quinta-feira, 28 de abril de 2016

Bela, recatada e do lar: uma questão de escolha

Por Tina Muniz
Eu, Tina Muniz, sou “Bela, Recatada e do Lar”.
Mas o que é ser bela?
O que é ser recatada?
O que é ser do lar?
Sou bela, porque assim decidi me apreciar.
Sou recatada dentro daquilo que eu acho que devo me comportar.
Sou do lar, porque eu tenho um lugar que é meu refúgio e quando volto para casa depois de muitas horas de trabalho, ali encontro o acolhimento e a paz para o combustível de um novo dia.
Todas nós somos belas, deixando de lado este padrão de beleza que tanto desvalorizou a condição da mulher.
Quem é que pode dizer o que é ser recatado hoje, com tantos padrões a seguir? E do lar?
Toda mulher é do lar, até mesmo as que trabalham fora em torno de 15 horas por dia, como eu. É do lar as mulheres que fazem triplas jornadas com trabalho, casa e filhos, com maridos ou sem maridos.
Este lar também é uma conquista dessas mulheres que tiveram que sair para as indústrias e sustentar seus filhos e a economia do país enquanto os homens estavam na guerra. Foram guerreiras ao enfrentarem as propagandas maciças do governo classificando-as como a rainha do lar, simplesmente para as colocarem de novo na condição subserviente do estado patriarcal.
A conquista da mulher deve ser sempre pelo poder de escolha, não pelo seguimento de padrões ditados pela ideologia do que tem que ser o feminino.
O que se chama de liberdade sem valorização da escolha, pode enclausurar em padrões mais devastadores do que se imagina. Hoje, muitas mulheres se sentem ameaçadas e cobradas o tempo todo quando escolhem ficar em casa e cuidar dos filhos. É um direito conquistado, mas emocionalmente ameaçado.
Se ela não tiver uma profissão, não é ninguém, já que o rótulo “Do Lar” é visto por muitos como um retrocesso e a diminui como pessoa, causando muitas vezes autoestima baixa e muitos transtornos psicoemocionais.
A nossa Ágora, as redes sociais, nos possibilita de entrarmos em contato e fazermos rupturas culturais pela agilidade da informação, mas se apedrejarmos a escolha do outro sem refletirmos sobre as nossas próprias escolhas, atrasaremos o processo evolutivo da nossa cultura.
A mulher escolhe o que dá conta de ser melhor para ela, independente da opinião alheia. Quando ela é empoderada por seu direito de escolha, ela se agiganta em seus enfrentamentos.
Se ela escolher ficar em casa em prol dos filhos e do marido e for apedrejada por isso, está tão presa quanto aquela que vive enclausurada contra a sua vontade e sonha com uma vida diferente, mas ainda não teve forças para mudar o seu padrão.
A pessoa se vê angustiada e presa na sua falta de liberdade e escolhas e não na escolha realizada, pois se uma escolha é feita, experienciada e puder ser livre para trocar por uma outra escolha, isso é aprendizado existencial.
Simone de Beauvoir, feminista convicta e existencialista, amou Sartre de uma forma de fazer inveja a mais romântica das mulheres. Simone cuidava e lia para ele, quando seus olhos já não mais podiam ver. Simone proporcionava a Sartre o que era mais importante para ele e isso, não atrapalhava a sua luta em favor dos direitos das mulheres.
Simone de Beauvoir foi livre dentro de suas escolhas, inclusive da escolha de cuidar do jeito que bem entendesse do seu homem, quem sabe até lavando as suas cuecas. Por que não?
A mudança sempre é feita com a liberdade de escolha e lembraremos também que:
O poder da mulher está nas escolhas dela e não na ideologia (mentira com cara de verdade) criada para o feminino.
Texto adaptado
Tina Muniz, Psicoterapeuta Holística, graduada em Psicologia, especialista em relacionamentos afetivos.

segunda-feira, 25 de abril de 2016

Fortificante natural para o organismo

Ingredientes
½ copo de água
1 colher (sopa) de gérmen de trigo
1 colher (sobremesa) de levedo de cerveja
1 colher (café) de guaraná em pó
1 colher (café) de pólen
2 colheres (sopa) de melado de cana escuro

Modo de preparo: misturar bem, e está pronto para servir. Tomar em jejum ou junto com o café da manhã. Não engorda. Fortifica, revigora e energiza o organismo.


