual do dente e o quanto o paciente pode clareá-lo. Geralmente, esse tempo dura em média 15 dias, podendo se estender.

O clareamento de consultório é mais moderno e proporciona resultados mais rápidos, além de ser mais seguro no que diz respeito a manchas, já que possui o acompanhamento profissional durante a aplicação. 

O tratamento é feito em poucas sessões, em média duas de uma hora de duração. Em alguns casos, para acelerar o processo, as duas técnicas podem ser usadas simultaneamente.

Créditos: Sorridents/Imprensa

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

O chacra das mãos

Localização: palmas das mãos. Sem cor específica.
Este chakra tem um papel à parte. Tem a mesma característica do cristal branco: aciona ou desativa energia.
chacra das mãos é um veículo direto através do qual as Forças Cósmicas operam. Interferimos apenas para intuir e acionar a ordem que deve ser dada em cada caso. 

Para carregar este chacra com a energia cósmica, basta esfregar as palmas das mãos uma na outra. Este é o gesto básico, primeiro, de qualquer trabalho de energização. No momento em que fazemos isto, sentimos um calor ou um formigamento no lugar onde esfregamos.
Isso significa que captamos as partículas de energia do ar, aglutinando-as e transformando-as numa onda, como um raio laser.
Uma vez carregadas as mãos (durante uma energização devemos carregá-las quantas vezes acharmos necessário), vamos usá-las de inúmeras maneiras, conforme a necessidade do momento.
O passe magnético ou massagem energética pode ser aplicado nas mais variadas situações:
Podemos passar as mãos ao longo e acima do corpo de uma pessoa, para captar seus circuitos bloqueados e desbloqueá-los.
Podemos carregar as mãos e jogar uma energia de ativação ou desativação, pedindo, por exemplo, a cor verde sobre alguém que esteja com febre.
Tanto podemos usar este gesto de uma maneira generalizada, buscando o bem-estar do outro, ou o nosso próprio, como podemos especificar o uso. Por exemplo: para tirar uma dor, aliviar uma angústia, fazer um pedido. Nesse caso, basta acoplar ao gesto de energização uma ordem mental, a que ocorrer, a que parecer mais indicada. Virá intuitivamente.
Podemos jogar energia positiva no ambiente. Podemos utilizar esse gesto simples de esfregar as mãos para captar energia para nosso próprio alimento ou para alimentar outra pessoa.
Exemplo de exercício com o chacra das mãos
Energização da água
Encha um copo com água. Esfregue as palmas das mãos.
Conecte-se à Fonte. Coloque a mão direita com a palma para baixo acima do copo. Posicione a mão esquerda com a palma para cima.
A mão esquerda “puxa” a energia e a direita a transmite à água, mentalize para que você deseja energizar a água.
Exemplo: “Energizo esta água para que me proteja de todas as energias mal qualificadas”, ou “Energizo esta água para que me dê energia, saúde, bem-estar”. Permaneça mentalizando e com as mãos posicionadas o tempo que julgar necessário.
Você deve procurar “sentir” quando o exercício terminou.
Beba a água. Usando o mesmo processo, podemos energizar o que quisermos: comida, roupa, perfume.
Não esqueça: quando for energizar alguma coisa para outra pessoa, peça licença à Lei Universal e à Divina Presença.  Eu Sou dessa pessoa, evitando fazer pedidos muito específicos, a não ser que se trate de curar uma dor, um sentimento de angústia, pois você não sabe as reais necessidades dela.
Atenção: Sempre que trabalhar com as mãos para outra pessoa, lave-as muito bem com água e sabão, após o exercício. Isso libera você da energia que não é sua.
Texto e imagens: Tania Vernet
Recebido por e-mail

domingo, 17 de fevereiro de 2013

Velha lenda hindu...

Conta uma velha lenda hindu que outrora todos os homens eram deuses, mas abusaram de tal modo da sua natureza divina que Brahma, o Senhor dos deuses, decidiu retirar-lhes esse poder divino e escondê-lo em lugar onde lhes fosse impossível encontrá-lo. 

