sexta-feira, 12 de setembro de 2014

Não tenho pressa de crescer

Sentada, escuto atentamente o “discurso” de uma criança, não comum certamente, me embalo na linguagem que propõe autenticidade, desenvoltura, pureza. 

Uma mistura de simpatia, brincadeira, ilusão, acomodando os sonhos que povoam a sua mente.

Sem meias palavras, dá vida à sua imaginação e se enche de satisfação. Desperta a minha consciência numa névoa silenciosa envolvendo-me em cada detalhe. Não trocou as fábulas pelas coisas importantes da sua idade.

Neste momento, sinto não ter pressa de crescer. Uma oscilação contínua entre atitudes já maduras e comportamentos infantis... Leves gargalhadas, atenção, mimos. As palavras sozinhas, aliás, dizem sempre pouco demais. 

Então restam-nos os sinais. Deixei-me cativar, descubro que estou sem equilíbrio, que o mundo dos adultos é tão complicado. Entreolho estupefata o protagonista de apenas sete anos, sem dúvida ele é esperto, mais sábio que muitos adultos.

Seu encanto maior, não lhe vinha do fato apenas de ser uma criança, mas pela força do seu olhar, pelo calor persuasivo da sua voz. Meu coração sente o reflexo de um rosto determinado, e por vezes, tristeza, pela dura realidade de outros tantos pequeninos pelo mundo afora, que têm seus sonhos rasgados por pessoas longínquas, abstratas, inatingíveis. 

Mas, é tão fácil pelo concreto, forte, que lhes faça sentir o calor e o encorajamento do seu amor.
Parece que tudo ressalta para a nossa incoerência, faz parecer com evidência o ridículo de nosso comportamento. Todo o significado de uma criança está no afeto, na confiança que um adulto lhe passa.

Como Deus faz o seu coração acordar tão cedo – cedo demais! Justamente pela descoberta dos detalhes aos quais você é mais sensível, das coisas que você precisa encontrar reunidas, como um mosaico.

A imaginação dá à existência uma profunda segurança, ao mesmo tempo um senso de aventura como as coisas que se sonha. Sou impulsionada pelo encanto da nostalgia... 

Percorro o espaço ao som do silêncio. De ventanias fortes, surgem tempestades que dão medo, em grande beleza paisagística. Aprendo a conduzir pelo espelho da alma, a imagem do meu sonho.

Quantas coisas conseguimos fazer quando nos empolgamos! Não há obstáculo ou resistência que cedo ou tarde você não consiga superar ou contornar. As nossas paixões, os nossos sonhos, a eterna criança que existe em nós, pouco a pouco se tornam uma força. (San)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Nada de desgosto, nem de desânimo; se acabas de fracassar, recomeça. Marco Aurélio

Postagens Relacionadas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...