quarta-feira, 20 de março de 2013

Velaterapia, queima as pontas e faz o cabelo crescer mais forte e bonito

Um procedimento diferente para tratar os cabelos vem conquistando muitas mulheres. É a velaterapia que, literalmente, queima as pontas duplas, cauterizando o fio e fazendo com que o cabelo cresça mais forte e encorpado.
A técnica é antiga, mas só agora está conquistando mais adeptas, especialmente porque as mulheres que antes tinham receio estão entendendo melhor como funciona. “A pessoa procura o salão e, depois de uma avaliação, é definido se há necessidade do procedimento. Normalmente é recomendado para quem está com o cabelo muito ressecado, com pontas duplas, poroso e com dificuldade para crescer”, explica a cabeleireira Sabrina Dias, do salão Laces and Hair, em São Paulo.
O procedimento é feito no cabelo seco, antes de ser lavado, e dura de 30 a 40 minutos, dependendo da quantidade de fios, que são separados em mechas e torcidos para receber a chama da vela. Em seguida, é feito o chamado ‘bordado’, com a tesoura e, para finalizar, são aplicados produtos específicos para devolver a vitalidade, já que o cabelo está mais preparado para absorver melhor os nutrientes. A cada três, meses pode ser feito novamente.
A cabeleireira explica que o maior diferencial da velaterapia é que realmente elimina as pontas danificadas, ao contrário das hidratações tradicionais, que têm um efeito de maquiagem, resolvem o problema na hora, mas depois de lavar, vai saindo.
Apesar de parecer um procedimento simples, a velaterapia nunca deve ser feita em casa. “Como a técnica é muito antiga, isso até ocorria no tempo das nossas avós e bisavós, mas eram pessoas que conheciam, sabiam como fazer e passavam esse conhecimento. O recomendável é que sempre seja procurado um profissional, para não correr o risco de realmente queimar o cabelo”, diz.

Créditos: texto e foto: bolsademulher.com/cabelos/velaterapia-queima-as-pontas-e-faz-cabelo-crescer-mais-forte-e-bonito/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Que você olhe no espelho da sua mente. E, se olhar, não tenha medo de se enxergar. e, se enxergar, seja autônoma, reconheça seus defeitos. E, se reconhecer seja analítica, não se puna nem se diminua. esteja sempre pronta para recomeçar. E, se recomeçar, seja contemplativa, faça muito do pouco. Desse modo, você se tornará autora da própria história. Augusto Cury