segunda-feira, 6 de julho de 2015

“Menu” de queijos

Confira um dossiê de alguns dos principais tipos de queijos fabricados no mundo, suas características, origens e combinações.

Brie (origem: França): feito com leite de vaca tem sabor suave, frutado e certa acidez. A sua crosta é branca e macia, recoberta por um mofo comestível. Quando curado, o sabor fica mais intenso e a textura mais cremosa.
Uso culinário: in natura, em quiches, tábuas de queijos, saladas, risotos e sobremesas. Acompanha bem pães de alta qualidade, geleias, frutas frescas e castanhas.
Roquefort (origem: França): é produzido com leite de ovelhas. Os fungos e o processo de maturação são responsáveis pelas manchas verde-azuladas e pelo sabor encorpado e picante, que lembra avelãs. É branco, firme, ‘esfarelento’ e levemente úmido.
Uso culinário: em canapés e risotos. Fica ótimo em molhos para saladas e medalhão de carne. Pode ser servido com peras e vinhos licorosos.





Saint Paulin (origem: França): é um queijo baseado no Port-du-Salut e produzido com leite de vaca. Tem sabor e aroma muito suaves, sem acidez. A massa é amarela, muito macia, untuosa e fechada. Sua casca fina se forma com tratamento com água, salmoura e pequena dose de urucum.
Uso culinário: in natura, em saladas, lanches e tábuas de queijos. Faz uma boa combinação com frutas vermelhas ou aperitivos.




Cheddar (origem: Inglaterra): fabricado com leite de vaca, o cheddar é originário da vila inglesa de mesmo nome, embora seja muito popular nos Estados Unidos, Canadá e Austrália. No Brasil, é mais encontrado sob a forma de queijo processado fundido. Tem textura firme, levemente quebradiça e marmorizada. O sabor é ligeiramente ácido ou cítrico, que varia de suave a muito intenso, lembrando nozes.
Uso culinário: em lanches, hambúrgueres e molhos quentes ou derretido sobre batatas assadas. Pode acompanhar crackers, maçã e frutas secas.
Emmental (origem: Suíça): feito com leite de vaca, tem sabor marcante, lembrando nozes, levemente adocicado, frutado e com uma acidez picante, quando amadurecido. É um queijo amarelo, duro e com grandes e numerosas olhaduras (furos).
Uso culinário: in natura, em sanduíches, tábuas de queijo e gratinados. Ideal para a preparação da fondue. Combina com uvas brancas e batatas. É apreciado acompanhado de pão italiano que deve ser mergulhado no queijo derretido. 
 Minas frescal (origem: Brasil): é obtido da simples coagulação do leite de vaca com ácido láctico ou fermento. É um queijo fresco, sem nenhuma maturação. Tem sabor láctico, suave, levemente salgado, com aroma de soro de leite característico. Massa branca, macia, com alto teor de umidade e textura fechada com algumas olhaduras irregulares.
Uso culinário: em pratos mais leves e sanduíches. É bom para acompanhar geleias, marmeladas e doce de leite; faz parte do famoso “Romeu e Julieta”;
Reino (origem: Brasil): feito com leite de vaca. Supõe-se que o queijo Reino tenha se originado no queijo Edam holandês, mas manteve as características originais. Tem sabor intenso, levemente picante. É um queijo firme, quebradiço e bem mais seco. A casca deve ser tratada com salmoura.
Uso culinário: em sanduíches, tábuas de queijos e risotos. Pode acompanhar frutas frescas e até mesmo com o tradicional Romeu e Julieta. 
Feta (origem: Grécia): produzido com leite de ovelha misturado ao de cabra ou leite de vaca. Tem baixos níveis de gordura, sabor láctico acentuado e muito salgado. A massa é branca, firme, macia e quebradiça.
Uso culinário: em saladas e tortas. Acompanha bem verduras, legumes, massas, carnes e recheios. Pode ser servido com pão. 
Maasdam (origem: Holanda): feito com leite de vaca, é irmão do queijo Gouda. Tem sabor suave, levemente amendoado. A textura é firme, com muitas olhaduras na massa.
Uso culinário: em fondue, tábuas de queijos, gratinados, sanduíches e canapés. Pode ser servido com uvas, batatas e saladas. 
Requeijão de corte (origem: Brasil): é feito com leite de vaca e muito encontrado na culinária goiana, paulista, mineira e do sul baiano.Tem sabor amanteigado, lácteo e suave. A coloração é branca e a textura macia e úmida. É servido em blocos ou fatias.
Uso culinário: em recheio de aves e tortas e cobertura de carne de sol. Acompanha bem geleia de frutas. 
Mozzarela (origem: Itália): sua receita tradicional indica o uso exclusivo de leite de búfala, produzindo o queijo em formato de bolotas brancas e macias conservadas em soro. Hoje, por ser muito utilizada na culinária mundial, também é produzida a partir do leite de vaca, apresentando aspecto amarelado e consistente. Há várias tecnologias para sua produção, por isso são encontradas em diferentes variações. Feita com leite de vaca, é comercializada sem curar. Tem consistência elástica, sabor mais acentuado e menos delicado do que a mussarela de búfala, sendo também menos macia. De fácil derretimento.
Uso culinário: indispensável nas pizzas; é muito usada em lasanhas, lanches, molhos, tábuas de frios, recheios e salada Caprese. 


Pecorino Romano (origem: Itália): da região de Lazio e Sardenha, o tipo Romano é feito com leite cru de ovelha e pode ser encontrado no Brasil. Outras variações do Pecorino são o Sardo e o Toscano, que não podem ser importadas. As características variam conforme a região e a forma de produção. Tem sabor intenso, ligeiramente salgado. É compacto, firme e granuloso; a casca é dura e lisa.
Uso culinário: em saladas, massas frescas, molhos e pasta. Pode ser ralado sobre massas.



Créditos: Revista do Tatuapé

Um comentário:

  1. Amo queijos , menos roquefort, que é muito esteano, o restante é uma delicia!!! Bjo

    ResponderExcluir

Nada de desgosto, nem de desânimo; se acabas de fracassar, recomeça. Marco Aurélio

Postagens Relacionadas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...