Bambamel Natural

sexta-feira, 22 de abril de 2016

Segredos para manter o bom humor

Não ficar muito tempo sem se alimentar
Quando ficamos muitas horas sem comer ocorre hipoglicemia, uma redução da taxa de glicose no sangue. 

A glicose é utilizada pelo cérebro como principal substrato energético; assim com a redução das suas taxas, o funcionamento cerebral fica prejudicado e o indivíduo desenvolve um estado chamado cetoacidose, no qual as células são capazes de utilizar os carboidratos como principal fonte de energia. 

Na ausência desse nutriente, o cérebro passa a utilizar gorduras como fonte energética e, como resultado de seu metabolismo, há um aumento da produção de corpos cetônicos, substâncias que levam o indivíduo a desenvolver sintomas como fadiga e mal-estar, afetando negativamente o humor. Por isso é importante realizar de 5 a 6 refeições diárias e não permanecer mais de 3 horas sem comer. Estabelecer horários fixos para a realização das refeições é de grande importância.

Consumir alimentos que melhoram o humor
A serotonina é o neurotransmissor que está ligado à sensação de prazer, bem-estar e à regulação do humor. Existem algumas variáveis que interferem na produção e liberação dessa substância. A deficiência na produção de serotonina desencadeia diversas alterações no sistema nervosos levando a sintomas como ansiedade, desânimo e fadiga. 

Para garantir o bom humor é fundamental fornecer ao organismo os nutrientes necessários à formação da serotonina. O triptofano é o aminoácido precursor dessa substância, que está presente na quinua, arroz integral, chocolate amargo, oleaginosas, tâmaras e banana. A ausência do triptofano pode debilitar o estado emocional do indivíduo. 

Porém, não basta fornecer apenas triptofano, pois, para que ocorra sua conversão em serotonina, são necessários outros nutrientes como: vitamina B6 (presente em leguminosas, gérmen de trigo, aveia e banana), vitamina B12 (presente em peixes, aves e ovos), ácido fálico (presente no gérmen de trigo, levedo de cerveja , arroz e pão integral) e o magnésio (presente nas oleoginosas, cereais integrais, banana e em folhosos verdes-escuros). Outros neurotransmissores relacionados ao humor são a dopamina e a noradrenalina, que proporcionam energia e disposição. Para a formação de dopamina, é necessária a presença de tirosina, um aminoácido presente nas leguminosas, oleoginosas, tofu e cereais integrais. A partir da dopamina se dá a formação de noradrenalina.

Consumir alimentos fontes de gorduras
O intestino é o órgão responsável pela produção da maior parte da serotonina; por isso, o consumo de alimentos com alto teor de colesterol e gorduras saturadas desequilibra a flora intestinal, alterando a produção deste neurotransmissor e gerando constipação. 

Uma alimentação baseada no consumo de frutas, verduras e legumes, de preferência orgânicos, cereais integrais e óleos vegetais prensados a frio, fará o intestino funcionar regularmente e contribuirá para a adequada formação de serotonina. Além disso, os óleos vegetais, como o óleo de linhaça e o óleo de peixe, são fontes de ômega 3, que segundo estudos recentes, podem melhorar o humor em adultos e crianças, desde que consumidos nas quantidades adequadas.

Consumir Chás
O café em excesso deve ser evitado, pois promove a liberação de adrenalina, alterando o metabolismo e, com isso, causando o aumento da tensão nervosa. Outro fator que pode alterar o humor é o consumo de bebidas alcoólicas, erroneamente encaradas como relaxantes, pois o álcool reduz a capacidade do fígado de lidar com as toxinas do organismo. 

Já o consumo de ervas, como camomila, capim-limão e maracujá podem auxiliar no relaxamento e induzir a um sono tranquilo, o que é fundamental para garantir o bom humor. É de grande importância manter uma alimentação saudável para garantir o fornecimento de todos os nutrientes essenciais para o correto funcionamento do organismo. Assim estará sendo garantida uma melhoria no humor, além de uma saúde plena e excelente qualidade de vida.