O problema, contudo, era encontrar esse esconderijoBrahma convocou, pois, todos os deuses menores afim de resolver este problema, e a sugestão que eles lhe deram foi enterrar a divindade do homem bem no fundo da terra. Mas Brahma respondeu-lhes que isso não seria suficiente pois o homem escavaria a terra e acabaria por reencontrar a sua natureza divina. 

Então os deuses sugeriram que se atirasse para o fundo do mar a natureza divina do homem. E de novo Brahma lhes respondeu que, mais tarde ou mais cedo, o homem exploraria as profundezas do mar e a recuperaria. Os deuses menores já não sabiam que outros lugares poderiam existir, quer na terra quer no mar, onde o homem não conseguisse chegar um dia. 

Então Brahma disse: "Vamos fazer o seguinte com a natureza divina do homem: vamos encondê-la bem no fundo de si mesmo, pois será esse o único lugar onde o homem nunca a irá procurar." E desde esse dia, segundo conta a lenda, o homem tem percorrido e explorado o mundo, subido às montanhas mais altas e descido às grandes profundezas da terra e do mar, sempre à procura do que está dentro de si próprio.

Pesquisa na internet

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Massagem japonesa que rejuvenesce

Em japonês, kobido significa antigo caminho da beleza e trata-se de uma massagem milenar que fazia parte apenas da rotina da família imperial. 

O método, que envolve movimentos de shiatsu, como deslizamentos, amassamentos e leves batidinhas, foi passado de geração em geração desde 1472 até chegar em meados dos anos 1980 aos Estados Unidos. 

Por aqui, a novidade começa a despontar nas clínicas de estética com um apelo promissor: prevenir ou suavizar rugas, combater a flacidez facial, levantando a expressão, e ainda deixar a pele iluminada. "As manobras estimulam os nervos faciais, aumentando a circulação e, consequentemente, a oxigenação das células da pele. 

Isso ajuda a distribuir melhor os nutrientes entre elas e facilita a desintoxicação. Dessa forma, o processo natural de reparação das células da pele é ativado", explica Blanch Marie, especialista em estética corporal e facial do Instituto Blanch Marie, em São Paulo. Blanch Marie adaptou os movimentos do kobido para você fazer em casa e comprovar a sabedoria da beleza oriental. É fácil, rápido e, melhor, grátis!

6 passos para uma pele radiante
Para realizar os movimentos do kobido, você pode usar um creme anti-idade e dedicar dois minutinhos para cada exercício. O ideal é fazer a massagem completa três vezes na semana.

1. Pescoço
Objetivo: amenizar a flacidez e as marcas (vincos ou linhas) da região.
Como fazer: inicie a massagem apoiando os dedos no pescoço (menos os polegares) e faça movimentos rápidos e vigorosos de baixo para cima, alternando as mãos. Percorra toda a área.

2. Queixo
Objetivo: diminuir e prevenir a papada.
Como fazer: com o polegar fixado na têmpora, inicie um movimento com os dedos
indicador e médio a partir do contorno do rosto para cima. Arraste os dedos três vezes: perto da orelha, no centro e próximo ao nariz. Repita para o outro lado.

3. Buço
Objetivo: suavizar as linhas de expressão da região, conhecidas como código de barras.
Como fazer: apoie os dedos indicadores na parte inferior do queixo. Com os polegares, faça movimentos curtos para baixo continuamente, passando por toda a região do buço.

4. Têmporas
Objetivo: suavizar as rugas e linhas de expressão ao redor dos olhos.
Como fazer: apoie o dedo indicador no final da sombrancelha e o dedo médio no osso da pálpebra inferior. Com o indicador da outra mão, faça um movimento para cima de forma constante e acelerada na demarcação entre os dedos. Repita para o outro lado.

5. Testa
Objetivo: suavizar as rugas da região, conhecidas como linhas da preocupação.
Como fazer: apoie os dois dedos indicadores no centro da testa de forma paralela. Sem desencostar os dedos da pele, troque-os de lugar (um vai para cima, outro para baixo), enrugando a testa. Volte e faça para baixo. Percorra toda a testa.

6. Bochechas
Objetivo: elevar as maçãs do rosto.
Como fazer: com o polegar apoiado no osso da pálpebra inferior, faça movimentos constantes e vigorosos de baixo para cima, levantando a bochecha.

