segunda-feira, 26 de junho de 2017

Mentiras... Falsidade

A mentira e a falsidade são duas coisas realmente lamentáveis. São capazes de destruir tudo no seu caminho, de devastar os bosques mais povoados e de fazer cair as torres mais altas.
O mais triste da hipocrisia e do engano é que eles nunca vêm dos nossos inimigos, nem das pessoas desconhecidas. Como é de esperar, tudo isso dói. E muito. 

Quando nos enganam, o pior de tudo não são as mentiras em si, mas o que se leva com elas.
Quando um sentimento tão importante como a confiança se quebra, algo em nosso interior morre. Isso acontece porque a mentira põe em dúvida mil verdades, fazendo com que questionemos, inclusive, as experiências nas quais mais acreditávamos.

Uma só mentira muda tudo
Tanto a mentira quanto a falsidade são em grande medida, uma questão de hábito. Há muitas pessoas que são hábeis nessa “arte” e que mantêm a todos enganados de uma maneira verdadeiramente assombrosa.
Como já sabemos, a mentira regular pode chegar a constituir um problema psicológico sério. Essas pessoas costumam vender fumaça a qualquer preço, sem nenhum outro estimulo mais do que o de enganar. 

Outras vezes, a mentira pode estar “justificada” como um engano na ação, mas não na intenção. É o que costumamos chamar de mentiras piedosas, pois consideramos que a verdade causará mais dano do que a mentira. Há quem sustente que qualquer tipo de mentira está apoiada em ralações de má qualidade, mas o certo é que o ser humano, em ocasiões, não costuma valorizar mais as cores do que o preto e branco.

Com o tempo tudo se descobre
A mentira e o engano têm sempre data de vencimento, pois são necessárias muitas circunstâncias para se sustentarem. Isso acaba se tornando uma espiral de enormes dimensões, que o mentiroso não pode administrar. Ou seja, assim que uma mentira sai da sua boca, você deixa de controlar grande parte dela.

Mas, embora seja muito difícil que uma mentira se sustente no tempo, é bem normal que nos mantenham enganados.  Pode ser que tenhamos muitos indícios, mas o mais provável é que os vínculos afetivos que mantemos com os mentirosos, nos ceguem.

A mentira e a falsidade, duas feridas profundas na alma
Trair as pessoas que gostam de você, é um dos atos mais detestáveis que o ser humano pode fazer. É difícil superar uma traição, pois ela possui a capacidade de destruir por completo nosso mundo. Uma pessoa traída é mais que uma pessoa machucada. 

É alguém que ficou sem seu norte, que perdeu sua bússola, que não compreende, que sente uma confusão angustiante, que vê seu lar desmoronando, que não sabe onde guardar seus sentimentos e que se acha profundamente burra. Alguém que tem que começar do zero, reconstruir seus muros, retroceder um duro caminho e tapar os buracos. É alguém que, com feridas de morte, tem que se reanimar e não sabe como.

Curar as feridas que a traição provocou
Com o passar do tempo,  é muito provável que a raiva e a impotência que sentíamos no principio se transformem em pena por tudo aquilo que se esvaiu, se quebrou ou se murchou. 

É nesses momentos que poderemos começar a curar nossas feridas e valorizar a lealdade. Superar isso leva um tempo, mas para fazê-lo é preciso perdoar a nós mesmos  e deixar de nos torturar por aquilo que pensamos que poderíamos ter evitado. Dessa forma, conseguiremos fazer as pazes com o mundo e voltar a confiar. Se em algum momento fizeram mal a você, não se castigue pensando que todo mundo é igual.  

Fazer isso seria como acreditar que, porque você ganhou na loteria um dia, vai ganhar toda vez que jogar. Valorize a lealdade e afaste-se das mentiras. Não se culpe e perdoe a si mesmo, pois a falta de honestidade é uma oportunidade muito boa para crescer e escolher melhor quem você quer ao seu redor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

A coisa mais difícil de ver é precisamente o que está diante dos seus olhos. Goethe

Postagens Relacionadas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...