Créditos: Professor Antonio Marinho - Treinamento, auditoria e consultoria em saúde.

segunda-feira, 18 de abril de 2016

É possível ser leal e manter-se fiel?


Por: Fabrício Carpinejar

Não basta ser fiel, tem que ser leal para dar certo.
Foi o que a minha namorada me disse.

A lealdade é tão importante quanto à fidelidade.
A lealdade é o pensamento da fidelidade. A fidelidade é a ação da lealdade.
A lealdade é a amizade do amor. A fidelidade é o respeito do amor.

Há casais que são fieis entre si, mas não são leais, e se distanciam um do outro.
Há casais que nunca se traem, mas tampouco se apresentam: vivem pulando a cerca nos gestos.

Podem, aparentemente, conviver em harmonia, só que não expressam o que sentem, não descrevem suas frustrações, conservam uma fachada até a relação estourar. Cuidam do jardim da residência, descuidam do quintal.

Não cooperam com o entendimento, não são didáticos, colocam a sujeira debaixo da cama, deixam os atritos passar sem mediação.
Parece que estão alinhados, porém apenas não estão conversando.
Não respondem onde andam com a cabeça, o que querem de verdade.

Na separação, descobrirão que não se conhecem, pois jamais descreveram suas emoções mais básicas, sequer revelaram o ciúme e o descontentamento no momento da eclosão.

Lealdade é esclarecer as dificuldades e as rusgas. É uma exposição gradual das diferenças que geram as semelhanças.

Fidelidade é uma vontade do casal diante dos demais, lealdade é mostrar a vontade de cada um no decorrer do tempo.

Fidelidade é cumplicidade, lealdade é intimidade.
Fidelidade é um posicionamento público, lealdade é a vida privada.
Fidelidade é projeção, lealdade reflete aquilo que você é para si. Se contraria seu sonho com o casamento ou o namoro, está sendo desleal, mesmo que seja fiel.

Fidelidade é um passo externo, lealdade é um passo interno.
Fidelidade é honrar o compromisso perante o trabalho e os amigos, lealdade é honrar o compromisso em casa.

Lealdade é expor o que se está pensando, o que se procura, não omitir suas intenções, manter sua companhia atualizada de seus problemas e de suas soluções.

Fidelidade é proteger o relacionamento, lealdade é não esconder o que está acontecendo dentro do relacionamento.
Sem lealdade, o amor cansa, o amor estanca, o amor não cresce.

A deslealdade separa mais do que a infidelidade.
A deslealdade é se trair por dentro.

quinta-feira, 14 de abril de 2016

Não tenho tempo

Todos reclamamos da falta de tempo. Parece que o dia encurtou, não tem mais 24 horas. Ou então, que essas 24 horas já não são mais suficientes.
Há aquele brocardo segundo o qual `se queres que alguma coisa seja feita, peça a alguém que não tenha tempo'. Ou seja: quanto mais ocupada a pessoa, mais tempo ela arranja para fazer as coisas. Como se explica esse milagre?

Normalmente, a modorra é contagiante. Basta que fiquemos algumas horas ou alguns dias sem fazer nada, para dar ainda mais vontade de nada fazer. Daí é um passo para a depressão e para os males que provém do ócio e da cabeça vazia.
Domenico de Masi, educador italiano, recomenda o ócio. Ócio criativo, segundo ele. Na verdade, ócio é nada fazer e, todavia, no caso, o que ele propõe é fazer algo: é parar para criar, para permitir-se os vôos da alma, para aprender a pensar.

Um dos grandes males da atualidade é o enfado.
As pessoas procuram encher sua vida com bastantes afazeres porque sentem um grande enfado quando têm algum tempo disponível. Na verdade, não sabem como aproveitá-lo.
Estamos desaprendendo o pensar criativamente, o pensar retamente, o sentir prazer em aprender ouvindo nosso interior.

O enfado é ainda maior quando a pessoa se aposenta ou diminui repentinamente o seu ritmo de trabalho e constata que não se preparou convenientemente para ocupar de forma útil o seu tempo.
Tem sentido, portanto, a afirmativa de que "o ócio feliz não é o permanente e final, mas sim aquele que se desfruta nos intervalos da luta pela vida e que valoriza o dolce far niente".