Por Stephanie Celentano 
Foto Gustavo Arrais

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

Mãe, onde está o teu sorriso?

Vejo em seus olhos lacrimejantes, um fundo sem colorido, um canal para o nada.
Olhar perdido pelos sonhos lançados no vazio, pelos delírios de uma mente atormentada.

Sigo-os... Olhar de traços lindos, relatando sua beleza, desconectada pelo real... O mundo na sua loucura, na doença que encrava a alma.
Palavras de tom suave, desconexas, sem sentido da pronuncia, vindas de um mundo cinzento...

Deixo escapar um pequeno sorriso, numa rota de fuga, senti  brotar uma lágrima, que lavou a minha face no seu mundo triste e sem cor, nas palavras vazias que pairam no ar.

Onde está o teu sorriso?

Apenas a doçura envolve este momento...
Mãe... Estou aqui, para cuidar de ti e guardo no meu coração o teu sorriso! (San)

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

Coalhada

É um tipo de leite azedo, um iogurte. Ultimamente os médicos têm se conscientizado do importante papel que desempenha na alimentação e de sua utilidade terapêutica.

Veja as principais virtudes da coalhada:
Destrói micróbios produtores de enfermidades, apenas não tem efeito para os micróbios da tuberculose e do antraz.
Impede que os alimentos apodreçam no processo digestivo e intestinal. Se isso acontecesse o organismo seria envenenado.

Combate uma enorme lista de doenças gastrointestinais. Dentre elas, destacam-se: fermentação, gases, irritações e inflamações gástricas e congestão intestinal.
Facilita a absorção de minerais importantes na constituição do organismo, incluindo o cálcio e fósforo.

Combate úlceras gástricas e duodenais, desde que não esteja muito ácido. Além disso, combate também a colite, a enterite, a gastrite e a desinteria.
Evita que as vitaminas presentes nos alimentos sejam destruídas no processo digestivo.

Minha receita:
Ingredientes:
4 litros de leite
2 iogurtes naturais integrais
2 colheres de sopa de leite em pó
1 limão

Modo de preparo: (para quem não tem termômetro)
Aqueça o leite lentamente numa panela de pressão, até atingir o ponto de “mamadeira do bebe”.

Adicione o leite em pó, os iogurtes e esprema o limão. Mexa bem e tampe a panela. 
Citei a panela de pressão, pelo fato de armazenar a temperatura ideal, deixando a coalhada mais consistente.

Embrulhe a panela com jornal e coloque-a dentro de um saco de plástico. Por cima envolva-a com um cobertor.

Faça isso à noite, pois tem que descansar por várias horas. De manhã, divida em tapaures. Leve à geladeira.
Use sua imaginação, para variar pratos doces e salgados ou degustando-a pura.

Informações sobre os benefícios da coalhada no livro: Saúde e Vida” - (San)

terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

Soluções para manchas causadas pelo sol

Quem se expõe ao sol sem protetor solar tem mais chances de desenvolver manchas na pele. 

Esse tipo de mancha é chamado de melasma ou cloasma. Elas aparecem geralmente no rosto, principalmente em pessoas com a pele clara e sensível. As manchinhas amarronzadas dão uma aspecto envelhecido à pele e costumam tirar qualquer mulher do sério. 


Para evitar o problema, a dica é manter a cútis bem hidratada e fazer uso do protetor solar diariamente. Mas quem já sofre com o problema, pode recorrer às receitas caseiras, que podem trazer bons resultados, dependendo da mancha e do seu tipo de pele.


Máscara de Pepino

A máscara de pepino pode ser utilizada no rosto ou no corpo. Para preparar, você vai precisar de:
1 pepino
1 xícara (chá) de leite de rosas
2 claras batidas em neve

Modo de preparo:
Bata todos os ingrediente no liquidificador até que o pepino fique bem triturado. Depois passe a mistura por uma peneira fina. Umedeça uma algodão com o produto e aplique sobre as manchas. Deixe agir por 20 minutos e depois lave com um sabonete indicado para o seu tipo de pele. Finalize com um bom hidratante e, claro, o protetor solar facial.

