quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Itália: alimento para a alma

Por Kike Martins da Costa - Fotos Rogério Voltan

País que desde a antiguidade cultua a felicidade e os bons momentos à mesa.  Hoje se divide em 20 regiões, e cada uma possui deliciosas e incontáveis receitas típicas.

“La cucina di un popolo è la sola esatta testimonianza della sua civiltà.” Segundo o ditado italiano, a cozinha de uma nação é o único atestado exato de seu nível de civilização. E, assim como ocorre nas artes, na ópera, no design e na moda, a gastronomia coloca a Itália no topo do mundo

Comer, para um italiano, não é apenas saciar a fome: é dar amor a quem prova o que acabou de ser preparado, estimular todos os seus sentidos, aquecer o coração e acalmar o espírito.

Criando pratos simples e inteligentes a partir de ótimos ingredientes, a cozinha italiana se consagrou como uma das mais apreciadas do mundo. O país é pequeno (tem uma área menor do que a do Estado do Maranhão), mas se divide em 20 regiões, cada uma com sua personalidade, com dialeto próprio, tradições culturais particulares e, claro, receitas típicas.

Da Ligúria, temos as focaccias, pão leve, com miolo bem aerado e casca macia, em geral salpicadas com sal grosso e ervas, e o pesto, molho à base de manjericão, pinoli, alho e azeite. Da Puglia trazemos a burrata, uma muçarela amanteigada feita com leite de vaca. 

Da Calábria, buscamos a sardella, conhecida como “caviale del sud” (caviar do sul), uma pasta feita com aliche, pimentões vermelhos, tomates, alho, azeite, pimenta calabresa e páprica doce. Depois temos a clássica salada caprese, típica da Campânia. Muita gente nunca se deu conta, mas a salada é uma homenagem às cores da bandeira italiana: junta o branco da muçarela de búfala ao vermelho dos tomatinhos e o verde do manjericão. Também temos o vitello tonnato, patrimônio piemontês.

E vamos ao que interessa: macarrão! Da Sicília, vem o spaghetti alla norma, com molho à base de berinjelas, tomates, ricota e manjericão; para recriar a atmosfera do verão da Toscana, nossa dica é o fusilli al limone e, para quem prefere a paisagem de Roma, temos o penne à carbonara. 

Quem nos dá as dicas é o chef Marco Renzetti, do restaurante paulistano Osteria del Pettirosso. “De preferência, use massa de grano duro e, depois de cozida, envolva-a em um molho feito com um ovo inteiro, pancetta, queijo pecorino ralado e pimenta-do-reino”, conta, afirmando que quem usa creme de leite comete um “pecado”. “Na minha opinião, não é um autêntico carbonara”, avisa. Na sobremesa, vamos à Lombardia, famosa por seus gelatos e pelas granitas, delícia que parece um sorbet. 

Em um dia de calor, nada melhor que uma granita de limoncello (licor de limão siciliano) para refrescar. E, para harmonizar com esse delicioso almoço ao ar livre, o prosecco, espumante típico do Vêneto. Ele pode ser consumido puro, mas também fica ótimo em drinques como o veneziano bellini e o milanês aperol spritz. Salute!

Molho à carbonara
Rendimento: 4 porções
Ingredientes
1 colher (sopa) de azeite
1 dente de alho amassado
300 g de pancetta (ou bacon) em pedaços pequenos
5 ovos
5 colheres (sopa) de queijo parmesão ralado
5 colheres (sopa) de queijo pecorino ralado
Pimenta-do-reino e sal a gosto
600 g de penne (ou uma massa de sua preferência)

Modo de preparo
Em uma frigideira, coloque o azeite e o alho amassado. Junte a pancetta e deixe até ficar dourada e soltar a gordura. Quando o alho estiver dourado, retire-o da panela e reserve.
Em um recipiente, bata os ovos com os queijos e moa a pimenta por cima. Misture bem. Coloque o macarrão já cozido al dente na frigideira com a pancetta (ainda no fogo), o alho
e corrija o sal. Em seguida, coloque o ovo batido por cima.

Molho al limone
Rendimento: 4 porções
Ingredientes
2 limões sicilianos
1 dente de alho picado
Azeite a gosto
1 lata de creme de leite sem soro
Sal a gosto
600 g de fusilli (ou uma massa de sua preferência)
100 g de queijo parmesão ralado

Modo de preparo
Raspe as cascas do limão e reserve. Em uma panela, doure o alho no azeite. Em seguida, coloque o creme de leite e deixe esquentar, sem deixar ferver. Quando estiver quente,
desligue o fogo e acrescente as raspas do limão, deixando um pouco para decorar. Em seguida, coloque o suco dos limões aos poucos, mexendo sempre, e o sal a gosto. Cozinhe a massa (de acordo com a embalagem), coloque o molho e jogue parmesão por cima. Decore com as raspas.

Dica: experimente o molho à medida que coloca o suco do limão para não ficar azedo.

Molho alla norma (com berinjela, tomate e ricota)
Rendimento: 4 porções
Ingredientes
2 berinjelas grandes
Sal grosso e azeite
1 cebola
Tomates frescos sem casca e sem sementes (ou tomates “pelati”)
1 pitadinha de açúcar
Sal e pimenta-do-reino a gosto
10 folhas de manjericão frescas
400 g de spaghetti (ou uma massa de sua preferência)
200 g de ricota ralada grosseiramente
Manjericão para decorar

Lave as berinjelas e, sem tirar a casca, corte-as em fatias grossas. Coloque as fatias em um escorredor, alternando camadas de berinjela e sal grosso. Coloque um peso por cima e deixe-as eliminando o líquido por, ao menos, uma hora. Depois, lave-as e enxugue-as. Corte as berinjelas em cubos e frite-as em azeite de oliva.

Escorra em papel absorvente, coloque uma pitada de sal e reserve. Doure a cebola em uma panela com pouco azeite. Adicione os tomates em pedaços, coloque o açúcar, uma pitada de sal e a pimenta. Junte as berinjelas. Cozinhe tudo em fogo baixo, reduzindo a mistura, sem deixar o molho muito seco. 

Em seguida, adicione as folhas de manjericão inteiras ou rasgadas à mão. Cozinhe a massa como indicado na embalagem. Escorra a massa e junte ao molho. Coloque a metade da ricota na panela. Transfira tudo para um travessa e use a outra metade da ricota para polvilhar. Decore com algumas folhas de manjericão.

Créditos: Gastronomia Angeloni – Equipe Angeloni

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Nada de desgosto, nem de desânimo; se acabas de fracassar, recomeça. Marco Aurélio

Postagens Relacionadas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...