Alguns dizem que o sentido da vida é fazer o que se gosta. Poucos já pararam para refletir em que é mesmo que gostariam de ocupar o seu tempo, se pudessem dele dispor de forma integral.
Muitos alegam não ter tempo, mas em verdade não querem verdadeiramente ter tempo, porque não saberiam o que fazer com ele. Como não treinamos simplificar a existência, vamos entulhando a nossa vida com coisas que exigem ser mantidas. Como afirma Lia Diskin, na revista Planeta Meditação nº 11 p.21, "quanto mais coisas tenho, mais tempo tenho de dedicar a elas. As coisas se tornam usurpadoras do meu tempo!".

Sempre que queremos algo, nós achamos tempo, porque `tempo é prioridade' e se queremos realmente alguma coisa, nós a colocamos como prioridade.
Ouvir as pessoas é fascinante. Ouvir atentamente, olhando nos olhos, esperando o momento certo para falar com calma e ponderação, sem querer se impor ao interlocutor. 

Assim, é importante que nos disciplinemos e que passemos a organizar melhor a vida, procurando administrar sabiamente o nosso tempo, para fazer não apenas as coisas urgentes como também as importantes e não perder, jamais, a perspectiva de que há que existir um equilíbrio entre as quatro necessidades humanas fundamentais (físicas, sociais, mentais e espirituais), merecendo, todavia, maior atenção aquela que trata do nosso ser imortal.

Com o pretexto de que estamos sempre precisando aumentar a nossa renda, vivemos cumulando afazeres para ganhar mais, para possuir mais, para nos preocupar mais, e tudo isso para quê?
O livro "First Things First – ensina como definir prioridades num mundo sem tempo", de Stephen Covey, lançado no Brasil pela Editora Campus.
Nele, entre outras coisas, o autor nos ensina que "a administração tradicional do tempo lida com o cronos, palavra grega que significa o tempo medido pelo relógio. Cronos é o tempo linear e em sequência é ele quem dita o ritmo de nossas vidas. Mas existe outra maneira de abordar a vida: kairos. Aqui o tempo passa a ser algo que é vivido, algo do qual se tira valor. Quando perguntamos "você passou bem o seu dia?" não estamos nos referindo ao tempo linear daquele dia, mas à qualidade desse tempo. Ou seja: kairos é o tempo qualitativo".

Outro autor, o filósofo Jacob Needleman, na sua interessante obra "O tempo e a alma", da Ediouro, mostra que o tempo é a maior carência do homem moderno. Somos escravos do tempo e, ao mesmo tempo, pobres dele. Coisas que se costumava considerar como sinais de sucesso ser ocupado, ter muitas responsabilidades, estar envolvido em muitos projetos ou atividades. Hoje representam aflições', diz ele.

É preciso encontrar a medida certa. O homem comum só a encontra depois de muito penar e refletir. O homem de senso moral mais amadurecido a encontra por intuição.
Ainda somos criaturas muito imperfeitas, querendo sorver a vida de um gole só, nesse espaço que medeia entre a sexta e a segunda-feira.

Ainda não descobrimos o prazer da atividade diária bem dosada, com pausa para a reflexão, para observar as nossas atitudes diante da vida, procurando melhorar a qualidade do nosso tempo, para `ficar com a melhor parte', como recomendou Jesus, na passagem registrada por Lucas, no seu Evangelho:
"Marta, Marta! Andas inquieta e te preocupas com muitas coisas; entretanto, uma só é necessária. Maria escolheu a melhor parte e esta não lhe será tirada."

Vivemos reclamando da falta de tempo, atropelando compromissos e superlotando cada vez mais as nossas agendas, sem a preocupação de estabelecer prioridades e de viver com intensidade aquilo que estamos a fazer no momento. 

Cuidemos dos nossos afazeres, um a um, cuidemos melhor da qualidade do nosso tempo, de engolir tanta informação sem conseguir analisar, de ler, ver tantas coisas absolutamente inúteis, de viver sem selecionar os nossos pensamentos, apenas porque a maioria das pessoas `normais' também fazem isso.
Se conseguirmos fazer essa mudança, o tempo terá aumentado significativamente.