 

Máscara de Amêndoas

Outra dica é a máscara preparada com amêndoas e mel. Veja os ingredientes:
1 colher (sopa) de mel
3 colheres (sopa) de óleo de amêndoas
1/2 xícara de chá de alecrim
2 colheres (sopa) de argila verde

Modo de preparo:
Misture todos os ingredientes até obter uma pasta cremosa. Aplique sobre a parte afetada pelas manchas e deixe agir por 20 minutos. Depois enxágue com água em abundância.
Ambos os tratamentos devem ser feitos 1 vez por semana durante o período de 1 mês. Depois disso, aplique a máscara 1 vez a cada 15 dias. Vale a pena experimentar.

Créditos: mulheresperta.com.br/beleza/receitas-para-manchas-causadas-pelo-sol

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

Os olhos são o espelho da alma!

Segundo o Dr. Lowen, o contato dos olhos é uma das formas mais fortes e íntimas de contato entre as pessoas. Este contato envolve a comunicação do sentimento num nível mais profundo do que o verbal, porque o contato dos olhos é uma forma de toque.  

Quando a pessoa está carregada de energia, seus olhos brilham. O brilho dos olhos de uma pessoa é, assim, um bom sinal de seu estado de saúde. Qualquer depressão no nível de energia de uma pessoa diminui a luz de seus olhos. Na morte, os olhos se tornam opacos.  

Ao mesmo tempo, o grau da carga de energia dos olhos revela o grau da força do ego. O indivíduo que tem ego forte, consegue olhar diretamente nos olhos de outra pessoa. Este indivíduo pode fazer isso facilmente, porque está seguro de si mesmo.


Depoimento Dr Lowen, sobre a própria visão:
A esta altura, eu gostaria de fazer um comentário sobre aquilo que meus próprios olhos revelam. Eu costumava sempre pensar que meu olho direito era o mais forte. Ele tinha um olhar mais determinado com o qual eu me identificava. Alguns anos atrás, por ocasião de um teste para dirigir automóvel, soube, com surpresa, que este olho era o mais fraco dos dois. 

Meu olho esquerdo sempre tinha me impressionado por ser mais fraco pelo fato de chorar com mais facilidade e mais copiosamente numa situação de tristeza ou sob ação de um vento forte. 

Agora, percebo que esta qualidade do meu olho esquerdo preservava sua acuidade visual, enquanto que meu olho direito, aparentemente mais forte, era obrigado a defender meu sentimento profundo de tristeza que meu olho esquerdo era livre para expressar. Esta foi uma experiência pessoal que me fez perceber que a expressão de sentimentos nos olhos está intimamente relacionada e também influi na função da visão.

Atribuo minha boa visão de hoje a um hábito que eu tinha de ler de dia e, também, à ajuda da terapia, que me fez capaz de chorar e de expressar meus sentimentos abertamente. Eu adoro o sol e a claridade de um dia de verão. Eu costumava jogar tênis, exposto à luz do sol. 


Nunca tinha percebido o quanto isto era importante, até que há seis anos atrás aprendi que olhar uma cena ensolarada, ou se retratar num agradável ambiente cheio de sol, são técnicas que os seguidores de Bates usam para melhorar a miopia. 

Recordando isto, vejo que tinha necessidade de ver mais viva e claramente. Para mim, ver é crer. Eu gostaria de me descrever como uma pessoa visualmente orientada e isto explica meu interesse na expressão corporal.

Autor: Dr. Alexander Lowen  do livro "Bioenergética"
Créditos: latec.ufrj.br

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

O lado perigoso da ioga

O jornalista americano William Broad, de 60 anos, fez carreira escrevendo sobre armas nucleares e segurança nacional. 

Depois de 40 anos praticando ioga, resolveu pesquisar sobre a atividade que lhe trouxe benefícios, mas que também se mostrou perigosa – ele levou meses para se recuperar de um mau jeito nas costas causado por uma postura. 

O resultado da investigação de cinco anos é o livro The science of yoga (A ciência da ioga). A obra, causou polêmica antes mesmo da publicação. 

O The New York Times (NYT), jornal americano para o qual Broad trabalha, divulgou um trecho que desfaz, segundo o autor, um dos mitos que envolvem a milenar prática indiana: que a ioga é uma atividade segura. No texto, Broad enumera lesões relatadas a ele por instrutores ou documentadas por médicos em estudos. 

