sexta-feira, 3 de outubro de 2014

Alimentos alternativos

São alimentos nutritivos pouco usados na nossa alimentação do dia-a-dia, que podem enriquecer as refeições. Baratos e fáceis de encontrar, alguns você pode plantar em sua própria casa.

Quais são esses alimentos?
Folhas verdes-escuras
Plantas como caruru, taioba, serralha, quiabo, chuchu, beldroega, dente-de-leão, ora-pro-nóbis, espinafre, folhas de batata-doce, de mandioca, de cenoura, de abóbora, couve flor, nabo, rabanete chuchu e beterraba, têm alto valor nutritivo e devem ser aproveitadas nas refeições diárias. 

Suas folhas e talos podem ser usadas em saladas, sopas, farofas e no feijão.
Essas plantas podem melhorar bastante a nossa alimentação e evitar a doença e morte de crianças por carências de vitaminas e minerais, como o ferro, que causa anemia.

A folha de mandioca desidratada é uma das maiores fontes de vitamina A e sais minerais, o que a torna um poderoso complemento alimentar. Devido à alta concentração de ácido cianídrico, a folha de mandioca deve ser desidratada para consumo.

Como desidratar: lavar bem as folhas e deixar secar à sombra em local ventilado. É importante que as folhas conservem o aspecto verde-escuro. Depois, é só pilar ou bater no liquidificador, peneirar e guardar em vidros esterilizados. No caso da folha da mandioca, picar bem antes de secar, para desativar o ácido cianídrico. Recomenda-se uma pitada de três dedos, cerca de 1,5 gramas por refeição.

Farelo de trigo
O farelo de trigo é retirado do grão no processo de refinamento industrial. O que muita gente não sabe é que ele é rico em fibras, vitaminas do complexo B e outros nutrientes vitais para a manutenção e recuperação da saúde.
Moinhos ou atacadistas de produtos naturais vendem o produto in natura (frescos). Mas na hora da compra deve-se avisar que é para consumo humano. O farelo de trigo destinado à ração animal pode estar contaminado com impurezas diversas.

Como preparar: passar em peneira fina e moer a parte grossa. Depois, tostar por 20 minutos, mexendo sempre, em fogo baixo, até ficar com cheiro de biscoito assado. Caso apresente gosto amargo, foi torrado demais.
Modo de usar: adicionar a todas as preparações (mingaus, sopas, bolos, farofas, paçocas, molhos, panquecas, pães, arroz, feijão).

Farelo de arroz
O farelo de arroz é a parte do alimento retirada do grão depois do descascamento. Nele estão presentes fibras, aminoácidos e sais minerais como ferro, fósforo e magnésio, capazes de reduzir o excesso de colesterol do sangue e os cálculos renais.

Estrutura do grão de arroz
Como preparar: o farelo fresco deve ser peneirado e tostado em tacho ou panela grossa. Mexer com colher de pau em fogo brando durante meia hora. Quando cheirar a amendoim torrado, é sinal de que está pronto. Pode ser utilizado junto com o farelo de trigo ou acrescentado às refeições diárias.

Sementes
As sementes têm grande potencial nutritivo. Sementes de abóbora, melão, jaca, caju, melancia, girassol, amendoim e gergelim contribuem com nutrientes indispensáveis à saúde.

Quando torradas e salgadas, servem como tira-gosto, ou podem ser consumidas em pequenas porções, junto com as refeições diárias.
Para usar é só lavar bem, colocar sal e secar por 24 horas. Depois levar ao forno para tostar. Você pode comer as sementes inteiras ou em pó.
Dica: elas devem ser retiradas antes de consumir a fruta para evitar contaminação.

Cascas
Pode-se aproveitar cascas de banana, abóbora, melancia, melão, manga, abacaxi. Elas podem ser cozidas com os alimentos, acrescentadas à farofa, ou liquidificadas para o preparo de sucos, doces e geleias.

Casca de ovo - o pó de casca de ovo serve como fonte complementar de cálcio, nutriente importante para o crescimento e na recuperação da saúde após uma doença, na gravidez, durante a amamentação e para as pessoas idosas.

Para fazer o pó é necessário uma boa limpeza das cascas. Antes de abrir o ovo, lavar bem a casca em água corrente. Se necessário, usar uma bucha ou escova limpa. Depois secar.

Quando juntar umas 12 cascas, colocar de molho em 1 litro de água com 2 colheres (sopa) de limão. Em seguida, ferver em água limpa durante 20 minutos e secar ao sol. Em seguida, triturar no pilão ou no liquidificador. Peneirar várias vezes. O pó deve ficar como talco.
Usar uma pitada do pó em todas as comidas ou, se preferir, colocar uma colher (de sobremesa) do pó em uma jarra com um copo de suco de limão. Após uma hora, acrescentar água suficiente para beber durante todo o dia.

Como guardar esses alimentos
Guarde-os em vidros limpos, bem secos, bem tampados e longe da luz.


Créditos: Instituto Pólis - projeto de segurança alimentar do município de Ribeirão Pires/SP, ministrado pela educadora Olga Zanela.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Nada de desgosto, nem de desânimo; se acabas de fracassar, recomeça. Marco Aurélio

Postagens Relacionadas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...