Texto adaptado
Autor: Noeval de Quadros
Créditos: G E Casa do Caminho de S.Vicente

segunda-feira, 11 de abril de 2016

Menu para a memória

Conheça os alimentos que têm a capacidade de melhorar o desempenho de seu cérebro:

Óleo de coco: libera cetona, um composto capaz de manter o cérebro bem nutrido por longos períodos.
Espinafre: rico em ácido alfa lipóico, um importante antioxidante, e em ácido fólico, que vem sendo relacionado à diminuição dos riscos de desenvolvimento do mal de Alzheimer.

Mirtilo e açaí: fontes de polifenóicos, um tipo de nutriente que é capaz de “limpar”  o cérebro de toxinas.
Frutas cítricas: ricas em vitamina C, com capacidade antioxidante.
Salmão e atum: contêm ômega 3, uma gordura associada à flexibilidade e, portanto, à proteção da integridade das membranas cerebrais.

Abacate e azeitonas: gorduras monoinsaturadas que também contribuem com a integridade da membrana celular.
Camomila, hortelã e alecrim: fontes de luteolina, importante contra inflamações cerebrais decorrentes do envelhecimento.
Ovos, feijão, soja: fontes de colina, composto fundamental no desenvolvimento dos tecidos cerebrais.


Texto baseado em pesquisas americanas. Roberto Inácio Neves – Jornal Alternativo

sexta-feira, 8 de abril de 2016

Olheiras x Alimentos

O que comer direito tem a ver com as marcas escuras abaixo dos olhos? Muita coisa. "Um raio X da sua alimentação descobre possíveis causas de desequilíbrio no organismo por trás das olheiras", diz Sheila Mustafa, nutricionista funcional de São Paulo. Entre as hipóteses mais prováveis tirando a característica genética como a das etnias árabes e indianas podem estar: 

Alergia
Quem vive coçando os olhos por causa de uma sinusite ou rinite pode facilitar o rompimento ou dilatação de vasinhos na região. Vale verificar se existe sensibilidade a alimentos alergênicos como a proteína do leite, o glúten e a soja. 

Stress
Com a tensão, cresce a produção, no sangue, de uma substância chamada óxido nitroso, aumentando o calibre dos vasos e deixando-os mais aparentes sob a pele. Para contra-atacar, aposte nas vitaminas e minerais das amêndoas, chá verde, agrião, rúcula e couve-flor. 

Quinua, um aliado
O cereal, de origem boliviana, tem alto valor nutritivo. Riquíssimo em proteínas - contém mais do que a maioria dos vegetais , ele tem sido apontado como "alimento perfeito" pela Organização das Nações Unidas (ONU) para a Agricultura e Alimentação. Além disso, é boa fonte de fitoestrógenos, que estimulam o trabalho dos rins e ajudam a manter os níveis de hormônios equilibrados. Reforce o consumo de trigo integral, feijão, soja e brotos, que também têm fitoestrógenos em abundância. 

Dica: o chá de rosa branca pode ser usado para os males dos olhos, como a conjuntivite ou algum outro tipo de irritação. Também é eficaz contra olheiras. 

Modo de preparo: leve ao fogo meio litro de água e acrescente 2 colheres (sopa) de pétalas da flor desidratada e uma colher (sopa) de camomila desidratada. Quando aparecerem as primeiras bolhinhas, desligue o fogo e deixe descansar por dez minutos. Aguarde esfriar, em seguida coe. Despeje o chá que vai ficar bem concentrado, em forminhas de gelo e leve ao freezer. Faça compressas nos olhos (cerca de 10 minutos) com a ajuda de uma gaze esterilizada. Repita as compressas todos os dias, antes de dormir. (Bambamel Natural)

Créditos: MdeMulher 

segunda-feira, 4 de abril de 2016

Consertar o mundo

Imagem: Para além do agora
Um homem muito preocupado com os problemas do mundo passava dias em seu escritório, tentando encontrar meios de consertar o planeta.
Certo dia, seu filho de 7 anos entrou em seu escritório decidido a ajudá-lo.