Os prejuízos à saúde vão de dores musculares excruciantes a rompimentos de tendões, de problemas na coluna a lesões cerebrais (com direito a paralisia de parte do corpo). São revelações suficientes para preocupar o mais zen dos iogues, quem dirá nós, simples amadores, que nos equilibramos em poses nas horas vagas.

A transformação da natureza da ioga – encarada hoje mais como um exercício puro do que uma filosofia que busca autoconhecimento – pode estar por trás da prática linha-dura. “A maior parte dos novos instrutores fez ‘cursos’ de alguns meses, nos quais o ensino das posturas é supervalorizado”, afirma a instrutora Camila Ferreira-Vorkapic, que estuda os efeitos psicológicos da prática na Universidade Federal do Rio de Janeiro. 

“Meias verdades, conhecimento insuficiente e técnicas fora do contexto podem construir uma fórmula tão perigosa quanto um frasco de remédio nas mãos de uma criança.” Ao adotar a exatidão das posturas como meta, muitos instrutores se esquecem de que o corpo de cada aluno é diferente, assim como seu grau de flexibilidade. 

Por limites físicos – não da mente, como chegam a dizer muitos gurus, algumas pessoas não conseguem o alinhamento considerado “correto” em determinadas posturas. “Nossa coluna não é igual, assim como nossas articulações e a amplitude de movimentos que elas nos dão”, afirma o instrutor Marcos Rojo, pesquisador da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. “Numa prática de ioga, a única coisa que tem de ser igual para todos é a sensação de bem-estar.”

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

A casa de cada um


Nesta época, gosto de tratar da vida. Dou a roupa que não uso mais. Livros que não pretendo reler. Envio caixas para bibliotecas. Ou abandono um volume em um shopping ou café, com uma mensagem: "Leia e passe para frente!"

Tento avaliar meus atos através de uma perspectiva maior.
Penso na história dos Três Porquinhos. Cada um construiu sua casa. Duas, o Lobo derrubou facilmente. Mas a terceira resistiu porque era sólida. Em minha opinião, contos infantis possuem grande sabedoria, além da história propriamente dita. Gosto desse especialmente.




Imagino que a vida de cada um seja semelhante a uma casa. Frágil ou sólida, depende de como é construída. Muita gente se aproxima de mim e diz: Eu tenho um sonho, quero torná-lo realidade! Estremeço.
Frequentemente, o sonho é bonito, tanto como uma casa bem pintada. Mas sem alicerces. As paredes racham, a casa cai repentinamente, e a pessoa fica só com entulho. Lamenta-se. Na minha área profissional, isso é muito comum.

Diariamente sou procurado por alguém que sonha em ser ator ou atriz sem nunca ter estudado ou feito teatro. Como é possível jogar todas as fichas em uma profissão que nem se conhece? Há quem largue tudo por uma paixão. Um amigo abandonou mulher e filho recém-nascido. 


A nova paixão durou até a noite na qual, no apartamento do 10º andar, a moça afirmou que podia voar. Deixa de brincadeira , ele respondeu.
Eu sei voar, sim! Rebateu ela..


Abriu os braços, pronta para saltar da janela. Ele a segurou. Gritou por socorro. Quase despencaram. Foi viver sozinho com um gato, lembrando-se dos bons tempos da vida doméstica, do filho, da harmonia perdida!

Algumas pessoas se preocupam só com os alicerces. Dedicam-se à vida material. Quando venta, não têm paredes para se proteger. Outras não colocam portas. Qualquer um entra na vida delas.


Tenho um amigo que não sabe dizer não (a palavra não é tão mágica quanto uma porta blindada). Empresta seu dinheiro e nunca recebe. Namora mulheres problemáticas. Vive cercado de pessoas que sugam suas energias como autênticos vampiros emocionais. Outro dia lhe perguntei: Por que deixa tanta gente ruim se aproximar de você?


Garante que no próximo ano será diferente. Nada mudará enquanto não consertar a casa de sua vida. São comuns as pessoas que não pensam no telhado. Vivem como se os dias de tempestade.

jamais chegassem. Quando chove, a casa delas se alaga.
Ao contrário das que só cuidam dos alicerces, não se preocupam com o dia de amanhã.
Certa vez uma amiga conseguiu vender um terreno valioso recebido em herança. 


Comentei:
Agora você pode comprar um apartamento para morar.
Preferiu alugar uma mansão. Mobiliou. Durante meses morou como uma rainha. Quase um ano depois, já não tinha dinheiro para botar um bife na mesa!
Aproveito as festas de fim de ano para examinar a casa que construí. Alguma parede rachou porque tomei uma atitude contra meus princípios?
Deixei alguma telha quebrada?


Há um assunto pendente me incomodando como uma goteira?
Minha porta tem uma chave para ser bem fechada quando preciso, mas também para ser aberta quando vierem as pessoas que amo?
É um bom momento para decidir o que consertar. Para mudar alguma coisa e tornar a casa mais agradável.


Sou envolvido por um sentimento muito especial.
Ao longo dos anos, cada pessoa constrói sua casa.
O bom é que sempre se pode reformar, arrumar, decorar!
E na eterna oportunidade de recomeçar reside a grande beleza de ser o arquiteto da própria vida. 

Autor: Walcyr Carrasco- Jornalista, autor de livros, peças teatrais e novelas de televisão

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

A beleza na postura

A boa postura harmoniza as partes do corpo parado ou em movimento. Adotar a postura correta depende, principalmente de vigilância. Em pé, sentado, deitado ou andando é importante lembrar de manter a coluna reta e o pescoço alinhado a ela. 

Ao alinhar o pescoço, com os ombros bem posicionados, a cabeça fica no lugar, as omoplatas fogem da chamada “posição de asas”, deixando as costas sem estes ossos aparentes. 

Um segredo para manter ossos e músculos da coluna em seus devidos lugares é lembrar que o umbigo é o centro do corpo e que ele deve sempre ficar para dentro, com a musculatura ao redor presa. 


Quem larga esta parte do corpo acaba pecando para manter a estrutura corporal devidamente posicionada e incentivando o aumento da pança. Coluna e pescoço no lugar certo é o primeiro passo para todos os movimentos, inclusive para o repouso. Outra dica é imaginar que um fio, no alto da cabeça, está puxando o corpo. A postura, em muitos casos, depende apenas de autocorreção.

No mundo moderno, o ser humano fica boa parte do dia sentado. Esta é a posição para estudar, trabalhar, viajar e até para diversas atividades de lazer, que cada vez mais são realizadas em frente ao computador. Dores no pescoço e nos ombros são bastante comuns. As dores surgem principalmente por má postura ou tensão, advinda do estresse. 


Nos dois casos, a musculatura se contrai, com isso, o fluxo de sangue se reduz na região, que fica dolorida. Alguns movimentos ajudam a aliviar a tensão e lembram como estas partes do corpo estão permanecendo fora de eixo. 



Por exemplo: mexer o pescoço para frente, para trás, e de um lado para outro para perceber se ele está com alguma inclinação inadequada. O encosto da cadeira deve manter a região lombar apoiada – uma almofada pode ser utilizada se a cadeira não for ajustável.

Prestar atenção na coluna ao deitar e ao dormir, mantendo-a sempre reta. Na cama, a melhor posição é de costas, com a barriga para cima. 

Travesseiros devem apoiar o pescoço e facilitar o alinhamento da cabeça com a coluna, portanto, o tamanho varia de pessoa para pessoa. 

Para deitar, primeiro sente-se e coloque o tronco de lado no colchão para, depois, subir as pernas. Para levantar, vire-se de lado e sente-se. Quem é idoso, precisa evitar fazer isto rapidamente, porque pode ter tontura e cair.

Andar parece tão natural, mas se a coluna não estiver bem, fica mais difícil. A posição ereta é própria da natureza do ser humano, então, cuide para a musculatura não despencar. 


Firme os ombros e a coluna, levando a cabeça no lugar exato, e deixe fluir os movimentos coordenados de pernas e braços. Não é o caso de jingar ou rebolar em exagero. Quanto menos forçado, o andar fica mais elegante.

Créditos: Ortopedia e Saude
Fabio Ferraz do Amaral Ravaglia (CRM-SP 54.294)
Presidente, desde 2005, do Instituto Ortopedia & Saúde (IOS)

Postagens Relacionadas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...