O homem, nervoso pela interrupção, tentou fazer o filho brincar em outro lugar. Vendo que seria impossível removê-lo, procurou algo que pudesse distrair a criança. De repente, deparou-se com o mapa do mundo.

Estava ali o que procurava. Recortou o mapa em vários pedaços e, junto com um rolo de fita adesiva entregou ao filho dizendo:
- Você gosta de quebra-cabeça? Então vou lhe dar o mundo para consertar. Aqui está ele todo quebrado. Veja se consegue consertá-lo bem direitinho! Mas faça tudo sozinho!
Pelos seus cálculos, a criança levaria dias para recompor o mapa.
Passados alguns minutos, ouviu o filho chamando-o calmamente:
- Pai, consegui! Terminei tudo!

A princípio, o pai não deu crédito ao chamado do filho. Seria impossível uma criança de 7 anos conseguir recompor um mapa que jamais tinha visto.
Relutante, o homem levantou os olhos de suas anotações, certo de que veria um trabalho digno de uma criança. Para sua surpresa, o mapa estava completo. Todos os pedaços haviam sido colocados nos devidos lugares. Ficou boquiaberto. Pensou: como seria possível? Como o menino de 7 anos foi capaz de tal feito? E resolveu perguntar:

- Meu filho, você não sabia como era o mundo, como conseguiu montá-lo completamente?
E a criança respondeu:
- Pai, eu não sabia como era o mundo, mas quando você tirou o papel do jornal para recortar, eu vi que do outro lado havia a figura de um homem. Quando você me deu o mundo para consertar, eu tentei, mas não consegui.
Foi aí que me lembrei do homem, virei os recortes e comecei a consertar o homem do outro lado da folha, pois o homem eu sabia como era. Quando consegui consertar o homem, virei a folha e vi que havia consertado o mundo!

Moral da história: o primeiro passo para consertar o mundo é consertar os seres humanos. Só seres humanos melhores poderão fazer do mundo um lugar melhor.

Autor desconhecido
Créditos: Palestrante Carlos Hilsdorf.

sexta-feira, 1 de abril de 2016

Óleo de coco babaçu e óleo de pracaxi – cicatrização e regeneração da pele e cabelos

Imagem: Phytoterápica
A palmeira de coco babaçu é uma das mais importantes palmeiras brasileiras. Nativa do norte do Brasil, produz frutos contendo de 3 a 5 amêndoas, extraídos de maneira artesanal pelas “quebradeiras de coco”. Das amêndoas extrai-se o óleo.

Pele: previne rugas, combatendo o envelhecimento precoce. Previne estrias. Hidrata a pele. Indicado para massagens, por ser muito fino, de rápida penetração na pele. Auxilia a combater marcas e manchas da idade. Bronzeador natural para peles morenas com proteção dos raios UV.


Cabelos: hidrata e traz sedosidade. Protege dos raios UV. Revitaliza, nutre e revigora. Traz brilho e limpeza. Auxilia a evitar caspa e piolhos, quando utilizado no couro cabeludo.

Imagem: Phytoterápica
A árvore de pracaxi é uma leguminosa que atinge até 35m de altura, e produz flores com aparência de penas de até 20cm, e frutos em forma de vagem de até 25cm. Dentro dessa vagem armazenam-se de 4 a 8 sementes de onde extrai-se o óleo vegetal. São necessários aproximadamente 3,5 quilos dessas sementes para obtenção de 1 litro de óleo. Com alto teor de ácido behênico (até 25%) e ácido oléico, este óleo possui propriedades altamente hidratantes, cicatrizantes e antioxidantes. Nos cabelos, produz excelente efeito alisante e condicionante.


Pele: hidrata, regenera e protege. Deixa a pele aveludada e macia. Trata escaras, dermatite, erisipela e psoríase. Evita a formação de manchas e queloides, estrias, rugas e linhas de expressão. Suaviza manchas escuras no período de gravidez e auxilia da cicatrização pós parto cesariana.

Cabelos: traz brilho e sedosidade. Previne e sela pontas duplas. Silicone natural. Combate o ressecamento, controla o volume e facilita o penteado.

Créditos: Phytoterápica

Postagens Relacionadas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...